Páginas

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Fortalecendo as costas


O alongamento certo prepara suas costas para longa jornada.
Experimente os exercícios abaixo.
Faça os exercícios com peso três vezes por semana e os alongamentos todos os dias.

ELEVAÇÃO DE PERNA
Fortalece o abdome para ajudar estabilizar a parte inferior da coluna. Após três séries de abdominais, faça três séries de elevação de perna unilateral. Deite-se no chão com as costas retas e as pernas esticadas. Eleve a perna esquerda o máximo que conseguir. Gaste cinco segundos na subida e cinco na descida. Faça dez repetições com cada perna. Quando ficar fácil, eleve as duas pernas simultaneamente.

ELEVAÇÃO DE PERNA
Fortalece o abdome para ajudar estabilizar a parte inferior da coluna. Após três séries de abdominais, faça três séries de elevação de perna unilateral. Deite-se no chão com as costas retas e as pernas esticadas. Eleve a perna esquerda o máximo que conseguir. Gaste cinco segundos na subida e cinco na descida. Faça dez repetições com cada perna. Quando ficar fácil, eleve as duas pernas simultaneamente.

RETRAÇÃO DE OMBROS
Fortalece os músculos da parte superior das costas e do pescoço. Segure dois halteres e, de pé, mantenha uma distância similar à largura dos ombros entre eles. Agora contraia os ombros para trás como se quisesse prender um lápis entre eles. Não basta elevá-los. É preciso também manter os ombros para trás. Use halteres pesados o suficiente para que você fique cansado após 12 repetições. Faça três séries.

ALONGAMENTO COBRA
Alonga a região lombar. Deitado, mantenha as mãos próximas aos ombros como se fosse fazer uma flexão. Lentamente eleve o tronco enquanto estiver confortável - ou até o quadril sair do chão. Suba em cinco segundos. Desça nesse mesmo tempo. Comece com seis repetições e aumente gradualmente até chegar a 15. Faça esse exercício na cama pela manhã e antes de dormir.

ELEVAÇÃO DE PESCOÇO
Fortalece os músculos do pescoço. Deite-se no banco com o queixo fora da borda. Coloque pés e mãos no chão para dar estabilidade. Com o pescoço reto, use os músculos superiores das costas para elevar a cabeça o máximo que conseguir, como se alguém puxasse seus cabelos. O segredo é executar lentamente. Eleve a cabeça em três segundos, segure por um segundo e desça-a em três segundos.

ALONGAMENTO DE COXA
Relaxa as pernas. Coloque o calcanhar direito num suporte para que fique a 45 graus do corpo. Mantenha costas e pernas retas, e incline-se para a frente na altura do quadril até sentir um alongamento confortável na parte de trás da coxa direita. Segure por 10 segundos e relaxe. Repita três vezes com cada perna. Toda semana, tente colocar o calcanhar um pouco mais alto. Ao chegar a 90 graus, a flexibilidade vai estar ótima.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Tratamentos para dor crônica


Possíveis tratamentos para a dor crônica que a fisioterapia pode oferecer. Todas as técnicas são baseadas em evidências científicas.

BANDAGENS TERAPÊUTICAS

Com esparadrapos rígidos ou elásticos, as bandagens conseguem diminuir a dor de diversas maneiras: melhora da postura, ativação dos músculos que estão dormindo, relaxamento dos que estão muito acordados e, hoje muito falada, estimulando fibras na pele que ajudam a controlar a dor e diminuindo os estímulos das fibras que geram dor.

FORTALECIMENTO MUSCULAR

O treino de força ou fortalecimento deve ser rotina nos pacientes de dor crônica. Quando temos um músculo forte e resistente, consegue funcionar melhor nas atividades do dia-a-dia, se cansa menos. Pode organizar os receptores de dor nos tendões, diminuindo estímulos excessivo. Existem pesos diversos e é muito interessante utilizá-los.


ALONGAMENTO E FLEXIBILIDADE

Muita confusão se faz entre os dois nomes, mas vamos tentar rapidamente explicar. A flexibilidade é quanto de movimento temos nas articulações que é influenciado pelo comprimento do músculo e alongamento é o conjunto de técnicas que podem fazer isso. Uma delas é o treino de flexibilidade, para aumentar o comprimento do músculo. Mas na dor, usamos o alongamento de forma suave para relaxar os músculos estimulando os receptores dos músculos e tendões. As outras técnicas de alongamento são usadas de acordo com a necessidade de cada pessoa.

MANIPULAÇÃO E MOBILIZAÇÃO

São técnicas estudadas em todo mundo e são cada vez mais usadas por conseguirem um grande poder de alívio de dor. Estudos falam que a manipulação / mobilização das articulações consegue liberar substâncias e também ativam as regiões do cérebro, antes meio desligadas, que controlam a dor.


EXERCÍCIOS TERAPÊUTICOS

Tem vários objetivos: alongar, fortalecer, mobilizar, controlar. São exercícios mais completo. Na verdade não importa o nome que damos e sim sua utilidade.


REEDUCAÇÃO POSTURAL

A postura está relacionada ao equilíbrio das partes do nosso corpo. Muitas pessoas sentem dor com posturas mantidas no dia-a-dia e acabam tendo escolioses. Isso causa pressão demais nas articulações, nervos, ligamento e desequilíbrios musculares. Diminuindo esses fatores, conseguimos diminuir a dor. Não existe técnica postural melhor no mercado, é uma grande jogada de marketing. O que existe é a técnica indicada para cada pessoa. Isso acaba queimando o filme de várias técnicas famosas como RPG ou Cadeias Musculares. Infelizmente muitos fisioterapeutas querem fazer a mesma coisa com todo mundo, ai fica difícil e sem raciocínio.

domingo, 28 de novembro de 2010

Dor Ciática... Alongue-se!


A dor ciática uni ou bilateral, acompanhada ou não por dor lombar, que surge após alguns minutos de caminhada ou à extensão da coluna pode ser causada por estenose do canal medular.

O canal medular é um tubo formado pelas vértebras e discos vertebrais onde se localiza a medula espinhal. A medula espinhal é formada pelas vias neurais que levam e trazem mensagens do cérebro, dando origem aos nervos periféricos. Qualquer lesão que afete esta medula causará sinais e sintomas neurológicos, tais como dor, dormência, formigar ou perda de força motora. A estenose do canal medular pode ser congénita ou causada pelos processos degenerativos comuns ao envelhecimento.

Com o passar dos anos, os discos intervertebrais perdem a capacidade de absorção de impacto, tornando-se mais facilmente alvo de lesões e causando distúrbios na mecânica da coluna vertebral. Estes distúrbios afetam a distribuição de peso na coluna, o que vai acabar lesando estruturas como as articulações intervertebrais e os ligamentos.

Estas estruturas, como parte do processo de defesa contra a agressão, tendem a se hipertrofiarem (são os chamados bicos de papagaio). Como fazem parte da formação do canal medular, o aumento destas articulações e ligamentos acaba diminuindo o diâmetro do canal, com a possível compressão da medula espinhal ou das raízes que originam os nervos, o que levaria aos sintomas descritos acima.

O diagnóstico é comprovado através da tomografia computadorizada ou da ressonância magnética.

O tratamento seria em teoria preferencialmente cirúrgico, com o objetivo de alargar o canal medular, não fossem alguns empecilhos:

.a idade dos pacientes, o que limita em alguns casos a indicação cirúrgica

.a estenose pode se localizar em várias vértebras, o que levaria a cirurgias de extensão apreciável

Desta forma, sempre se deveria tentar o tratamento conservador antes de indicar a cirurgia. O tratamento conservador consiste em analgesia e correção postural.

A analgesia pode ser feita medicamentosamente, com analgésicos ou anti-inflamatórios, ou pela acupuntura. Os analgésicos e, mais especificamente, os anti-inflamatórios muitas vezes são contra indicados em pacientes idosos, especialmente os portadores de insuficiência renal ou cardíaca, podendo causar efeitos colaterais como gastrite, diarreia, e até sangramentos. Além disto, não se aconselha o uso crónico destes medicamentos.



Mas se ainda não sofre de dores no nervo Ciático ficam aqui alguns alongamentos para fazer já, mesmo antes de ter qualquer dor...

1. Deite-se no chão ou sobre um colchão com a barriga para cima, as pernas flexionadas e as mãos ao lado do corpo.

2. Inspire e traga uma das pernas próximo ao peito. Abrace-a e solte o ar.

3. Repita o mesmo movimento com a outra perna.

4. Agora, faça com as duas. Volte ao início e repita três séries com cada perna. Em cada movimento tente permanecer entre 15 a 30 segundos.

Fonte: 3Fitness

Vaga para massoterapeuta - Brasília



MASSOTERAPEUTA COM EXPERIÊNCIA ativus.sport@hotmail.com

sábado, 27 de novembro de 2010

Tenha auto-respeito


Pratique medicina preventiva e não procure seu médico só em caso de doença. Recomenda-se que qualquer informação sobre saúde e bem-estar seja conversada com seu médico pessoal.

Tenha auto-respeito; não acredite em fórmulas milagrosas.
Não existe resultado sadio para mente e corpo sem controle da ansiedade, sem trabalho, persistência, progresso gradual e respeito aos próprios limites e os do seu meio ambiente.

Respeitar:

.sua faixa etária

.seu estado psicológico

.sua constituição física

.sua condição física no momento

.seu preparo no momento

.sua habilidade para a atividade física

.seu meio ambiente


Dicas para tudo sair melhor

.faça as coisas serem divertidas

.nunca permita monotonia

.aprenda a respirar corretamente

.corrija a postura de seu corpo

.corrija o tom de sua voz

.ouça seu corpo

.controle sua ansiedade

.busque o equilíbrio de todos os fatores de sua vida

.encontre boas companhias

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Entenda melhor o que são as lesões musculares


Das lesões mais frequentes no esporte, as musculares certamente são as mais comuns. Segundo alguns estudos, estima-se que as lesões musculares abranjam de 10% a 30% das lesões esportivas. Além disso, de acordo o educador físico Marco Antônio Chagas, elas são a principal causa de afastamento de futebolistas dos gramados – por volta de 30% dos casos.

As distensões geralmente ocorrem em esportes que exigem esforço muscular explosivo, como também em esportes que exigem paradas bruscas (desaceleração) ou uma perigosa combinação de aceleração e desaceleração, como no basquete, na corrida de velocidade, em vários tipos de saltos do atletismo, no futebol americano e no futebol.

As lesões causadas por um trauma direto no corpo muscular são conhecidas como contusões, em que normalmente o músculo é pressionado contra o osso subjacente. Um bom exemplo é o famoso “tostão” no futebol, quando o joelho de um atleta choca-se contra o quadríceps do adversário, resultando em laceração muscular e sangramento. As contusões costumam estar presentes nos esportes de contato, e a musculatura do quadríceps é mais afetada, principalmente, pela sua localização e pelo seu tamanho.

As lesões indiretas são conhecidas como estiramento ou distensão. Elas são resultantes de uma força intensa aplicada na unidade musculotendinosa. Quando a força é maior do que a resistência ou excede a flexibilidade da unidade musculotendinosa, o músculo, a junção músculo-tendão ou o tendão vão se romper. Em alguns casos, a ruptura ocorre na inserção óssea da unidade musculotendinosa, resultando em fratura por avulsão.

Contusões representam a lesão primária do músculo quadríceps, e as distensões musculares são a lesão mais comum dos isquiotibiais e adutores. Normalmente resultam de desequilíbrio muscular, flexibilidade precária, estiramento excessivo, contração muscular violenta contra uma grande resistência, coordenação motora ineficaz, entre outros.

De acordo com o grau de ruptura, as distensões podem ser classificadas em leves (primeiro grau), moderadas (segundo grau) e severas (terceiro grau). Na distensão de primeiro grau, não ocorre ruptura total na unidade musculotendinosa. Pode haver um pequeno edema localizado e dor, mas não há perda significativa de força nem restrição de movimentos. Os movimentos ativos ou alongamentos passivos podem causar dor no sítio da lesão. A recuperação pode acontecer em apenas uma semana.

A distensão de segundo grau envolve uma ruptura muscular mais significativa, mas não completa. Porém resulta na perda da força muscular e limitação na movimentação ativa das articulações adjacentes. Devido à hemorragia, manchas roxas (equimose) aparecerão na região da lesão ou em localização mais inferior por causa da ação da força de gravidade. A recuperação é mais lenta e pode afastar o atleta da prática esportiva por mais ou menos três semanas.

A distensão de terceiro grau envolve a ruptura completa de um ou mais componentes da unidade musculotendinosa, e a movimentação nas articulações adjacentes é gravemente restrita. Frequentemente o sítio dessa ruptura é claramente visível. Um bom exemplo ocorre nas lesões distais do bíceps braquial, onde o local da ruptura fica claramente evidenciado. O tempo necessário para cicatrização de uma ruptura muscular completa pode chegar até 16 semanas, dependendo da localização e extensão da lesão, como também da forma de tratamento – cirúrgico ou conservador.

Conforme mencionado anteriormente, quando ocorre uma lesão na unidade musculotendinosa, os vasos sanguíneos também se rompem, consequentemente as metas iniciais do tratamento são a contenção do sangramento e também evitar a propagação da lesão. O tratamento é feito com aplicação de faixas compressivas, elevação e imobilização da extremidade lesada, crioterapia (gelo) e antiinflamatórios prescritos pelo médico.

Após as primeiras 48 horas, o alongamento passivo leve do músculo lesado deve ter início evoluindo para um programa mais intenso, conforme a tolerância do paciente. Lembrando que esses exercícios devem provocar dor mínima quando realizados. Os alongamentos balísticos devem ser evitados em virtude desse tipo de alongamento poder causar novas lesões.

Os exercícios musculares devem ser iniciados entre o segundo e o quinto dia, dependendo da natureza da lesão, obedecendo à seguinte ordem: exercícios estáticos sem carga, exercícios estáticos com carga leve, exercícios dinâmicos com cargas progressivas, treinamento funcional e proprioceptivo.

A lesão muscular é considerada totalmente tratada quando não há mais dor ou sensibilidade à contração completa do músculo. Uma vez restabelecida a função muscular, a flexibilidade das articulações adjacentes e o padrão normal de movimentos o atleta estará apto a retornar as suas atividades esportivas.

Gabriel Miranda - Redação Saúde Plena

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Dores na coluna vertebral podem indicar raquialgia


Sedentarismo, má postura e estresse causam o problema nas costas

Suas costas doem? Você pode sofrer de raquialgia. Pouca gente conhece esta alteração, embora mais de 80% da população, em alguma fase da vida, seja acometida por ela. Tendo como principal característica as dores ao longo da coluna vertebral, este incômodo chama atenção por atingir também aqueles que estão no ápice da vida produtiva, entre 25 e 45 anos. As causas são previsíveis: má postura, excesso de peso e sedentarismo.

O problema geralmente se apresenta nas regiões cervical e lombar e pode ser agravado por conta do estresse. "O estilo de vida está intimamente ligado à raquialgia que, por essa razão, pode ser evitada ou controlada", destaca o reumatologista Gustavo de Paiva, do Hospital Brasília. O médico lembra que 90% dos pacientes apresentam mais de um quadro durante a vida, comprometendo consideravelmente o bem-estar integral. "Muitos sentem dor durante o período de repouso na cama, o que faz com que levantem mais cedo do que necessitariam", exemplifica o médico.

Feito a partir de anamnese e exames complementares, o diagnóstico ocorre quase sempre em situação aguda. "Há casos nos quais as dores irradiam para as pernas, causando formigamento", afirma Dr. Gustavo. Com a confirmação, o médico assistente determina a conduta específica - que pode envolver analgésicos, antiinflamatórios e relaxantes musculares. A fisioterapia, especialmente o RPG e o Pilates, atua de maneira decisiva para estabilizar o paciente. A revisão dos hábitos - com a adequação do peso, a prática de atividade física regular e a minimização do estresse patológico - completa o rol de cuidados.

Atenção com os pequenos

Para quem costuma carregar muito peso no dia-a-dia, todo cuidado é pouco, principalmente as crianças com as mochilas nas costas. De acordo com o ortopedista José Wilson Bonfim, do Hospital Dr. JK, em Brasília, é preciso que o volume de peso seja distribuído de forma correta pelo corpo. Para quem trabalha carregando peso, a recomendação é adotar alguma prática de reorganização postural, como RPG ou Pilates. Organizações responsáveis já implantam programas específicos para combater os riscos.

Dores nas costas

Aprenda a identificar os primeiros sinais de alarme
Quem passa por elas sabe bem o que sofre. Consequência de uma má postura, de uma lesão ou de um problema mais grave, as dores de costas são irritantemente incomodativas.

Saber identificá-las é meio caminho andado para perceber o que pode estar na sua origem.

Estes são os tipos de dores mais comuns:

Lombalgia
Dor em barra que vai da zona dos rins até às nádegas.

Dorsalgia
Dor na região que se situa entre os ombros até o meio das costas.

Cervicalgia
Dor na zona do pescoço.

Raquialgia
Dor em toda a região da coluna.

Se, para além da dor, tiver algum destes sintomas, deve mesmo ir ao médico:

Febre
Perda de peso
Dor súbita e intensa
Dor agravada na cama
Dor que alivia com o movimento
Dor que irradia para os membros superiores ou inferiores


Mal que atinge cada vez mais gente, a dor nas costas é o terror dos brasileiros. É o que aponta a pesquisa Dor no Brasil, parceria entre o Ibope e a Pfizer, que ouviu 1,4 mil pessoas de nove capitais do país.

A enquete apontou que o problema é considerado pelos brasileiros o que mais incomoda no dia-a-dia, o mais forte e grave para a saúde. Apesar de ser a mais incômoda, entretanto, a dor nas costas não foi considerada pelos entrevistados a mais comum. O primeiro lugar ficou com a dor de cabeça.

A pesquisa revelou, ainda, que a maior parte das pessoas costuma se medicar. 64% disseram que tentam resolver o mal sem a ajuda de um médico, geralmente por meio de antiinflamatórios e analgésicos.

Causas variadas

A dor na coluna tem diferentes causas. Geralmente, é causada por maus hábitos, que incluem sedentarismo, má postura no trabalho e na cama, excesso de peso nas costas (como o uso de mochilas pesadas) e a falta da prática de alongamento. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a dor na coluna é o principal problema médico dos países industrializados. De acordo com a entidade, 85 em cada cem pessoas acima dos 30 anos vão experimentar dor nas costas ao menos uma vez.l

o que leva ao mal

Problemas comuns do cotidiano, como má postura, má alimentação, sedentarismo, obesidade, atividades como agachar e carregar mochilas, malas e pastas com pesos excessivos, estresse físico, emocional e até a depressão, podem gerar desgastes de músculos, nervos, ossos, articulações ou outras estruturas na coluna vertebral, dando início à dor. As dores nas costas podem ser constantes ou não, restritas a um local ou irradiadas para outras áreas do corpo, já que os nervos que se originam na coluna chegam até as pernas.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Pratique a série campeã para corrigir a postura


Os exercícios físicos são seus aliados para acabar com a dor nas costas

A sua postura não é das melhores e as dores nas costas parecem não ter fim. Além de ajudar você a perder peso (o que já traz melhoras para a coluna, que não precisa fazer tanta força para permanecer alinhada), os exercícios físicos têm outro efeito: fortalecem os músculos das costas e do abdômen, ajudando suas costas a entrarem na linha.

Achou estranho fortalecer o abdômen para ajeitar as costas? Mas é isso mesmo: com os músculos da barriga fortalecidos, há formação de uma espécie de muro de arrimo para coluna, que não se curva buscando compensar a falta de sustentação.

"Sentar-se ou ficar de pé, simplesmente, são movimentos que causam incômodos quando a coluna está prejudicada", afirma o personal trainer e especialista do MinhaVida, Ivaldo Larentis. "A série certa de treino, no entanto, pode ajudar no combate deste mal". ´Só não se esqueça de consultar um ortopedista antes de praticar os movimentos, principalmente se você estiver sentindo dores. Caso haja alguma inflamação, primeiro é necessário tratá-la com remédios e repouso.

Passada esta fase, é hora de agir. A série abaixo, montada por Ivaldo, vem no capricho para quem está em busca de uma postura impecável. As dores nas costas vão sumir, a barriga vai parecer menor e até a digestão sai ganhando (com a coluna no lugar, seus órgãos não são pressionados e podem trabalhar de maneira mais eficiente).

1. Puxada frontal - (é feito em um aparelho especifico, onde você fica sentado e puxa uma barra na direção dos ombros). "Este exercício ajuda na colocação da coluna vertebral na posição correta, mantendo o peitoral estufado. Ele também fortalece a musculatura para manter a postura natural, prevenindo dores na região dorsal-toráxica", explica Ivaldo. O exercício pode ser feito com diferentes pesos e é aconselhável para homens e mulheres.

2. Remada - (com os braços abertos, você puxa a barra em direção ao peitoral). "A remada, além de manter a postura na posição ideal, fortalece os ombros para que fiquem sempre alinhados com a cervical", afirma o personal. "Ele também previne que os ombros se desloquem para frente ao se manter a postura normal."

3. Puxada na roldana alta, com mãos em supinaçao (parecido com a puxada frontal, mas aqui os braços ficam posicionados na beirada da barra). "O exercício ajuda a aumentar a musculatura dorsal e mantém os músculos dorsais alongados devido aos movimentos, uma ótima opção para quem deseja manter a postura ideal", explica o especialista do MinhaVida.

4. Abdominal 90 graus (deitado de costas, você forma um ângulo de 90 graus entre as coxas e o tronco. Subindo o tronco, você tenta encosta o peito nos joelhos). O exercício fortalece o abdômen, prevenindo lesões na região da lombar e auxiliando no esforço de suportar o peso do tórax.

5. Hiperextensão lombar em banco (com o corpo apoiado, até o limite do umbigo, numa base inclinada, você inclina o corpo e volta à posição origina). Este exercício fortalece, justamente, a região lombar, normalmente uma das mais prejudicadas com as dores. Mas, é preciso cuidado na hora de executá-lo. "O ideal é contar com a supervisão de um instrutor, já que a execução errada pode causar sérios riscos de lesões", alerta Ivaldo Larentis.

6. Alongamento: o personal explica que, para garantir resultados, é preciso se preocupar com o alongamento. Ele também é responsável por garantir que a coluna vertebral fique alinhada, sem proporcionar dores e garantindo uma postura invejável. "Para finalizar todos esses exercícios é ideal terminar a série com um bom alongamento. Comece deitando de barriga para cima sobre a bola de alongamento e estique o corpo, no seu limite. Depois, segurando em uma barra alta. Pendure-se sem deixar que os pés toquem o chão. Esses alongamentos ajudam a melhorar a circulação e a mobilidade dos movimentos requeridos pela coluna vertebral", finaliza.

Quanto nome complicado!
Se você ficou confuso com os nomes dos exercícios, não se preocupe. Todos eles são bastante conhecidos do seu professor de ginástica. Leve a lista para ele e ofereça a série como sugestão na melhora da sua postura, pedindo indicações para as cargas. O ideal para treinos voltados à melhora de postura é contar com acompanhamento profissional, pois o risco de lesões é muito alto.

Fonte: Minhavida

Alongamento reverso de costas

Tente o alongamento reverso de costas depois de ter conseguido completar com sucesso o alongamento de costas intermediário. Ele é muito eficiente no condicionamento da parte de baixo das costas e das nádegas.

Etapa 1
Deite com o estômago no chão e a cabeça apoiada nas mãos. Dobre os joelhos e cruze as pernas na altura dos tornozelos.


Etapa 2
Comece a contrair lentamente os músculos das nádegas e levante os joelhos do chão. Volte para a posição inicial e repita 8 vezes.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Alongamento de costas intermediário

O alongamento de costas intermediário é bastante eficiente no condicionamento dos músculos da parte inferior das costas. Ele também irá melhorar a postura e o alinhamento.

Etapa 1
Deite com o estômago e a testa no chão. Estique as pernas. Coloque as mãos nas nádegas.




Etapa 2
Levante lenta e gentilmente a parte de cima do corpo, pressionando as mãos nas nádegas conforme vai subindo. Expire ao levantar e volte para a posição inicial. Repita 8 vezes.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Alongamento de costas para iniciantes

O alongamento de costas para iniciantes condiciona a parte de baixo das costas e deve ser executada lenta e gentilmente. Tente manter os ossos dos quadris no chão e levante só o que você conseguir, mantendo os cotovelos no chão.

Etapa 1
Deite com o estômago e a testa no chão. Coloque suas mãos embaixo dos ombros, com os cotovelos dobrados ao longo do corpo. Estique as pernas.


Etapa 2
Levante a parte de cima do corpo lenta e gentilmente, mantendo os antebraços e cotovelos no chão e expirando ao se levantar. Volte para a posição inicial e repita 8 vezes. Quando conseguir fazer isso com facilidade, substitua-o pelo alongamento de costas intermediário

domingo, 21 de novembro de 2010

Cuidado para não se machucar nas corridas


Nada pior do que se machucar durante o treino. Para evitar lesões, siga algumas dicas:

Alongue-se sempre - Os alongamentos devem ser feitos antes e depois dos treinos. Não se esqueça de alongar também os membros superiores, ombros e peitoral.

Alterne o tipo de piso – Para descansar os tendões, panturrilha e coluna do impacto causado pela corrida no asfalto procure treinar também em outras superfícies como grama, areia e terra.

Braços mais enérgicos nas subidas – Procure equilibrar o esforço movimentando os braços em um ângulo de 90 graus, sempre na lateral do corpo.

Atenção nas descidas – Como o corpo passa a pesar até quatro vezes mais nessa situação, a chance de machucar os joelhos aumenta. Procure diminuir o ritmo, inclinar o corpo um pouco para trás e manter os braços parados e os cotovelos ligeiramente abertos para dar maior equilíbrio e sustentação ao corpo. Rolar o pé no chão, como se estivesse tentando absorver o impacto das passadas, também é uma opção.

Aqueça e desaqueça antes das provas - Antes de uma competição procure fazer uma corrida leve como aquecimento, de pelo menos 20 minutos, e depois da prova um desaquecimento, de 10 minutos.

Respeite os dias de descanso – É preciso recuperar os músculos de um excesso do dia anterior e também prepará-los para um treino mais puxado no dia seguinte. Aproveite esses dias de descanso para fazer uma massagem ou até mesmo uma atividade recreativa na água.

De olho na balança – Se você está fora do peso, cuidado. O impacto das suas passadas vão ser bem maiores e aumentam as chances de lesões.

Fonte: Pão de Açucar Club

sábado, 20 de novembro de 2010

Como melhorar a circulação sanguínea


“Faça exercícios para melhorar a circulação”

Para evitar qualquer tipo de desconforto e até mesmo que isso acarrete em uma doença mais grave, manter o corpo em forma e com os músculos oxigenados evita muitos males, inclusive o inchaço. Alimentado-se bem e fazer exercicios fisicos sao receitas fabulosas pra melhorar a circulacao sanguinea. Evitar alimentos com um teor de colesterol elevado, pois o colesterol acumula-se nas veias provocando o bloqueamento delas.

_Qualquer atividade praticada na piscina como hidroginástica, hidromassagem ou natação tem um efeito supereficiente.

Uma boa massagem também é uma grande aliada na luta contra esse problema, pois ameniza bastante os sintomas. Massagem em pontos estratégicos como axilas, pescoço, rosto, barriga, virilha e parte de trás dos joelhos, fazendo com que os líquidos e toxinas que se acumulam nas células sejam eliminados pela urina e pelo suor.

Veja o que fazer para se livrar deste pesadelo ou, pelo menos, torná-lo menos freqüente:

Chá de Cadeira:
As contrações do músculo da panturrilha são responsáveis pelo retorno dos líquidos do corpo para o tronco. Se ele não bombeia direito, ao longo do dia acaba provocando uma pressão na região que facilita o edema. alem do inchaço, passar o dia sentado, pode gerar problemas na coluna também;

Então, Levante-se pelo menos a cada meia hora e dê uma voltinha por alguns minutos, andar ajuda na circulação. É importante também manter a coluna reta, ingerir bastante líquido para garantir o melhor funcionamento dos rins, movimentar os pés como se estivesse acelerando o carro e levantar os calcanhares com as pontas dos pés apoiadas no chão e até fazer uma massagem nos pés de vez em quando. Para tornar a circulação mais fluída, erga as pernas alguns minutos por dia e durma com as pernas mais altas do que a cabeça.

Ou seja, levantar um pouco os membros inferiores enquanto se está sentado ou mantê-las elevadas quando se está deitado, favorece o retorno venoso;

Muito Tempo de Pé:
Com pessoas que passam horas de pé, os líquidos corporais que circulam através do sangue e da linfa, descem para as extremidades das pernas, não conseguindo subir adequadamente. O resultado será inchaço nas pernas, nos tornozelos;

O ideal é mudar de posição, sentar-se ou caminhar de vez em quando tem um ótimo resultado. Pessoas cujo trabalho exige que se levantem durante todo o dia, as mulheres grávidas e outros que têm de lidar com a dor, as meias de compressão também pode ajudar a manter o sangue fluindo para as pessoas que sofrem de má circulação.

Salto Alto:
Usando um calçado muito alto, sua panturrilha fica mais tensa e não exerce adequadamente a sua função de bombear os líquidos corporais.

É recomendo usar sapatos com uma altura intermediária e fugir dos modelos de bico fino, que pressionam muito as pontas dos pés. Quem é obrigada a usar salto alto o dia inteiro por conta do trabalho, deve evitá-lo nos intervalos.

Cuidado com o Calor:
O calor excessivo ou muito prolongado é um inimigo da circulação, pois os vasos sanguíneos ficam mais dilatados e, com isso, uma maior quantidade de líquido sai para o espaço entre as células e fica acumulado ali, que, por sua vez, pode originar inchaço, sensação de peso, cansaço e dor nas extremidades.

Como não dá para ficar em ambientes climatizados o tempo todo, é recomendádo evitar os ambientes com temperaturas elevadas, apanhar sol nos dias mais quentes. Coloque as pernas para cima sobre almofadas, pois é importante que fiquem em um nível mais elevado do que o restante do corpo. Use esse método também para os momentos em que estiver assistindo TV ou lendo um livro.

Algumas Dicas:

Vista Roupas Cômodas – Calça apertada comprime os músculos dificultando o transito de sangue pelas veias;
Coma mais Fibras – Pois favorece o trânsito intestinal;
Corte o Sal - Também favorece a retenção de líquidos;
Faça exercícios - Melhora a circulacao sanguinea;
Pernas pra cima - Torna a circulação mais fluída;

Para tornar a circulação mais fluída, erga as pernas alguns minutos por dia e durma com as pernas mais altas do que a cabeça, subindo ligeiramente a parte da cama onde repousa os pés, com uma almofada.

BEBER AGUÁ
Não existe vida sem água. Assim como a Terra, nosso corpo é formado por 70% desse líquido. Ele é responsável por conservar a nossa saúde, prevenir doenças e proteger o organismo contra o envelhecimento.

Bom, por isso, beber água alem de melhorar sua circulação, trás outros benefícios:

1 – Água emagrece

2 – Melhora a digestão

3 – Controla a temperatura do corpo

4 – Diminui o inchaço

5 – Previne a celulite

6 – Melhora a absorção de nutrientes

7 – Reduz infecções

O sangue não circula direito quando esta cheio de impurezas, viscoso e quando a pessoa não se movimenta, portanto limpe o sangue movimentando-se bastante (fazer exercicios), alimentando-se direito e não esquecendo de beber bastante agua.

Médico naturalista ensina: dicas

Um exercicio simples que: evita problemas cardíacos

1º. Antes do banho, exercitar a panturrilha (levantar o corpo na ponta dos pés) , primeiro rápido até esquentar as panturilhas e depois uma sequência de 10 movimentos lentos. Pronto. Esse exercício bombeia o sangue para o coração, melhora os batimentos cardíacos e evita obstrução das veias.

Melhora o problema de micro varizes

2º. Ao chegar em casa, coloque os seus pés em uma bacia com água bem quente (o famoso escalda pés - alem de relaxar, esse processo desencadeia a dilatação dos vasos sanguíneos dos pés , melhora o cabelo e melhora, inclusive, a visão.

Esse processo foi pesquisado com pessoas diabéticas e o resultado evidenciou a melhora na circulação sanguínea, diminuindo os casos de gangrena, o quadro geral de saúde dos pesquisados melhorou e, como um fato relevante, a melhora da visão e evita o encurvamento da coluna

3º. Ao acordar, deitado de barriga para cima pedalar 120 vezes no ar. Esse exercicio melhora o posicionamento da coluna e da postura, diminuindo ou retardando o encurvamento das costa e aliviando as dores nas costas, baixando a pressão

4º. Ao perceber que a pressão subiu, coloque as pernas dentro de um balde com água muito gelada até os joelhos. Permaneça nesta imersão por 20 min. Este processo fará com que o organismo, na busca de aquecer os membros inferiores, faça com que o acúmulo de sangue na cabeça desça, baixando a pressão.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Principais hormônios estimulados pela massagem terapêutica.


A massoterapia é a ferramenta anátomo funcional que eleva o drive neural potencializando as transduções de sinais em áreas “madrinha” do sistema nervoso central.

Na massagem terapêutica é estimulado o campo sensorial tato que proporciona liberações dos principais hormônios moduladores, tais como:

- Melatonina (hormônio contra estresse, regulador do sono e do sistema imunológico)
- Serotonina (hormônio sedativo,anti depressivo, calmante)
- Endorfina (hormônio de ação analgésica, estimula a sensação de bem-estar, conforto, melhora do estado de humor e alegria).

Fonte : Toque de vida artblog

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Reserve um tempo para a massagem


Pensamento convencional: massagens regulares aumentam o fluxo sanguíneo nos músculos e removem resíduos metabólicos.

Visão alternativa: as massagens podem diminuir o fluxo sanguíneo e a remoção dos resíduos metabólicos.

Desde a época em que os maratonistas eram massageados há um século, a massagem tem sido utilizada como ferramenta preciosa de recuperação. Muitos atletas acreditam que a massagem aumenta o fluxo sanguíneo nos músculos e removem resíduos metabólicos. Mas essa suposição nunca foi testada cientificamente durante uma massagem pós-exercício, até que um estudo canadense foi apresentado na conferência da American College of Sports Medicine em 2009.

Você deve tentar?

Embora a massagem possa não eliminar por completo suas dores musculares pós-corrida, estudos demonstraram que ela reduz a ansiedade e diminui a pressão sanguínea, entre outros benefícios.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Massagem: luxo ou necessidade



Necessidade, sem dúvida nenhuma.

Realizar uma massagem por semana ou a cada 15 dias para quem pratica esporte é uma grande forma de prevenção de lesões por sobrecarga. Entenda-se por massagem, aquela quando várias técnicas são usadas para "soltar" o músculo, liberar as articulações por meio da mobilização dos tecidos moles, relaxamento mental profundo.

Literalmente, dormir enquanto recebe a massagem é um benefício maravilhoso, aumentando o nível de concentração devido ao relaxamento. Massagens com a intenção de apenas "passar creme", ou seja, extremamente suave, não gera benefícios musculares como as que mobilizam o músculo e que, às vezes, causam dor, mas passa logo que a mão para de pressionar o ponto doloroso.

Muitas vezes, sentimos a mão do profissional por alguns dias, pois a área que foi massageada fica sensível, mas com certeza o nódulo está diminuído, estando em condições melhores para contrair e fazer sua função.

Quando a massagem lesiona? Quando é feita por profissionais que não conhecem anatomia, que não apresentam técnicas adequadas, que trabalham apenas no instinto, ou quando - e este é o grande perigo - manipulam as articulações (estralar as costas). Apenas permita que "estralem as costas" pessoas que estejam habilitadas a realizarem esta técnica, ou seja, terapeutas com formação em terapia manual, osteopatia ou quiropraxia. E, mesmo assim, para poder realizar esta técnica com segurança, o terapeuta vai pedir para ver o RX da coluna ou questionar exaustivamente sobre seu estado de saúde, principalmente tratando-se da coluna cervical.

A recomendação básica para massagem em atletas é:

1-Não realize antes de jogar, pois fica muito relaxado. Pode-se fazer um aquecimento superficial para mobilizar o músculo antes de jogar, rapidamente.

2-Caso você não seja acostumado a receber massagem, nunca comece em um torneio.

3-Procure realizar no dia anterior ao descanso semanal. Por exemplo: não há treino no sábado, na sexta à noite, após o treino, realize uma massagem geral no corpo.

4-Não acostume seu corpo a relaxar apenas com a massagem, utilize-se de outras maneiras e deixe a massagem como uma carta na manga, pois se apenas relaxar com a massagem, o dia em que não houver a possibilidade de realizá-la, o corpo vai sofrer e diminuir a performance.

5-Escolha o seu massoterapeuta com muito critério, questione sua formação, o tipo de massagem a ser executado, o local a ser realizado, entre outros.

6-As técnicas de Shiatsu são maravilhosas, mas como são técnicas de pressão podem causar dor no momento da execução. Converse antes, para não se surpreender. Mas, como dizem , "foque no benefício, que a dor passa".

A recomendação é que todos deveriam se dar este momento maravilhoso durante a semana, ou quando vão para um hotel. No Nordeste, por exemplo, eles aprimoram a técnica com as macas em gazebos na beira da praia, sentindo o vento suave. Não há como resistir ao relaxamento. Então, tire férias uma vez por semana, por uma hora. Seu corpo agradece.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Massagem com bola de tenis alivia dores lombares




Deitado de costas no chão, com uma bolinha de tênis posicionada logo acima do osso sacro, que fica na base da coluna vertebral, role lentamente o corpo para a direita e para a esquerda.

No movimento, a pressão da bola massageia toda a região lombar, relaxando os músculos enrijecidos pelos treinos,competições ou por qualquer estresse do dia a dia.

Os benefícios não são apenas para quem tem algum problema de saúde, e a prática não exige um conhecimento tão aprofundado de técnicas corporais .
Ao contrário, um dos trunfos da automassagem é que ela está, literalmente, à mão de qualquer um. E pode ser feita sem hora marcada e sem custos.

Exige alguma prática e habilidade? Segundo os especialistas, não necessariamente. “Quando sentimos alguma dor, instintivamente passamos a mão no ponto dolorido. A automassagem, em sua forma mais simples, é justamente deslizar, friccionar ou fazer certa pressão com as mãos e os dedos nos músculos”, diz a fisioterapeuta Paula Nina, da Luiza Sato Shiatsu, clínica de terapias corporais de São Paulo.

A fisioterapeuta Paula Bachi, da academia Bio Ritmo, acredita que todo mundo pode tirar proveito da automassagem –e, de preferência, deve fazê-la todos os dias. “Problemas corriqueiros, sobrecarga por exercício, tudo isso acaba enrijecendo os músculos. Quando você se massageia, sabe onde necessita relaxar e o quanto de pressão exercer para não causar dor.”

Claro que aprender algumas técnicas ajuda. Michelly Eggert, professora do curso de naturologia da Universidade Anhembi Morumbi, afirma que a automassagem é um complemento de massagens aplicadas por profissionais. “Ela funciona como manutenção do bem-estar obtido em uma massagem profissional. Mas é importante a pessoa aprender os movimentos exatos para alcançar esses efeitos”, diz Eggert.

O massoterapeuta Sidney Donatelli, da Associação de Massagem Oriental do Brasil, que oferece cursos de automassagem com técnicas baseadas na medicina tradicional chinesa, esclarece que há pontos específicos para se exercer pressão ou fricção, mas os movimentos são simples e não é obrigatório fazer um curso para poder se automassagear.

“Todo mundo pode fazer. A automassagem tem um sentido profilático, ajuda a manter a saúde e a prevenir doenças. Ela pode melhorar pequenos sintomas, como dores musculares ou cefaleia tensional. Se esses sintomas forem recorrentes ou muito agudos, é preciso o acompanhamento de um profissional”, diz Donatelli.

Ao se automassagear, a pessoa dificilmente ultrapassa os limites do corpo, porque naturalmente diminui a intensidade da massagem ao sentir dor ou desconforto. E, conforme incorpora a prática à rotina, vai aumentando a consciência corporal. Além disso, dedicar um tempo a si próprio, concentrar-se em partes de seu corpo e respirar mais lentamente já induz um estado de relaxamento.

Contra a tensão

Para Marcos Freire Jr., autor do livro “Automassagem e Medicina Chinesa” (ed. Mauad, 144 págs., R$ 40), a automassagem pode começar com o toque físico, mas, ao fazê-la regularmente, a pessoa acaba desenvolvendo a concentração em seu corpo e na respiração e aprende a distinguir os pontos de tensão e o que leva ao enrijecimento dos músculos.

O efeito mais evidente é na tensão muscular, auxiliado pela produção de calor no local massageado, segundo Eggert, mas ela também acredita que os efeitos não físicos são os mais importantes. “A automassagem apresenta mais benefícios do que contraindicações”, diz.

As condições que contraindicam ou limitam a aplicação da massagem também se aplicam à automassagem. Pessoas com lesões na pele ou nos músculos, inflamações dos tendões, trombose venosa ou câncer não devem se massagear sem receber o aval do médico e orientação sobre como aplicar a técnica.

“São situações em que determinados pontos do corpo não podem ser estimulados, o que torna a massagem arriscada se não for acompanhada por um profissional de saúde”, diz Nina.

Quando não há impedimento, cerca de 20 minutos de automassagem são suficientes para promover relaxamento e melhorar a organização do corpo. “Quem quiser e tiver disponibilidade, pode fazer uma sessão completa, dos pés à cabeça, que leva cerca de 50 minutos.

Se isso não for possível, a pessoa pode automassagear apenas as áreas que estão mais tensas ou doloridas. Mas 15 minutos é o mínimo para as redes neurais receberem os estímulos dos toques na pele e nos músculos”, diz Donatelli.

Óleos e cremes hidratantes podem ser usados para ajudar no deslizamento ou na fricção das mãos sobre os músculos e aumentar a sensação de bem-estar. Porém, se a técnica de automassagem for a de pressionar pontos específicos com as pontas dos dedos, é melhor não usar nada, segundo Donatelli.

Além dos produtos comerciais comuns, podem ser usados óleo base para massagem ou creme hidratante neutro e sem aroma acrescidos de óleos essenciais com propriedades específicas. “O óleo essencial de lavanda é muito relaxante. O “lemon grass” [capim-santo] aumenta a vascularização do tecido muscular. Já o óleo essencial de alecrim, que também melhora a circulação e promove aquecimento do músculo, deve ser evitado por pessoas com problemas vasculares e hipertensão”, exemplifica Eggert.

Há também alguns massageadores manuais ou elétricos à venda no mercado. Mas os iniciados em automassagem preferem usar acessórios como bolinhas de tênis e pedaços de bambu, que não foram feitos especificamente para massagem, mas costumam ser eficazes para relaxar os músculos ou estimular pontos específicos do corpo.

Fonte: FATAE

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Massagem de contato


Massagem é um Procedimento de Contato. Trata-se do recurso fisioterápico mais antigo. Desprezado por algumas gerações de profissionais que não queriam ser confundidos com "massagistas", é um procedimento que nunca deixou de ser prestigiado pelos que sempre tiveram uma abordagem "manual" da profissão. Atualmente, quando se reconhece que as "terapias manuais", em que a mão do terapeuta é o principal recurso, são as mais eficientes, é hora de se voltar para sua utilização com especial atenção.

Através da massagem estimulam-se mecanicamente os tecidos moles, o que tem efeitos circulatórios, em especial venosos e linfáticos, por produzir variação no calibre dos vasos; efeitos relaxantes ou tonificantes, por estimular receptores nervosos musculares, tendinosos, articulares e cutâneos; efeitos preventivos na formação de aderências do tecido conjuntivo pós-imobilização ou cicatrização; efeitos de drenagem das vias respiratórias.

Existem várias formas de aplicação dessa força mecânica. Cada gesto, cada forma de manipulação dos tecidos leva um nome e tem um efeito mais circulatório, mais tonificante, mais desaderante, e assim por diante. A massagem clássica descreve o deslizamento superficial, o deslizamento profundo, a fricção, o amassamento, a percussão e a vibração.

A massagem de zonas reflexas é um procedimento cujas origens remontam ao final do século passado, quando a teoria das zonas reflexas foi abordada pela primeira vez por Head Mackenzie.

Wolfrang Kohlrausch desde 1937 estudou e confirmou que transformações hipertônicas de uma determinada região estão relacionadas com um órgão portador de patologia. Por exemplo, uma crise de apendicite associa-se com uma hipertonia muscular característica de músculos do abdome e dorso, assim como do psoas, ilíaco e diafragma. Em problemas funcionais crônicos, fora de períodos inflamatórios, demonstrou-se que o tratamento da região hipertônica leva a uma diminuição rápida dos sintomas.

Um mapa das zonas cutâneas relacionadas com órgãos internos foi estabelecido e manobras de diagnóstico e tratamento das hipertonias foram descritas. Essas formas de manipulação são diferentes daquelas das massagens clássicas. Em massagem reflexa, descrevem-se o pinçamento, os traços longitudinais e transversais, o deslizamento longitudinal da prega cutânea e o transversal da prega cutânea.

Os efeitos reflexos cutaneoviscerais advindos desse tipo de massagem ainda merecem pesquisas e comprovações; no entanto, as manipulações reflexas têm efeitos seguros sobre a tonicidade muscular. Se forem aplicadas sobre a região paravertebral, onde as zonas hipertônicas estão mais concentradas, o efeito de diminuição do tônus se evidencia pela melhoria da flexibilidade da região.

Mesmo as manobras da massagem clássica podem obter efeito semelhante. Elisabeth Wood e Paul Becker citam o trabalho realizado por Nordschow e Biermann (77) sobre 25 pessoas normais para determinar se a massagem manualmente aplicada poderia causar relaxamento muscular. Os autores utilizaram um procedimento extremamente simples e conclusivo. A tensão da musculatura posterior das pernas, das coxas e do dorso foi testada através de um teste dedos-chão: cada pessoa em pé com os joelhos esticados flexionou o tronco e tocou ou tentou tocar o chão com as pontas dos dedos das mãos. Depois, foi realizada uma massagem na região dorsal do tronco durante quinze minutos e na região posterior de cada membro inferior durante sete minutos e meio cada uma. O teste foi repetido e os resultados anotados. Os autores concluíram que apenas a utilização da massagem manual pode levar ao relaxamento da musculatura.

No entanto, as manobras de massagem de zona reflexa são ainda mais eficientes na obtenção desse efeito.

Exemplos de procedimentos de massagem de zona reflexa



Pinçamento.







Traços longitudinais.










Traços transversais.






Deslizamento transversal de prega cutânea.







Deslizamento longitudinal de prega cutânea.

sábado, 13 de novembro de 2010

Alongamento da panturrilha


UM CORAÇÃO NA PERNA Muito usada durante a corrida, a panturrilha deve ser trabalhada e alongada com exercícios específicos para evitar lesões. Na hora de aquecer, uma área não pode ser deixada de lado: a panturrilha. A chamada batata da perna é um dos músculos mais solicitados no treinamento. “É considerado o coração periférico do corpo”, explica Alexandre Huang, diretor da Marathon Club Assessoria Esportiva, na Bahia. “Possui a capacidade de facilitar o retorno venoso, ou seja, a volta do sangue para o coração.” Essa função é importantíssima e, por isso, a panturrilha precisa estar bem alongada e exercitada (existem séries específicas para melhorar a circulação e o fortalecimento). “É importante fazer um trabalho de posição da ponta do pé e do calcanhar”, comenta Patrícia Borges Rocha, fisioterapeuta da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). “Assim, o músculo da batata da perna fica mais habilitado para enfrentar provas mais fortes.” Os exercícios ajudam no fortalecimento, mas outros indícios devem ser levados em consideração para evitar problemas futuros. “O aumento exagerado no volume dos treinamentos, percursos irregulares e recuperação inadequada podem causar estiramentos, perda de força e a famosa câimbra”, esclarece Alexandre Huang. Para evitar esses problemas e manter a panturrilha pronta para qualquer corrida, a fisioterapeuta Patrícia Borges sugere alguns exercícios que podem ser feitos em qualquer lugar. 1 MENOS CÂIMBRA Para promover a contração muscular e aumentar a circulação sanguínea, deite no chão e flexione o pé para a frente, alternando o lado direito e esquerdo. Faça dez movimentos.

2 ALONGAMENTO TOTAL Para manter toda a região inferior bem alongada, posicione os pés paralelos à distância dos ombros. Apoie as mãos na coxa e dê um passo à frente com a perna a ser esticada, com o joelho na mesma linha do calcanhar. Faça uma leve pressão do calcanhar contra o chão e mantenha nessa posição por 20 segundos. Repita o movimento com a outra perna.


3 UNILATERAL Com a ajuda de uma escada, segure no corrimão, dobre uma das pernas, colocando todo o peso em cima da panturrilha, e faça movimentos de flexão. Realize dez movimentos de cada lado.


4 BILATERAL Em uma escada, faça movimento de flexão da ponta do pé e do calcanhar com as duas pernas ao mesmo tempo. Realize dez movimentos.


Fonte: o2

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Dicas para prevenir as dores de coluna



Veja sete hábitos que podem melhorar, e muito, as dores nas costas

Uma grande parcela da população nos dias de hoje, convive com dor nas costas, resultado de má postura, inatividade física, posições incorretas no ambiente de trabalho, nos afazeres domésticos entre outros fatores associados incluindo, a execução errada de exercícios. A saúde da coluna é fundamental no dia-a-dia. Quando está bem, não nos damos conta do quão importante ela é. No entanto, quando temos dores é que percebemos o quanto somos afetados.

Claro, os problemas não surgem da noite para o dia. A grande maioria das pessoas hoje, trabalha sentada numa posição estática ou com movimentos repetitivos porém com amplitudes reduzidas e ambas as situações são prejudiciais. Abaixo, algumas dicas de como proteger a coluna lombar no dia-a-dia e aumentar a sensação de bem-estar.

1) Mantenha a boa postura da coluna
Manter a "posição neutra" nada mais é que manter essa curvatura na realização de nossas atividades diárias. O contrário de manter essa posição neutra seria o de arredondarmos a coluna, de forma similar a que acontece quando inclinamos nosso corpo à frente.

2) Carregue objetos próximos ao corpo
Ao carregarmos objetos, especialmente objetos pesados, quanto mais próximos os mantivermos de nosso corpo, menor será a força que teremos de fazer, e menor será a carga que será imposta nossa coluna lombar.

3) Sente-se de maneira correta
Sentar-se com os quadris e joelhos dobrados a 90º é popularmente conhecida como "a maneira correta" de se sentar. Entretanto, não é realmente a ideal. Para mantermos a saudável curva da coluna é necessário que o ângulo entre nossas coxas e nosso tronco seja um pouco maior que 90º. Um travesseiro dobrado é a melhor aposta. Isso ajuda a manter a posição neutra da coluna lombar e assim ela estará mais protegida e você, mais confortável.

4) Quando trabalhar sentado execute intervalos
Levantar-se de tempos em tempos ao se trabalhar sentado é essencial para diminuir a sobrecarga na coluna. Após ficar alguns segundos em pé, alongue-se, esticando o corpo para cima e para trás, respire fundo.

5) Mantenha o condicionamento físico
Mantenha o bom condicionamento de sua musculatura das costas e do abdômen. Outra importante dica é tentar manter uma boa flexibilidade do corpo.

6) Evite dobrar a coluna logo após acordar
O nosso disco intervertebral, quando ficamos deitados ou muito tempo sem nos movimentar, tende a acumular líquido em seu núcleo. Se dobrarmos nossa coluna a frente quando muito líquido está no disco, a pressão contra o disco será grande, e assim correremos o risco do líquido romper o disco, causando uma hérnia.

7) Em caso de dor, procure um profissional
Caso você esteja sentindo alguma dor em sua coluna lombar, procure um especialista. As dores lombares podem ter diversas origens. Identificar o que realmente está acontecendo é fundamental para o tratamento adequado.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Técnicas de automassagem



Uma das melhores coisas do mundo é chegar em casa depois de treinar forte – na rua ou na academia – e ter, à disposição, um “personal massage”, para cuidar dos pés, das pernas e das articulações tensas.

Os atletas constantemente precisam relaxar os músculos que se contraem na corrida, tanto para garantir a recuperação apropriada para futuras provas e treinos quanto para manter o bom funcionamento das “ferramentas” do corpo. É ai que a massagem aparece como aliada no combate ao desconforto e a dores específicas.

Automassagem faz efeito sim

No campo da automassagem, o triatleta norte-americano Rich Poley transformou sua experiência pessoal em livro. Depois de passar um final de semana inteiro se submetendo a sessões “solitárias” de massagem, enquanto treinava para disputar – e vencer – seu primeiro Ironman, em 2001, ele passou a estudar a técnica. Leu artigos e estudos, consultou terapeutas especializados e assistiu a milhares de sessões de massagem.

Poley, como resultado de tanta pesquisa, desenvolveu um método próprio, descrito no livro “Self-Massage for Atlhetes” (Automassagem para Atletas, sem lançamento previsto no Brasil) e divulgado incessantemente em palestras, pelo próprio autor. Ele garante que dez minutos de compressão e movimentos suaves em áreas musculares, depois de correr, podem aliviar tensões e dores. O único alerta que faz é que a atividade serve como auxílio complementar e não exclui a necessidade de se fazer um treinamento programado sob supervisão de um profissional especializado.

Use as próprias mãos

Uma das grandes vantagens terapêuticas da automassagem é que ela é capaz de integrar o indivíduo com seu próprio corpo e colocá-lo em contato com suas sensações. Segundo afirma Ana Claudia Ventura, terapeuta do Espaço Girassol, em São Paulo, a pessoa se determina a cuidar de si própria, o que é muito positivo. Esse tipo de terapia corporal ajuda a aliviar o estresse, o cansaço, ativa a circulação sangüínea e dá a sensação de conforto e bem-estar.

Outra dica de Ana Claudia é utilizar óleos naturais, de origem vegetal, nas sessões de automassagem. Além de permitirem um contato sem atrito, eles nutrem os tecidos da pele. Estes óleos podem ser aromatizados e devem ser aquecidos para ter maior absorção pela pele. E cada aroma pode proporcionar uma sensação diferente. “Os aromas cítricos, como a erva-cidreira e a laranja doce, têm efeito estimulante. Os doces, como o jasmim e a lavanda, são ótimos para o relaxamento. Os aromas fortes como a madeira e a canela aliviam a musculatura”, ensina a terapeuta.

Mesmo sem dominar técnicas específicas, qualquer pessoa pode realizar movimentos que garantam relaxamento e prevenção de dores ou desconforto. Confira algumas dicas da terapeuta Ana Claudia Ventura e mãos à obra.

Passo a passo

Comece a massagem pela cabeça, com movimentos circulares nas têmporas. No rosto, trabalhe de baixo para cima e de dentro para fora, com movimentos longitudinais. Desça pelo tronco e abdômen, trabalhando com movimentos circulares (eles ajudarão, inclusive, a estimular as funções do intestino). A cervical pede movimentos circulares e as laterais das costas devem ser massageadas de cima para baixo. Os pés pedem movimentos mais vigorosos, circulares entre os dedos, e na sola dos pés deve ser longitudinal nas laterais. Tente usar uma bolinha de tênis ou pedaço de bambu para acariciar os pés, jogando todo o peso do corpo sobre o objeto.

Dicas importantes
- Nas articulações (joelhos, cotovelos e punhos), realize sempre movimento circulares.
- Nos membros (mão, pés, braços e pernas), os movimentos devem sempre ser longitudinais.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Massoterapia Clínica


Um Pouco de História
Uma menina sente uma dor incessante. A mãe ouviu de uma amiga que existe um curandeiro, não muito longe de casa, capaz de curá-la. Um dia, a mãe leva a menina ao curandeiro. Ele faz algumas perguntas e, em vez de lhe dar algo para engolir, pressiona e esfrega vários pontos com suas mãos hábeis. Quando o curandeiro termina, a menina percebe que a dor diminuiu. A mãe paga o curandeiro e elas partem. Um ou dois dias depois, a dor desaparece completamente.

Esses eventos poderiam muito bem ter ocorrido na China 1.000 anos a.C. . Também poderiam ter ocorrido na Índia, pelo menos até o início do século III a.C. . O curandeiro em questão poderia ter sido Herodicus ou seu aluno Hipócrates, na Grécia do século V a .C., ou ainda Asclepíades, que instituiu a prática em Roma no século I a.C. .A história também pode ser contada freqüentemente hoje, graças à redescoberta e ao desenvolvimento da massoterapia clínica, o uso da manipulação manual dos tecidos moles para aliviar queixas específicas de dor e disfunção.

A prática da massoterapia caiu em desuso no mundo ocidental desde o declínio de Roma até o século XVIII, quando o Iluminismo renovou o interesse na exploração das fronteiras do conhecimento médico. No começo do século XIX, Per Henrik Ling desenvolveu um sistema de massagem e exercícios médicos, que foi disseminado por seus seguidores em todo o mundo ocidental nos anos subseqüentes. Esse sistema influenciou profundamente o nascimento e o avanço da fisioterapia, e os elementos de massagem tornaram-se o que é conhecido hoje como massagem sueca ou massagem clássica. Esse tipo de terapia foi continuamente praticado em clínicas especializadas e SPAs durante o século XX, mas era considerado um luxo disponível apenas para os ricos; não foi acatado como um procedimento terapêutico até o ressurgimento gradual da massoterapia, nos últimos 30-40 anos. Junto com a massoterapia, o termo trabalho corporal ou reeducação corporal (bodywork) passou a ser de uso comum.

Ele surgiu de duas fontes principais: primeiro, o psiquiatra Wilhelm Reich, discípulo de Freud, pressupôs a expressão da personalidade pela estrutura corporal e formulou a abordagem do tratamento simultâneo do corpo e das emoções. Seu trabalho teve prosseguimento com Alexander Lowen, no sistema denominado bioenergética. Outros terapeutas, como Ron Kurtz, também atuaram em linhas terapêuticas semelhantes.

Posteriormente, Ida Rolf desenvolveu um sistema que denominou integração estrutural, mas que acabou sendo chamado de Rolfing®, em sua homenagem. A abordagem de Rolf enfatiza a reestruturação da fáscia. Quando unimos os termos “massagem” e “bodywork”, como no nome do Nacional Certification Board for Therapeutic Massage and Bodywork (Comitê Nacional de Homologação em Massoterapia e Trabalho Corporal), concluímos que essas duas correntes estão em processo de fusão e muitos terapeutas se consideram herdeiros e praticantes de ambas as tradições.

James H. Clay
Master em Massagem Hospitalar
David M. Pounds
Bacharel em Ciências

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Medicina Integrativa


Medicina Integrativa
Uma Nova Visão da Boa Saúde

União de Terapias
A medicina integrativa é uma proposta e um projeto que, atualmente, circula pelo mundo todo, seja na área ocidental, seja na área oriental. Basta uma simples busca na internet para se descobrir todos os eventos - em grande escala - sobre a mesma, que estão acontecendo na Comunidade Européia, nos EUA - www.imconsortium.org - no Japão e, em menor, escala na China, no Brasil, especialmente, em São Paulo, organizados por este autor, junto a um comitê organizador - e pela primeira vez, em outubro p.f., em Jerusalem, Israel.

A medicina integrativa traz no seu conteúdo, a junção criteriosa e metodológica, da medicina convencional, da medicina ayurvédica, da medicina chinesa, do yóga clássico didático e tradicional, da acupuntura, da psicologia, da homeopatia, da nutrição, da fonologia, de diversas terapias reconhecidas, em uma ampla e séria relação de parceria, onde busca-se levar, propor e dar à sociedade civil no seu conjunto, uma “condição de saúde somatológica e biológica”, mais justa, mais equilibrada, mais acessível e, acima de tudo, mais saudável. E apoiada em projetos e programas, sejam propedêuticos ou terapêuticos, com base em históricos ou em diagnósticos extensivos, não só dos pacientes, mas - sempre que possível - também dos familiares, e se for o caso, até mesmo do entorno profissional ou social dos mesmos. E, esta nova concepção proposta pela “Medicina Integrativa”, visa e busca, resultados e benefícios mais sólidos, melhores, mais completos e mais humanizados.

Com isto, não vamos supor que o atual aparato tecnológico voltado para prospecção de doenças, não seja avançado e valioso, mas sim, que se tornou desumanizado, frio e distante dos valores humanos fundamentais, apregoados e propostos nos princípios já distantes da medicina tradicional, que com o decorrer do tempo, se por um lado gerou avanços notáveis e fantásticos, por outro, lentamente causou uma lacuna e um abismo delicado entre o médico convencional e o paciente.

Por favor, com isto - junto com milhares e milhares de outros profissionais do mundo inteiro - não estamos tentando mudar os princípios e os cânones da medicina convencional, mas somente, com base em números e estatísticas sólidas, seja na Comunidade Européia, EUA, Japão e, outros locais, não só mostrar e provar que algo na área da medicina convencional está se defasando, se desagregando, mas, que ao mesmo tempo, um fenômeno novo, sério, bem fundamentado e metodológico chamado medicina integrativa está nascendo devagar, mas, de forma segura, consistente e irreversível.

Repensando a Boa Saúde
Há também, dados sérios adicionais no mundo todo - e fáceis de serem comprovados na mídia ou na internet - que mostram que a maior parte da população do planeta, seja por qual motivo for, tem se afastado, paulatinamente, da medicina convencional e buscado constantemente outros meios de cura ou mesmo de manutenção da boa saúde. E isto sinaliza claramente uma nova forma de pensar e ainda de agir. Tal fato, envolve desde os valores salgados e impraticáveis de planos de saúde, que deixam muito a desejar, muitas vezes, enganando e lesando os segurados, as políticas públicas, cujo dinheiro público escoa - em grande parte - pelos ralos da corrupção, falta de informações sérias e transparentes em remédios, produtos ou mesmo sobre tratamentos médicos convencionais e, pior, falta por parte de um grande número de profissionais médicos convencionais, da compreensão e entendimento, que paciente não é um número ou um cifrão, mas sim, um ser humano dotado de sentimentos, valores e percepção, além de afeto e auto-estima.

Benefícios da Boa Saúde
É aqui que o conceito de medicina integrativa como o próprio termo já explicita, traz em seu bojo, a proposta e o mérito de uma visão mais humanista e avançada, sem deixar de lado, sob nenhum aspecto ou sob nenhuma hipótese, os fundamentos científicos ou metodológicos das suas atividades, mas, dando ênfase para o ser humano integral. A medicina integrativa, que traz na sua proposta mundial, a busca de uma profunda e harmoniosa integração entre diferentes áreas profissionais, visa antes e acima de tudo, o benefício, se possível total, para a saúde do paciente, que antes de tudo é um ser humano, e precisa ser visto, tratado e respeitado desta forma. E, não há outro caminho, não há outra direção. E a medicina integrativa é um ‘modelo novo’ de benefício para a boa saúde, onde os profissionais podem olhar e ouvir os pacientes, com tempo, dedicação, cuidados especiais e fraternidade. E não, por atacado ou por baciada, sem nem mesmo olhar no rosto da pessoa ou ouvi-la falar, pois tudo se tornou muito ou só diagnóstico, o que digamos, convém - claro - aos grandes laboratórios, que também atendem por atacado ou por baciada, gerando muitas vezes, erros delicados e problemáticos, inclusive na troca de resultados. É claro, que não se pode esquecer que o profissional, exerce sua profissão, aufere seus proventos a partir da mesma, e esta também é uma realidade inexorável. Mas, o fator custo-benefício tem que ter equilíbrio, equivalência, procedência.

Novos Caminhos
Na medicina integrativa acontece uma tendência natural e positiva, da junção, da fusão, da soma de esforços de diferentes áreas e campos profissionais, no sentido de que, tanto a prevenção - a propedêutica - quanto à busca da cura - a terapêutica -, não fique isolada, restritas, presas ao viés de um único tipo de profissional, de um único segmento de detentores de saber. Mas sim, que diversos e diferentes segmentos profissionais, como os citados na primeira parte desta matéria e até mesmo outros, possam dentro da visão e da proposta da “Medicina Integrativa”, atuarem, interagirem juntos, em sinergia, e acima de tudo, buscando para o (a) interessado (a) ou paciente, resultados positivos e benefícios, que um só profissional de uma só área, ou mesmo, diversos profissionais de uma só área específica, por falta de uma visão mais ampla, mais complexa e mais profunda, não conseguirão.

Ser Saudável e Feliz
A este respeito, a “Medicina Integrativa” propõe um retorno do tratamento do todo e não só desta ou daquela parte, e a visão final é o ser integral e não, só um corpo material, composto por pura matéria. Há que ser, ver e respeitar sempre a mente e o somatológico emocional, nervoso e psicológico do ser humano, pois se estes fatores não forem observados e considerados, tudo vai continuar como está, pois é mais cômodo e gera mais lucros, para a mega-indústria de produzir e manter doentes ou semimortos, vide os preços e os lucros bilionários de remédios, que além de não curar nada nem ninguém, são drogas que viciam e trazem efeitos químicos colaterais pesados. Então, vale também, alertar a sociedade sobre tais fatos gravíssimos, mas trazermos propostas novas, sérias e bem fundamentadas em termos metodológicos e científicos. E esta é a visão inovadora e sem precedente contida no âmago da medicina integrativa. E, que acima e além de tudo, a sociedade, as pessoas como seres humanos, possam assimilar e se beneficiar seriamente dos princípios, dos conceitos e da proposta magna da medicina integrativa. Sejam todos muito bem vindos a uma tentativa de, e por um novo aeon, um mundo novo e melhor, mais feliz, mais saudável e mais equilibrado!

Portanto, agora, esperamos o apoio e a participação da sociedade, da mídia e de outros profissionais, para juntos, tentarmos pelo menos, se não mudar, melhorar um mundo arcaico, doente e decadente, onde predominam os vícios, a apatia, a covardia e a acomodação.

Respeitosamente, Profº. Dr. Claudio Duarte
Secretário Exceutivo da PACY Internacional
UNESCO MEMBER
Presidente da Associação Brasileira de Yóga
Telefone: (11) 3288-8860

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Slacking


Corda Banba - O esporte desenvolve o equilíbrio e trabalha os músculos abdominais

Surgido nos Estados Unidos nos anos 80 pelos praticantes de escalada que em dia de chuva não tinham o que fazer, o slackline virou febre no Rio de Janeiro. O esporte consiste em prender uma corda resistente de um ponto a outro e caminhar sobre ela. No Rio, Luana Piovani, Caio Castro e até as gêmeas do nado sincronizado, Bia e Branca Feres, já particaram o esporte.

Como exige uma concentração grande para sua execução, o slackline é excelente para desenvolver o equilíbrio, resistência muscular e trabalhar a lateralidade. Na sua prática, os músculos abdominais também são bastante solicitados.

Fonte: ego.com.br

Liberação do retorno venoso


LIBERAÇÃO DO RETORNO VENOSO - VARIZES
As veias dos membros inferiores formam um complexo sistema encarregado de levar o sangue de volta ao coração. Compõe-se de três elementos: O superficial (próximo a superfície cutânea); o profundo, formado por veias calibrosas, e os das veias comunicantes, permite o fluxo do sentido superficial para o profundo. O pulso arterial e o impulso das contrações cardíacas favorece a circulação venosa ascendente nos membros inferiores.

A terapia natural de liberação e facilitação do retorno venoso, onde são realinhados os músculos por onde passam as principais veias do retorno venoso, dando mais elasticidade e melhora do tônus, sendo necessário o uso do aparelho de estimulação da circulação venosa. Este equipamento vai produzir um exercício passivo sem esforço físico para melhorar o fluxo do retorno venoso e com uso não haverá dores nas pernas pesadas, etc.

O Aparelho Estimulador da Circulação Venosa que ajuda na facilitação do retorno venoso provocando a contração dos vasos capilares e acionando o funcionamento dos glomos. Esta prática mantém os vasos sangüíneos desobstruídos e em constante atividade. Pode ser praticado por pessoas de qualquer idade, saudáveis como prevenção e recuperação. O exercício vasocapilar, baseia-se na teoria probiótica. Quando o capilar está contraído, o sangue das arteríolas flui diretamente para as vénulas através do glomos. Este é o mecanismo da força motriz da circulação venosa.

Fonte: Folheto do Instituto de Terapias Naturias “Viver sem Dor” de Dr. Daniel Gerimias.

Segue algumas dicas básicas para serem seguidas:

- Tente evitar ficar em pé por longos períodos e sempre que puder use sapatos adequados;

- Se suas pernas estiverem um pouco inchadas, as mantenha em posição elevada durante a noite, e durante o dia;

- Massageie suas pernas com uma ducha, (não precisa ficar por longos períodos) principalmente os pés e a pernas, com água não muito fria aproximadamente 4 x ao dia, quanto maior for o efeito da ducha melhores serão os resultados sobre as dores e inchaços;

- Sempre que puder, faça uma massagem leve e suave com a ponta dos dedos nas pernas, deixa-as levemente elevadas, faça isso por 6 meses, após esse período o intervalo pode ser 1 vez por semana;

- Caminhe, ande de bicicleta, faça pilates, yoga, enfim... ginástica nunca é demais. Evite esportes e atividades que exijam movimentos de grande impacto nas coxas;

- Beba em torno de 2 litros de água diariamente e mantenha seu peso dentro do normal sempre que possível;

-Sempre que possível evite se expor a temperaturas elevadas (praias.. as 12h em baixo de um super sol!!!). Procure ambientes mais frescos e arejados. Saunas, banhos quentes são locais pouco apropriados para quem tem varizes, tente evitar;

- Não ingira anticoncepcionais, converse com seu médico;

- Use meias elásticas - é um tratamento simples e eficiente. Através da pressão das meias elásticas, as veias são comprimidas, fechando as válvulas então elas irão se normalizando e o retorno venoso é feito com mais eficiência, deixando uma sensação de alívio a dor e ao desconforto das pernas, além de promover o desaparecimento dos edemas.

domingo, 7 de novembro de 2010

Massagem Kalari


Para quem não consegue liberar a tensão com banho quente ou sessões de quick massage, está se popularizando no país uma técnica que tem origem em tradições ligadas a artes marciais indianas, a massagem Kalari. O nome deriva do sânscrito "escola" e se refere a uma das tradições mais antigas do mundo.

A técnica é baseada nos ensinamentos da medicina ayurvédica e traz exercícios de ioga, respiratórios e de meditação. Em alguns momentos, o paciente é literalmente pisado pelo terapeuta, pois não só as mãos são usadas no tratamento revitalizante, que dura cerca de uma hora e meia. "Além de relaxante a massagem proporciona eliminação de líquidos e toxinas, ativa o metabolismo, aumenta a imunidade e contribui para o processo de rejuvenescimento" conta Ceila Portilho Maciel, terapeuta indiana do Spa Posse do Corpo, no Rio de Janeiro.


Segundo a especialista na técnica, a massagem Kalari é indicada para manutenção geral da saúde corporal e psíquica, reduz tensões emocionais e musculares, estimula a circulação sanguínea e linfática, além de proporcionar o bom funcionamento dos órgãos.

Os movimentos não são padronizados e mudam de acordo com o paciente, pois idade, necessidades imediatas e eventuais problemas de saúde conduzem o tratamento.

A técnica é indicada para atletas, bailarinos, praticantes de artes marciais e, em geral, para todas as pessoas que precisam ter um corpo mais flexível, além de quem sofre de insônia e quer se livrar dos sintomas do estresse.

E uma massagem profunda, feita com mãos, antebraços e pés. Com movimentos vigorosos e alongamentos durante a massagem, provoca relaxamento profundo da musculatura. Indicada para pessoas bem estruturadas corporalmente, praticantes de atividades físicas e boa musculatura. Excelente anti stress.




Fonte: Terra

sábado, 6 de novembro de 2010

Watsu para tratamento de dores nas costas



Dor nas costas pode ser sintoma de Lombalgia. Segundo especialistas, o tratamento não deve ser feito de forma isolada, mas em conjunto com medicamentos e sessões de fisioterapia. Sobre essa proposta, é que a Faculdade Seama realizou o Seminário "Terapia Aquática nas Lombalgias: ênfase no método Watsu".

O método Watsu é um tipo de terapia aquática muito eficaz e utilizado para promover o relaxamento do corpo. "O Watsu surgiu como uma técnica de relaxamento, mas que depois foi sendo aplicada a patologias neurológicas e ortopédicas, como problemas de coluna, entre outros", explica o coordenador do evento, professor Charles Marcelo Santana.

Sobre o Watsu

No início dos anos 80, surgiu na Califórnia a idéia de unir o poder do toque e dos alongamentos do Zen Shiatsu com a capacidade curativa das águas termais. Nascia assim o Watsu: palavra derivada de água em inglês (water) e de massagem oriental (Shiatsu). Para se beneficiar do Watsu não é preciso saber nadar. Todos podem descobrir a leveza e a serenidade proporcionadas pelo Watsu. A sessão é suave, com efeito profundo e de grande potencial terapêutico. O corpo todo é mantido em movimento, enquanto áreas específicas são alongadas. Semelhante a uma dança, os movimentos fluem graciosamente. A mente se acalma, baixando a ansiedade.

É uma forma de relaxamento feito em água morna, na altura do peito, onde o terapeuta executa alongamentos, adaptados do Zen Shiatsu (técnica japonesa milenar ) , enquanto o aluno, apoiado sobre seus braços, fica em total relaxamento e em flutuação. A temperatura ideal para a prática do Watsu, assim como outras terapias desenvolvidas a partir dela, gira em torno de 34 - 36 graus, por permitir ao aluno um estado de profundo de relaxamento . Os alongamentos passivos feitos pelo terapeuta fazem com que os níveis de flexibilidade do aluno sejam melhorados, embora, em menor eficácia que se fossem feitos ativamente por ele, pois, não há no primeiro caso um ponto de fixação.

Além dos benefícios físicos, o Watsu cria um ambiente totalmente confortável para o aluno se soltar emocionalmente. As sessões são amplamente indicadas em casos de depressão, estresse, insônia e problemas musculares. Alguns dizem ser o relaxamento tão intenso que o aluno tem lembranças do aconchego do útero materno. Este tipo de terapia não só beneficia quem recebe, mas, também quem dá, tamanho é o envolvimento do terapeuta com o aluno.

A diferença do Zen-Shiatsu para a Watsu é que a primeira, se fundamenta na pressão dos dedos e cotovelos em pontos de tensão do corpo, dando prioridade ao toque do terapeuta e na segunda, a liberdade de movimento e as torções realizadas dentro da água.

O Watsu foi criado por um professor de Educação Física americano chamado Harold Dull, em meados de 1980, a partir de um estudo sobre várias terapias em águas quentes, feito no japão. No Brasil, a terapia chegou em torno dos anos 90 e já faz parte dos serviços aquáticos oferecidos pelas melhores academias do país.

Harold Dull descobriu, que devido ao fator da flutuação, qualquer pessoa pode dar Watsu, pois, os indivíduos ficam em torno de 10% do seu peso fora da água. Ele aconselha a todos tentarem desenvolver seus próprios potenciais de criatividade e preferências para executá-la, não existindo uma forma especial para tal.

Livro do Harold Dull: Watsu: Freeing the Body in Wate

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Liberação Miofascial


Todo músculo é envolvido por um tecido conjuntivo chamado fáscia.

Fáscia é um termo do latim que significa “faixa” ou “bandagem”. É o tipo mais difuso de tecido corporal, pois está em todos os lugares, assim como a hera nas casas antigas. A fáscia é a infra-estrutura do corpo. Ela não somente dá ao corpo seu formato, tanto interno como externo, mas também fornece a armação para todos os outros sistemas, como o circulatório, o nervoso e o linfático. Pode ser considerada um “esqueleto” de tecido mole.

A fáscia é um tipo de tecido conjuntivo, que assume outras formas como tendões, ligamentos, aponeuroses e tecidos de cicatrização.

Ironicamente, as funções cicatrizantes e restauradora da fáscia também podem acarretar problemas. Ao envolver os tecidos, tal como uma aranha envolve sua presa, a fáscia pode formar aderências entre estruturas que deveriam permanecer livres. Ela altera a estrutura interna dos músculos, com depósitos de cartilagem (fibrose) que produzem dor e limitam o movimento.

Esta técnica , através de uma liberação especial faz com que o músculo volte a deslizar sobre a fáscia, e com isso cessando a dor.

Fonte : CLAY, James H. Massoterapia Clínica: integrando anatomia e tratamento

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Realinhamento de Fibras Musculares


A fáscia corporal é uma fina membrana que reveste todos os tecidos corporais. Estas fibras musculares trabalham umas paralelas às outras. Quando contraímos ou distendemos o músculo, elas deslizam entre si para alongar ou encurtar o tamanho do músculo.

Como o ser humano perdeu o hábito de espreguiçar de manhã ao acordar ou durante o dia depois de ficar por algum tempo paralisado, a oxigenação passa a ser deficitária e, portanto não ocorre uma oxigenação uniforme nas fibras, provocando o desalinhamento de algumas fibras.

Esse desalinhamento provoca o estrangulamento da fibra, impedindo o fluxo sanguíneo interno e conseqüentemente sua oxigenação. Este processo causa dor, inflamação e atrofia muscular.

O realinhamento de fibras musculares devolve a sua flexibilidade melhorando o tônus e a elasticidade, acabando com a dor muscular.

Quando o desalinhamento muscular afeta o fluxo sangüíneo venoso, este passa a criar bolsas junto as válvulas venosas dificultando a passagem do sangue, forçando o fluxo sangüíneo para a circulação periférica, o que acarreta o aumento de tamanho dos vaso capilares e conseqüêntemente o aparecimento de varicoses.

Ao realinhar a musculatura, que de uma forma ou de outra estiver influenciando no fluxo sangüíneo venoso, estaremos proporcionando uma melhora na circulação e alívio no cansaço das pernas ou braços.

Fonte: GERIMIAS, Daniel. Apostila do curso de Realinhamento de Fibras Musculares e Liberação miofascial
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts with Thumbnails