Páginas

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Combata as dores na coluna


Vida sedentária, excesso de exercícios e más postura podem prejudicar seria e irreversivelmente sua coluna vertebral.

Um é pouco, dois é bom, três é demais.” O ditado se aplica também aos exercícios. E o que garante o reumatologista José Knoplich, autor do livro Viva Bem com a Coluna que Você Tem. “Tanto os exercícios em excesso quanto a ausência deles prejudicam a coluna”, garante. “Os riscos ainda podem se agravar se a atividade física for mal orientada.”

Desde a década de 80, quando a malhação começou a virar moda, os casos de espondilolistese (escorregamento de uma vértebra sobre a outra) aumentaram cinco vezes. “O excesso de torções na coluna e os exercícios de alto impacto podem desencadear esse tipo de problema, principalmente para quem já tem certa predisposição”, diz Knoplich.

A precaução contra esses males não é abandonar a atividade física, mas praticá¬Ia em doses homeopáticas: musculação, aeróbica e ginástica localizada devem ser feitas moderamente, cerca de uma hora por dia. Já natação e passeios de bicicleta podem chegar a duas hora ..sedentarismo, com certeza, é a pior escolha. As dores nas costas provocadas, em sua maioria, pela falta de atividade física são uma das principais causas do afastamento dos brasileiros do trabalho.

Cerca de 80% dos adultos têm algum desconforto associado à coluna vertebral ao longo da vida”, alerta Knoplich. A falta de atividades físicas provoca a atrofia dos músculos responsáveis por parte da sustentação da coluna. Com isso, desencadeia-se um processo de desgaste que, muitas vezes, resulta em dores fortes e desagradáveis.

Existe mais um agravante: as cadeiras ou mesas de escritório que são muito altas ou baixas. Segundo a fisioterapeuta Raquel Casarotto, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. o ideal é que os joelhos fiquem num ângulo de 90° e os pés no chão, enquanto as costas permanecem apoiadas no encosto da cadeira. A mesa, por sua HZ. deve ficar 5 cm acima do umbigo. Caso contrário, a tendência é inclinar a cabeça para a frente, o que pode acabar pronvocando uma tensão acentuada na musculatura do pescoço

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Morte Súbita no treinamento


O silencioso perigo e as maneiras de evitá-lo...
Um dos primeiros relatos de morte súbita foi a do corredor de maratona Phidippides em 490 a C. Em 1707, Lancini descreveu numerosas mortes súbitas ocorridas em Roma em 1705. É a primeira comunicação clínico-patológica objetiva sobre esse assunto. Através dela pode-se reconhecer a íntima relação entre a doença cardíaca e a morte súbita.

Não há consenso sobre a definição de morte súbita cardíaca. Um elemento essencial é o imprevisto de sua ocorrência. Mesmo na presença de doença cardíaca grave, a morte é súbita quando não era prevista como iminente. A definição é restrita a uma estreita faixa de tempo, onde o intervalo de tempo não é superior a 24 horas a contar do evento agudo. A definição deve incluir três elementos essenciais: ser um processo natural, ser uma ocorrência inesperada, ter uma evolução rápida.

Os atletas são frequentemente associados aos padrões de saúde de nossa sociedade. Consequentemente, a ocorrência de qualquer evento adverso nesses indivíduos surte impacto perante o público e os médicos. Um evento como a morte súbita em uma certa competição ou treino poderia levar a uma repercussão tanto social quanto financeira, visto as enormes quantias envolvidas nos esportes de competição.

A morte súbita de causa cardíaca é a morte inesperada e natural resultante de distúrbio agudo da função cardíaca, irreversível, produzindo interrupção do fluxo sanguíneo sistêmico e perda da consciência seguida de morte. A morte súbita pode ocorrer em corredores de todas as idades por diversas causas.

A morte súbita pode ocorrer em indivíduos de todas as idades por diversas causas. Estimativas norte-americanas indicam a incidência de morte súbita ao redor de 1/1.000 habitantes por ano. Embora várias situações clínicas possam estar envolvidas no seu desencadeamento, as cardiopatias isquêmicas são a principal causa nos países industrializados.

Muitos são os métodos diagnósticos para investigação e estratificação de risco de morte súbita, sendo a história, o exame físico e o eletrocardiograma responsáveis por praticamente 50% das hipóteses diagnósticas corretas. Todo corredor com mais de 35 anos de idade ou que tenha apresentado algum evento durante o treinamento físico deve ser submetido á investigação de isquemia e problemas cardíacos. O teste ergométrico, a cintilografia miocárdica e, nos casos necessários, a cinecoronariografia devem ser indicados.

A prevenção é o único tratamento da morte súbita. Em muitos casos há sintomas premonitórios como a síncope, palpitações e dor torácica. A história familiar de morte súbita em jovens corredores e anormalidades clínicas e eltrocardiográficas impõe investigação rigorosa. Com isso, podemos concluir a importância destes exames prévios nos corredores, com o intuito de evitar a morte súbita nos treinos e competições.

Por Prof. Newton Nunes
www.areadetreino.com.br

terça-feira, 28 de junho de 2011

Alongamento é com a fit Ball



Alongar o corpo pode se tornar uma tarefa muito mais agradável e eficiente com o uso de um acessório bem peculiar.


A Fit Ball ou bola suíça como também é conhecida, foi criada nos anos 70 por fisioterapeutas como um instrumento auxiliar na recuperação de pacientes que sofriam de paralisia cerebral, disfunções neurológicas, lesões musculares e das articulações. O sucesso foi grande e o método se espalhou até entre os que não apresentam qualquer problema de saúde.

A fit ball é uma bola de cerca de 65 cm de diâmetro, feita de PVC e que suporta cargas de peso de até 300 kg e hoje é utilizada como complemento em aulas de alongamento e também de ginástica localizada, auxiliando a fortalecer e tornar mais flexíveis a musculatura do corpo, principalmente os músculos abdominais.

Este acessório além de tonificar os músculos, contribui para a melhoria do sistema cardiovascular, previne dores e ajuda a manter uma postura correta da coluna, aumenta a concentração e a velocidade dos reflexos, diminui o estresse e melhora o equilíbrio.

É uma atividade que pode ser utilizada como complemento para outras atividades físicas, como a musculação,corrida, ciclismo e natação e também auxilia nos regimes de perda de peso, através da queima de calorias.

Por Marco de Cardoso

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Dor nas Costas

Quando ela é passageira e quando indica um problema grave?
O tempo sentado no trânsito na ida e na volta para o trabalho, as horas passadas diante do computador seja no trabalho ou simplesmente navegando na internet, carregar os filhos e as compras. Não é difícil entender porque a maioria da população já teve ou terá dor nas costas.

Acrescente-se a esse quadro o sedentarismo, o excesso de peso e o estresse da vida diária que faz com que os músculos acumulem tensões. Mas, como definir quando a dor nas costas é passageira ou sintoma de um problema mais grave?

A dor nas costas mais comum é a provocada pela lombalgia aguda, que dura em torno de 12 semanas. É aquele desconforto que se sente na coluna lombar localizada entre a última costela e as nádegas e que vai aumentando de intensidade as medida que nos movimentamos. Inclusive, ela pode ser causada por algum movimento errado que fazemos ao nos abaixarmos para pegar um objeto, por exemplo, ou quando carregamos excesso de peso.

Quando a dor nas costas dura mais de 12 semanas, passa a ser considerada crônica. Por ter causa multifatorial, é bem mais difícil de ser tratada, requerendo a procura de um centro especializado em dor, com equipe multidisciplinar formada por neurocirurgião, reumatologista, ortopedista, entre outros especialistas. Neste caso o indicado é procurar um especialista para avaliar a gravidade do problema e iniciar o tratamento.

Por Yasmin Barcellos

domingo, 26 de junho de 2011

Dor na virilha (Pubalgia)



Primeiro ela surge como uma dorzinha incomoda no púbis após a realização de alguma atividade física. Com o tempo vai aumentando de intensidade e diminuindo a frequência entre o início do exercício e o surgimento da primeira pontada. Chamada de pubalgia, a dor é comum aos atletas de fim de semana, mas também pode surgir em decorrência de outros fatores, como a diferença no tamanho de membros ou ser provocada uma hérnia inguinal.

O tratamento da pubalgia exige em primeiro lugar um diagnóstico correto, que é realizado pelo medico ortopedista. Analgésicos e relaxantes musculares podem aliviar a dor, mas só devem ser feitos pelo médico especializado em ortopedia, de preferência com prática em avaliação desportiva. Também é necessário, para a maioria dos pacientes, se submeter a um trabalho de reabilitação fisioterápica, evitando assim que o caso chegue a um estado crônico, em que a dor passa a ser constante e impede a continuidade das atividades físicas. Nos casos muito graves a cirurgia pode ser indicada.

Na maioria dos casos, a pubalgia é resultado de posturas erradas e desequilíbrio muscular durante a realização do exercício. Os atletas de fim de semana, principalmente os que jogam futebol e costumam chutar sempre com a mesma perna, acabam gerando uma fadiga muscular de forma desigual. Estes são mais propensos ao problema.

Por esse motivo, é importante manter um trabalho de fortalecimento muscular paralelo ao esporte.

Por Yasmin Barcellos

sábado, 25 de junho de 2011

Skate melhora coordenação motora e reforça estrutura muscular



Para alguns, uma diversão, para outros um esporte levado muito a sério e um estilo de vida. Não importa como o skate seja encarado. Ele é um esporte bastante capaz de trazer benefícios ao bem-estar de praticantes de todas as idades. Depois de muita perseverança, superando dores e frustrações por não conseguir executar manobras progressivamente mais complexas, praticantes se tornam cada vez mais apaixonados pela prancha sobre rodinhas.

Além de ser uma atividade que cativa os seus admiradores pelo prazer da superação de limites, andar de skate é um excelente exercício aeróbico e ajuda bastante a tonificar alguns músculos, como a panturrilha, quadríceps, tendão, abdômen e trapézio. Essa é uma grande vantagem, pois, no caso do skate, a pessoa pratica um esporte e cuida da saúde, sem esperar um resultado em troca. Diferentemente de atividades como musculação e ginástica, em que muitos indivíduos só começam a praticar por esperarem consequências previamente planejadas para a mudança no corpo.

O skate pode proporcionar benefícios estéticos, já que fortalece as articulações e ligamentos. Além disso, a prática aumenta os batimentos cardíacos, o que traz vantagens para toda a vida. O esporte ainda é bastante elogiado por especialistas pela sua capacidade em desenvolver uma melhor consciência corporal, tônus muscular e flexibilidade.

De maneira geral, assim como outras práticas esportivas, o skate ajuda a melhorar o condicionamento físico, a coordenação motora, o equilíbrio e a concentração. E esse esporte, desde que bem aconselhado e com investimentos em equipamentos de segurança, pode garantir efeitos muito positivos em termos de conhecimento corporal e saúde para qualquer indivíduo, sobretudo das crianças.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Exercícios X Depressão



Já se sabe que os exercícios são recomendados para aliviar o estresse, melhorar a circulação, emagrecer e ter uma vida mais saudável. Mas o que pouca gente ainda sabe é do poder que a atividade física no combate a uma doença que tem atingido cada vez mais a população de todas as idades: a depressão.

A doença caracteriza-se por uma falta de vontade de viver, um sentimento de tristeza profunda, perda do estímulo de sair de casa e vontade constante de chorar, entre muitos outros sintomas. A depressão pode ser causada por algum problema pontual da vida ou por uma insatisfação geral diante da vida, como se não houvesse nenhum caminho a seguir. A depressão pode causar insônia, distúrbios alimentares, doenças auto-imunes, entre outros problemas.

Os exercícios físicos proporcionam bem-estar, já que durante a atividade, o organismo produz endorfina e serotonina, neurotransmissores que amenizam a dor e traz prazer. Quando estas substâncias circulam pelo corpo, melhoram a memória e a disposição física e mental, deixam o sistema imunológico mais forte contra doenças oportunistas e tendem a amenizar a sensação de tristeza e desânimo.

Para que os efeitos sejam sentidos, é necessário que o paciente pratique exercícios regularmente, contando com o incentivo de alguém próximo. No início, praticar exerícios em dupla é o mais indicado, mas com o tempo e possível promover as atividades coletivas, principalmente os esportes ao ar livre.

Se acha que tem sintomas de depressão, procure um psicólogo para passar por uma avaliação clínica e saber como proceder. Quanto mais cedo se descobre a doença, mais rápido é possível reverter o quadro.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Dor durante treino é sinal de que algo não está bem



De acordo com a definição da Associação Internacional para o Estudo da Dor, a dor é "(...) Uma experiência sensorial e emocional desagradável, associada a lesões reais, potenciais ou descrita em termos de tais lesões. A dor é sempre subjetiva. Cada indivíduo aprende a utilizar este termo através de suas experiências anteriores".

Muitas vezes ouvimos comentários de atletas, que dizem que a dor faz parte do treinamento e, para ganhar performance ou melhorar desempenho, é necessário ter dor. Desculpem-me os menos informados, mas é simplesmente um absurdo este tipo de comentário.

A dor é a única forma que o corpo tem de se comunicar e mostrar que algo não está bem. É necessário compreender as causas e tratá-las de maneira adequada.

A dor é a única forma que o corpo tem de se comunicar e mostrar que algo não está bem.As conquistas em nossas vidas, tanto no aspecto profissional como esportivo, devem ser adquiridas de forma progressiva, pois temos etapas a serem cumpridas que servirão de base para o próximo momento de treinamento. Se você pulou etapas, está correndo o risco de não alcançar seus objetivos, expondo seu corpo aos limites de sobrecarga e, consequentemente, a lesões.

Não confundam o sacrifício e a luta de alcançar suas metas, como vencer o cansaço, alimentar-se sem as guloseimas, privar-se de alguns eventos sociais com o fato de ter que sentir dor para demonstrar empenho.

Tratando a dor

O tratamento da dor é complexo, e requer esforço multidisciplinar, baseado em múltiplos enfoques do conhecimento humano.

A abordagem da dor crônica é absolutamente individualizada, cada dor é a "dor de uma pessoa", com a sua história, sua origem, seu contexto e seu momento. A dor é subjetiva, mas não é abstrata. Ela é sentida por alguém, que precisa ser compreendido e respeitado, e que na maioria das vezes encontra-se com medo de sua realidade. Essa pessoa não entende por que tem dor, teme sua causa, sua doença, seu tratamento, seu prognóstico, e a própria perspectiva de sentir (ou não) sua dor. Teme a perspectiva de experimentar uma nova (e pior) dor a cada momento, e que talvez não tenha controle.

De todas as dores que acometem o ser humano ao longo de sua existência, as dores miofasciais são as mais prevalentes. Podem ser consequência de alterações posturais, esforços repetitivos no trabalho ou sobrecarga nos treinos esportivos. Elas podem ser agudas ou crônicas e são localizadas em um ou mais músculos do nosso corpo. Caracterizam-se pela presença de um ponto de gatilho na palpação realizada pelo exame médico ou fisioterápico, onde o atleta relata dor de forte intensidade quando este ponto de hiperirritabilidade muscular é pressionado.

Escolha a roupa certa para treinar Em geral, o tratamento adequado da dor miofascial deve ser realizado através de uma combinação de técnicas, o que inclui:

-Massagens, liberação ou deslizamento do músculo;
-Agulhamento dos pontos dolorosos com uso da acupuntura ou com infiltração de anestésicos;
-Medicamentos, como relaxantes musculares e analgésicos;
-Fisioterapia com laser, ultrassom e estimulação elétrica transcutânea (TENS)
-Exercícios físicos (alongamentos, fortalecimento, resistência).

Como tem sido bastante preconizado, a utilização do gelo como proposta terapêutica para o alívio da dor é denominada crioterapia, que até hoje é alvo de controvérsias em relação a sua utilização. Desde a Grécia e Roma Antiga já neve e gelo já eram utilizados com finalidades terapêuticas, prática que passou a ser difundida há muito tempo no meio veterinário como forma de auxiliar na recuperação muscular dos membros inferiores de cavalos de corrida. No entanto, apenas no início da década de 60 que surgiram os primeiros estudos científicos realizados com o uso da crioterapia algumas horas após a ocorrência de lesões.

Apesar de ser considerado um antiinflamatório natural, o gelo nem sempre diminui a resposta inflamatória, como se acredita no meio esportivo, mas reduz os sintomas e sinais clássicos da inflamação: dor, inchaço (edema), vermelhidão (rubor), aumento da temperatura local, e diminuição da função do membro ou da articulação. Portanto, sua indicação na fase inicial do tratamento é restrita principalmente ao controle da dor e do edema, além de causar uma diminuição do consumo de oxigênio consequente à lentificação do metabolismo - fenômenos que ocorrem devido à diminuição do potencial de ação, ou seja, menor transmissão de impulsos.

Dr Maurício Garcia

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Massagem para corredores



Só de pensar em uma boa massagem, qualquer um de nós já começa a desejar uma, não? Mais do que relaxar, elas também podem aliviar tensões, acelerar a recuperação e melhorar o desempenho de quem corre, sabia? Relaxam a musculatura, elevam a quantidade de oxigênio levado aos músculos, aumentam a circulação sanguínea e auxiliam o corpo a livrar-se mais rápido de algumas toxinas.

Ao contrário de outros tratamentos, a massagem tem poucas contraindicações, a menos que o atleta esteja com alguma lesão mais grave. Como sempre, o correto é consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento.

É comum que corredores sobrecarreguem a estrutura do corpo, mesmo sem querer. A massagem ajuda a aliviar contraturas musculares e a diminuir processos inflamatórios. Além disso, ela também previne lesões que podem surgir com o esforço dos treinos. Sabe aquela dorzinha chata que às vezes chega só no dia seguinte? Uma boa massagem pode evitar este problema.

Na hora de escolher o seu massagista peça a ajuda do seu treinador. Ele conhece você e o seu corpo, sabe das suas necessidades e dificuldades, assim como quais os seus pontos mais fortes e provavelmente conhecerá um bom profissional para indicar.

As diferentes massagens

A aplicação de pedras quentes, vulcânicas ou cristais são usadas em diferentes tamanhos e tipos para massagear todo o corpo. As pedras são frias ou aquecidas e estimulam o corpo profundamente sem exigir muita pressão. A variação de temperatura traz um efeito relaxante e sedativo, além de estimular a circulação. Pode ser feita antes ou depois do treino.

Vinda da tradição chinesa, o shiatsu consiste em pressionar os dedos nos meridianos, os chamados “pontos de energia” do corpo, os mesmos utilizados na acupuntura. Traz equilíbrio físico e mental, além de fortalecer o sistema imunológico. Recomendado antes da corrida, pois quando realizado com muita intensidade pode aumentar os processos inflamatórios causados pelo treino.

A reflexologia introduz massagens em determinados pontos dos pés e das mãos, por exemplo, que correspondem a diferentes órgãos e glândulas. Assim, recupera-se a energia e trata-se uma área sem precisar tocá-la diretamente. Quando a massagem é feita nos pés traz bastante relaxamento, sensação de bem estar e também evita esporões e tendinites.
A massagem ayurvédica vem de tradições indianas e suas principais variações são a “Abyanga” e “Padaghati”. Uma curiosidade: ela pode ser aplicada não somente com as mãos, mas também com os punhos, pés, cotovelos e joelhos. Consiste em alongamentos, toques e torções realizados com óleos medicinais preparados especialmente para cada indivíduo. Tem o poder de relaxar e aliviar tensões.

Na massagem sueca ou esportiva há manobras e deslizamentos profundos. Ela é uma espécie de base para qualquer outra massagem. Pode ser feita antes ou depois da corrida, relaxa todo o corpo e ativa a circulação.

Para quem pensa que tudo isso pode gerar muitos gastos, também vale a dica: você pode automassagear-se, tanto quando quiser relaxar como quando sentir alguma dor leve. Procure um lugar tranquilo da sua casa, onde ficará confortável e sem perturbações. Para ajudar, utilize óleos de massagem. Existem vários no mercados, com diferentes ações e aromas.

E não esqueça que lesões aparentemente mais sérias devem ser tratadas por um médico, não limite-se às massagens.


Fonte: mexa-se

terça-feira, 21 de junho de 2011

Vídeo massagem desportiva

">

Exercício Físico Melhora a Recuperação Após Derrame



Um estudo coordenado por pesquisadores da Clínica Mayo, nos EUA, mostrou que as pessoas que praticam exercícios físicos regularmente se recuperam mais rapidamente de um acidente vascular cerebral (AVC) do que aquelas que não praticam.

O AVC, popularmente chamado de "derrame", causa mais de 750 mil mortes por ano nos EUA e causa problemas muito sérios, como dificuldades para caminhar, falar e desenvolver atividades diárias como higiene pessoal, alimentar-se e vestir-se.

"Concluímos que os pacientes que levam uma vida ativa podem se recuperar mais rapidamente depois de um derrame cerebral, com tendência de se observar melhores resultados nos exames realizados três meses mais tarde", diz o neurologista James Meschia, um dos coordenadores do estudo.

O médico ainda acrescenta que Muitos estudos têm mostrado que o exercício pode reduzir o risco de desenvolver um derrame cerebral. Esse estudo, porém, sugere que, se uma pessoa fisicamente ativa sofrer um derrame cerebral, as consequências podem ser mais leves. "Um cérebro que, normalmente, tem um bom fluxo de sangue e de oxigênio, graças aos exercícios físicos, certamente estará em uma posição bem melhor para compensar os déficits neurológicos causados pelo derrame", explica Meschia.

domingo, 19 de junho de 2011

Frases




"Mais importante que a vontade de vencer é a coragem de começar."
Josh Billings


"A melhor forma de prever o futuro é criá-lo"
Autor Desconhecido


"Um trabalho bem feito é realizado não com força, mas com perseverança"
Samuel Johnson


"Não deseja ser nada além daquilo que você é, e seja o que você é perfeitamente"
St. Francis De Sales

sábado, 18 de junho de 2011

Alongando sempre!



O alongamento traz uma série de benefícios físicos e mentais

O alongamento é muito importante para quem pratica atividade física de forma constante e deve ser feito sempre antes e depois dos exercícios físicos,para deixar a musculatura em boas condições.

Alongar-se também traz uma série de outros pontos positivos. Como por exemplo:ajuda a equilibrar o comprimento dos músculos, alinhando o corpo e melhorando a postura.

Deixa o corpo com mais flexibilidade e mobilidade, exigindo menos esforço para atividades rotineiras como sentar, andar e ficar em pé. Combate ainda os efeitos do envelhecimento.

Diminui o risco de lesões, deixa a musculatura mais relaxada, reduz o estresse, equilibra e energiza o corpo, a mente e o espírito.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Evitando as lesões



Certos exercícios da ginástica localizada podem sobrecarregar as articulações
Com a evolução do conhecimento na área da Educação Física, a ginástica localizada vem sofrendo várias modificações em sua metodologia. As aulas tornaram-se mais eficientes, mas em contrapartida, aumentou a sobrecarga das articulações.

É importante lembrar que o aluno que opta por este tipo de aula, em sua quase totalidade não é nenhum super-atleta. Devido a isso, o aumento da exigência dos exercícios deve ser feito de maneira gradual e segura.

O excesso de cargas ou mesmo de repetições podem gerar micro-lesões que no futuro, podem causar estragos irreversíveis nas articulações. Devem se respeitar as posições anatômicas corretas e priorizar o movimento feito de maneira certa durante a atividade.

Para tornar as sessões mais seguras, o ideal é zelar pelas boas posturas, principalmente nas regiões mais sensíveis às cargas em excesso, como os joelhos, tornozelos, cotovelos, ombros, coluna lombar e cervical.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Oportunidade de trabalho para Fisioterapeutas _ Brasília



PRECISA-SE DE FISIOTERAPEUTA, ACUMPUNTURISTA e Rpgista. Enviar Currículo para dfsaude@hotmail.com

FISIOTERAPEUTA COM RECUPERAÇÃO Postural Global (RPG) F/ 3034-8054/ 8198-7980

FISIOTERAPEUTA CONTRATA-SE c/ exp. em luz pulsada e carbox. Clinica no Conj. Nacional Tratar: 8594-0422

MASSOTERAPEUTA PRECISA-SE com experiência e referência. Interessados ligar: 3562-7077 / 9115-6084

ESTETICISTA CORPORAL e massagista 8145-2233 / 3541-2006

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Pessoas que fazem atividade física de vez em quando, incluindo o sexo, tem o dobro de risco de sofrer um ataque do coração?




Uma pesquisa recente da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, tem tudo a ver com sexo. Você sabia que quem só faz atividade física de vez em quando – incluindo aí o sexo – tem o dobro de risco de sofrer um ataque do coração?

Pois é, mas o sedentarismo não é o único vilão que pode prejudicar a sua saúde – e a sua libido. Vinhozinho, jantar romântico…. Clima perfeito para a noite acabar muito bem, certo? Errado! Um jantarzão, com entrada, prato principal, sobremesa, alimentos ricos em carboidratos, como pães e massas, podem ser grandes vilões para a libido dos casais.

“A gente tem amigos que são habitués e eles falam ‘olha, a última vez que eu estive no seu restaurante, comi demais e realmente complicou a segunda etapa do meu programa’”, revela o chef de cozinha Salvatore Colonese. “De vez em quando até eu esqueço: ‘Ih, agora já era, me excedi na primeira etapa’”, admite.

Será verdade que muito carboidrato pode prejudicar a performance sexual? A nutricionista Danielle Toledo confirma: “Tem muita verdade nisso, na verdade não só comer muito carboidrato, como comer muito qualquer alimento pode prejudicar a performance sexual, que é uma performance atlética. É um exercício, assim como qualquer atividade física”.

Os remédios contra calvície têm muita fama, mas estudos apontam que apenas 1,8% dos pacientes que usam finasterida têm perda da libido. Mesmo assim, a dermatologista

Leandra Metsavaht confirma: “É uma coisa que ainda assusta os homens: ‘E se eu estiver naquele 1%?

E os anticoncepcionais? Será que cortam a onda da mulher? “Alguns anticoncepcionais são antiandrogênicos, são usados para adolescentes que tem acne”, afirma o terapeuta sexual Amaury Mendes Júnior.

Antiandrogênico significa que o anticoncepcional inibe a produção de testosterona, principal hormônio sexual masculino. “A pele fica muito bonita realmente, mas a libido pode diminuir bastante”, alerta o terapeuta.

Está meio assustado? Então, uma boa notícia: fazer sexo regularmente pode ajudar a manter seu coração saudável. “Quem faz atividade física ou sexual regularmente, ou seja, mais frequentemente, tem menor risco de ter um infarto, porque o coração está mais condicionado, ele tem uma maior tolerância ao esforço físico”, explica o cardiologista Marco Antônio Mattos.

E, no restaurante, será que a noite dos casais vai ter esticadinha? Vamos ouvir a voz da experiência. Roberto e Ani, 46 anos de casamento.

“Dizem que a diferença entre o veneno e o remédio é a dose. Então, se você maneirar a dose, você faz bem as suas coisas”, conta o advogado Roberto Nunes.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Massagem desportiva pré e pós-treino



Massagem é a manipulação sistemática dos tecidos moles do corpo. Auxilia a remoção de resíduos metabólicos tóxicos produzidos na liberação de energia e fluidos resultantes de danos estruturais no tecido musucular. A massagem tem sido utilizada há séculos - muito antes do advento da medicina - utilizando manobras específicas (manuais, mecânicas ou elétricas) com fins terapêuticos. Pode ser localizada, visando uma determinada área, ou terapêutica, em que o relaxamento é o objetivo principal. A massagem pode ser de dois tipos: superficial ou profunda, dependendo da proximidade dos músculos em relação à pele ou aos ossos.

Um atleta pode receber massagem por 15 a 20 minutos antes do treinamento físico, por 8 a 10 minutos após tomar banho e no final da sessão de treinamento, por 20 a 30 minutos. O papel da massagem para a preparação ou a recuperação de um exercício tem sido muito bem documentado. Ela pode afetar positivamente o humor do atleta pela redução da tensão, raiva, fadiga, depressão, ansiedade e da confusão.

Se os músculos estão relaxados, pressionar o ventre dos músculos com pressão mecânica simples auxilia a esvaziar as veias na direção da aplicação da pressão. Isso resulta em abertura superior a 35% dos pequenos capilares (vasos) - em repouso, 4% dos capilares estão abertos. O resultado é a elevação da disponibilidade de sangue renovado na área massageada, tornando possível um maior intercâmbio de substâncias entre os capilares e o tecido celular.

Os efeitos mecânicos da massagem na corrente sanguínea promovem a remoção dos subprodutos metabólicos e a entrada de sangue renovado na área em que a massagem foi aplicada. Em síntese, a massagem pode ser utilizada como uma técnica no auxílio da preparação ao treinamento e também na promoção da recuperação.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Dormir após a refeição aumenta o rendimento no esporte



Em muitos países, dormir após as refeições é um costume cultural transmitido de geração para geração e totalmente adaptado à rotina das grandes cidades. A prática traz inúmeros benefícios para a saúde, conforme apontam estudos científicos. E tem sido indicada por médicos do esporte e treinadores, já que atua no relaxamento muscular e na melhora do rendimento físico.

“O benefício do repouso e da recomposição, ganhos com o cochilo após as refeições, é muito importantes para quem pratica esportes”, afirma Ricardo Cury, ortopedista e professor da faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo. “Tanto a força empregada pelo indivíduo nos exercícios quanto a energia gasta estarão renovadas depois deste descanso”, completa. Numa próxima disputa ou mesmo nos treinamentos diários, o atleta terá mais energia e perceberá facilmente a melhora na performance.

Dormir para cuidar da cabeça e do coração
Do ponto de vista psicológico, cochilar depois das refeições também é positivo. “A quebra da rotina e a sensação de estar pronto para retomar as responsabilidades do dia-a-dia, acabam tornando o cotidiano mais prazeroso”, afirma a psicoterapeuta Gabriele Talajoice. Além de privilegiar o descanso físico, as propriedades anti-estresse permitem que a calma, a concentração, o foco e a atenção estejam garantidos durante os treinamentos, portanto.

Estudos publicados no início deste ano, na revista Archives of Internal Medicine, exaltaram a eficácia do sono vespertino contra o estresse e também na prevenção de distúrbios cardíacos. Testes aplicados em indivíduos previamente saudáveis, entre eles esportistas, como corredores e ciclistas, mostraram que nos países que adotam a “siesta” há muito menos registros de mortes por problemas do coração, como o infarto ou as isquemias.

E esqueça o medo de engordar. Essa possibilidade está ligada ao tipo de alimento consumido, e não necessariamente ao sono. Manter uma dieta equilibrada, fracionar as refeições durante o dia e evitar a ingestão de altos índices de gordura já são medidas suficientes para trabalhar o metabolismo sem riscos de ganho de peso.

Fonte: 02porminuto

domingo, 12 de junho de 2011

Dicas para praticar atividade física em dupla



Um quer definir os músculos, o outro, apenas ganhar um pouco mais de condicionamento físico. Ao lado de uma pessoa extremamente competitiva, está outra que só quer relaxar no final do dia.

Não é raro encontrar casais que se propõem a seguir um programa de exercícios físicos juntos, seja para passar mais tempo ao lado do cônjuge, seja para ter uma companhia agradável durante a atividade.

No entanto, conciliar preferências, aptidões e objetivos não é fácil também nesse quesito. E, quando mal resolvidos, os conflitos podem desestimular e levar ao abandono da prática.

Sob medida

Individualizar o treino, de acordo com o condicionamento físico e os interesses de cada membro da dupla, é o primeiro passo para que ambos atinjam metas e tenham disciplina nos exercícios, sem desanimar.

"Falando especificamente de corrida, dificilmente os dois vão correr no mesmo ritmo. Esse ajuste individual é o ponto de partida. É frequente encontrar casais que param de malhar juntos por falta de individualização, quando a carga de cada um não é ajustada de maneira correta", afirma o fisiologista Turíbio Leite Barros, professor do Cemafe (Centro de Medicina da Atividade Física e do Esporte), da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

A chef de cozinha Flávia Greco, 40, e o fotógrafo Marcelo Greco, 43, conheceram-se no clube Pinheiros, enquanto faziam alongamento, há alguns anos. Depois de um namoro à distância, foram morar juntos e resolveram fazer academia no mesmo horário.

Cada um tem seu programa de exercícios. "Achamos melhor fazermos separados, porque ele tem o corpo completamente diferente do meu, eu corro bem mais do que ele, que se recupera de uma lesão no joelho... Quero treinar mais braço, perna; ele quer mais costas e abdômen", diz Flávia.

Para partilhar, somente as sessões de alongamento antes e depois do treino e a garrafinha de água da mulher, com a qual Marcelo se hidrata durante a musculação. "Mas eu detesto", ri a chef de cozinha.

Para o casal, ir à academia ao mesmo tempo é um incentivo extra para que nenhum dos dois desista. "Ele chega meio dormindo, pois vamos às 7h da manhã, e eu tenho um megapique. É até legal porque eu puxo o Marcelo", diz Flávia.

É fato que vários casais buscam apoio um no outro para manter a atividade física na rotina. "Desde o início, quando eles se programam para fazer exercícios juntos, já é no formato de dar um empurrão para o outro. Ou, então, por exemplo, o marido não quer ser indelicado de falar para ela que ganhou uns quilinhos. Assim, chama para malhar", analisa o personal trainer Felipe Pita.

Individualidade

O excesso de companheirismo, no entanto, pode atrapalhar o treino ou gerar mal-estares. Geralmente, um dos dois acaba dando palpite no exercício do outro. "Eu sinto que de vez em quando ele me corrige. Como ele já fez muita musculação, às vezes ele vem, dá uma corrigida", diz Flávia.

Para os professores, dar palpites pode desestimular o cônjuge ou levá-lo a fazer os movimentos de maneira errada. "Às vezes, o marido vira para a mulher e diz "põe mais peso para endurecer os glúteos" ou a mulher diz "corre mais meia hora porque está gordinho". Ninguém gosta quando se toca na ferida, é preciso respeitar a individualidade e não levar o outro a forçar demais, para não ter risco de lesões", diz Pita.

A competitividade também pode trazer problemas, se não for bem administrada.

Em geral, homens preferem modalidades que propiciem mais a competição. "Em alguns casos, a dificuldade é ambos terem afinidade pelo mesmo estilo de exercício. Os dois vão ao clube, mas ele prefere o tênis e ela, a ginástica. É claro que a estética é uma preocupação de ambos, mas a mulher tende mais para isso e o homem tende mais para o lúdico", afirma Turíbio Barros.

Sem problemas

Segundo os especialistas, todas as modalidades podem ser praticadas pelos dois. No entanto, eles afirmam que o mais indicado é escolher um local que ofereça diferentes opções - uma boa academia ou um clube, por exemplo.

"Para dar certo, devem buscar diversidade. No começo, a proposta de fazer tudo junto é uma sedução. Mas, com o tempo, cada um vai enfatizar mais a tendência própria. Se não puder ser atendida, há uma possibilidade muito grande de um dos dois desistir", diz Barros.

Comparar resultados dos exercícios também não funciona e pode desestimular o casal. "Em geral, os homens apresentam mudanças mais rapidamente, pois possuem mais massa muscular, queimam mais calorias. Então, pode haver um desconforto para a mulher", diz Ivo Morais, professor de educação física.

10 dicas para evitar problemas na hora do treino

1 Estabeleçam metas antes de começar
2 Respeitem a individualidade um do outro
3 Escolham um professor que dê atenção igual aos dois
4 Procurem um local que tenha diversas opções que agradem a homem e mulher
5 Tenham um horário flexível para que os dois possam cumpri-lo
6 Não levem problemas pessoais para o treino
7 Não dêem palpite no treino do outro
8 Negociem antes de começar, para concordarem com o tipo de exercício escolhido
9 Procurem ter o suporte de um professor
10 Ambos devem ter força de vontade no treino e nos hábitos de vida saudáveis


Fonte: Folha de S. Paulo

sábado, 11 de junho de 2011

A atividade física ameniza a dor de cabeça



Mais um bom motivo para fazer exercício! A atividade física ameniza a dor de cabeça...


O primeiro estudo epidemológico sobre dor de cabeça realizado por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina e da Universidade Federal de São Paulo concluiu que praticar atividade física ameniza a dor de cabeça. O trabalho ouviu 3.848 pessoas escolhidas aleatoriamente, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 79 anos.

Avaliou-se também a relação entre a enxaqueca e cefaléia – nome científico da dor de cabeça- com hábitos do dia-a- dia, como a prática regular de exercícios físicos. No final, a pesquisa concluiu que os sedentários apresentaram 43% mais enxaqueca e 100% mais cefaléia crônica do que os indivíduos que se exercitam. E explicação é que os exercícios aumentam a produção de endorfinas, neurotransmissores que proporcionam bem-estar. Eles funcionam como uma morfina natural.

Alguns artigos sugerem também que outras substâncias liberadas durante a atividade física, como a epinefrina e os esteróides, podem estar por trás do alívio. A melhora na circulação sanguínea, que provoca um aumento da oxigenação cerebral, é mais um fator que colabora para o fim das dores.
As dores de cabeça podem ter as mais variadas causas. A Sociedade Internacional de Cefaléia reconhece mais de 150 tipos de dor de cabeça. A atividade física pode ser um tratamento eficaz para alguns destes tipos, segundo a professora de educação física Rosangela Satoris.

— Problemas posturais, tensionais (estresse) e circulatórios são causadores de dores de cabeça constantes e após uma avaliação médica e odontológica entramos com o tratamento preventivo que é a atividade física.

Os exercícios leves, associadas às aeróbicas, que estimulam a circulação sanguínea, são primordiais para amenizar crises de dor. Além disso, os problemas cervicais, causados pela má postura, são grandes vilões das dores constantes, que podem facilmente ser combatidos com seções diárias de alongamento e fortalecimento muscular.

— Quando em movimento nosso corpo produz endorfina, este cai na circulação sanguínea e atua como uma morfina natural que colabora com o fim de muitas dores que nos incomodam no dia a dia — explica Rosangela, que também é proprietária da Academia Vila Olímpica, em Santo Amaro, zona sul de São Paulo.

Ela conta que todas as atividades físicas são benéficas para auxiliar no combate às dores de cabeça, porém, no estágio inicial, é bom que comecemos com atividades anaeróbicas, como a musculação, abdominal e alongamento.

— Podemos colocar uma atividade aeróbia nestes casos, mas atividades leves, como a hidroginástica ou a caminhada — completa.

Em geral, as atividades aeróbias — como spinning, jump, step, corrida e natação — aumentam a circulação sanguínea e a mantém elevada por algum tempo. Estas modalidades têm a intenção de trabalhar a força e a resistência do esportista e isso pode gerar algum desconforto, caso ele esteja passando por uma crise de dor de cabeça.

— Escolha uma atividade que se enquadre ao seu estilo de vida e comece a praticar! Mas sempre com orientação para ter bons resultados e não arrumar uma nova dor —lembra a professora.

O que é bom para evitar as dores de cabeça?

:: Todos exercícios são benéficos para evitar problemas posturais que podem causar dores.

:: Exercícios leves como alongamento, caminhada e musculação são os mais recomendados para quem está começando.

:: A hidroginástica, apesar de ter uma característica aeróbica, é muito relaxante e o aluno não sente o peso do corpo. Sendo assim, ela se torna um exercício bastante agradável.

O que evitar durante as crises de dores de cabeça?

Por aumentarem a circulação sanguínea, não é recomendável praticar atividades aeróbicas:

— spinning;

— jump;

— step;

— corrida;

— natação.

Fonte: ClicRBS

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Corrida espalha hormônios de bem-estar pelo seu corpo



As substâncias liberadas são as mesmas da relação sexual e trazem o alívio das tensões

Sexo e corrida é a combinação perfeita para o bem-estar no dia-a-dia. Ambos liberam endorfina e têm uma relação direta com o estado de humor da pessoa. O diagnóstico é do médico Alfonso Massaguer, ginecologista e obstetra do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e especialista em reprodução humana pelo Instituto Universitário Dexeus de Barcelona.Quem faz sexo pode ter um desempenho melhor na corrida, assim como quem corre pode melhorar a atividade sexual. Os dois caminhos farão bem para a alma e é isso que importa , diz Massaguer.

Ele explica que a endorfina, estimulada pela corrida, é responsável pela sensação de bem-estar. Sentindo-se bem e mais saudável, o indivíduo melhora a auto-estima, o que gera o aumento da libido. Ou seja, após fazer sexo, o treino tende a ser muito bom e o corredor estará mais relaxado. A recíproca também é verdadeira, explica Ronaldo Pamplona da Costa, médico psiquiatra e psicoterapeuta sexólogo. O exercício movimenta o corpo e gera bem-estar. Com o corpo mais transado e mais energizado, o desejo sexual aumenta .

O sexo melhora o humor, e o desempenho sexual alivia a tensão. O indivíduo fica mais feliz , explica a psicóloga esportiva do Hospital do Coração de São Paulo (HCor) Roberta Lobato. A especialista ressalta que a auto-estima elevada ajuda, também, na diminuição da vergonha. O corpo fica mais bonito, a pessoa sente-se melhor e, conseqüentemente, mais solta na cama . A receita mágica vale para aquelas pessoas mais tímidas, que têm vergonha do parceiro ou da parceira. Isso acontece, em geral, com as mulheres. Quando elas começam a correr e ficam com um corpo legal, ficam mais desinibidas , diz a psicóloga Roberta.

Foi o caso da enfermeira Adriana Romão, 36, mãe de dois filhos e casada há 11 anos, que sentiu a volta do prazer sexual após freqüentar os treinos de corrida. Não é que eu não gostava de fazer sexo. Mas era uma sensação muito maior de obrigação do que de desejo sexual , revela.

A corrida veio por incentivo de uma amiga mais velha que começou a fazer atividade física para aliviar os sintomas da menopausa. Em poucos meses, consegui emagrecer alguns quilos, minha pele ficou mais bronzeada por conta dos treinos ao ar livre e passei a me sentir mais à vontade para tirar a roupa e iniciar uma relação sexual , diz Adriana. Antes, eu esperava a iniciativa do meu marido .

Corpinho torneado
Correr não tira uma gota de feminilidade e sensualidade. Ao contrário, aproveitando os benefícios da corrida, elas podem tornarse mais sensuais , afirma a psicóloga Roberta. Além de melhorar o humor, o ânimo e o apetite em todos os sentidos, o exercício ainda proporciona um corpinho torneado, sem ser muito sarado, o que mantém a característica feminina e atrai o homem .

As mulheres, no entanto, sentem-se mais atraídas quando eles intensificam os exercícios dos músculos do quadríceps e ganham pernas de corredor , deixam o glúteo mais definido e os braços mais fortes, além de dar um fim na barriguinha de chope e nos pneuzinhos .

O homem terá mais força para segurá-la e mais força nas pernas. Isso, para a mulher, representa segurança e virilidade , avalia Roberta.

Comida para não secar
Existem muitas mulheres que ficam psicologicamente abaladas com as mudanças que acontecem no corpo, principalmente, após um macrociclo de treinos pesados para uma maratona, por exemplo.

Algumas pacientes reclamam que emagreceram demais, outras também relatam que o seio murchou ou que o bumbum diminuiu. Tudo isso é falta de alimentação correta , explica o ginecologista Massaguer. A falta de apetite sexual, segundo o médico, tem relação direta com a mudança do corpo. Se o corpo não está legal, ela fica mais envergonhada e a libido diminui .

Para isso, o ideal é um bom acompanhamento nutricional para calibrar as quantidades de proteínas e carboidratos, evitando a perda de massa magra, ou seja, os músculos.

Pessoas que praticam atividade física regular devem ter uma alimentação balanceada e diferenciada. E, pela natureza do gasto calórico, também precisam de mais proteínas que o recomendado normalmente, explica a nutricionista Patrícia Bertolucci, especializada em medicina do esporte pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Para se libertar
Durante a educação, a mulher tende a ser mais reprimida sexualmente. Por mais moderno que o mundo possa parecer, ainda existe um grande tabu em relação à mulher que admite adorar sexo , explica o sexólogo Costa. Uma mulher corredora aprende a se movimentar melhor, a usar o corpo e tem uma possibilidade maior de se liberar sexualmente. Com um corpo mais trabalhado, a mulher terá mais vontade de ser vista e ser notada. Isso tende a despertar desejos e a torná-la mais solta sexualmente , diz o terapeuta.

Elas, saradas; eles, saudáveis
Entre os homens, diz o sexólogo, a preocupação é maior com o corpo saudável do que com o corpo sarado. A vaidade existe nos dois lados; entre homens e mulheres, eles e elas têm essa preocupação. Mas, em geral, elas priorizam a forma física, e eles, o bem-estar , afirma Costa.

Felizmente, uma coisa leva a outra. Um corredor saudável, conseqüentemente, terá um corpo torneado, com músculos evidentes , explica Roberta. Dessa forma, eles passam a curtir um pouco mais o próprio corpo, rompendo aquele lugar comum de que homem não pode ter vaidade nem querer ser belo , ressalta Costa. A qualidade de vida a dois está diretamente ligada ao bem-estar físico. Correndo, o indivíduo se sente bem e, certamente, terá uma relação sexual melhor , explica o psicanalista.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Lesões do Esporte - Prevenção e Tratamento

Lesões do Esporte - Prevenção e Tratamento 3ª Edição.
Lars Peterson, Per Renstrom

Um manual de grande sucesso que abrange, de forma compreensível, a prevenção e o tratamento das lesões. É uma leitura essencial para todos os atletas, treinadores, fisioterapeutas e médicos.
Amplamente ilustrado com mais de 400 imagens coloridas e em preto-e-branco, além de fotografias clínicas e de movimentos!

Lars PetersonMD, PhD, é professor de Ortopedia na University of Gothernburg, Diretor Clínico do Gothenburg Medical Center e Presidente da International Cartilage Repair Society. Ele foi diretor da Sociedade Sueca de Medicina Esportiva e jogador da Liga Premier tanto no futebol como no hóquei de gelo, e tem atuado como médico da seleção sueca de futebol e como membro do comitê médico da FIFA.

Per RenströmMD, PhD, é professor de Medicina Esportiva na Karolinska Intitutet em Estocolmo e foi professor de medicina esportiva na University of Vermont. Ele é presidente de Honra do ISAKOS (International Society of Anthroscopy, Knee Surgery and Orthopedic Sports Medicine) e Presidente da International Society of Medicine and Science in Tennis, e atuou como vice-presidente da FIMS. É membro da comissão médica do IOC, da Academia Olímpica de Ciências do Esporte e do ITF (International Tennis Federation). Ele também é Diretor Médico da ATP Tour na Europa e médico da Seleção sueca de tênis da Copa Davis.


ISBN: 8520413056 Autor: Lars Peterson, Per Renstrom Número de páginas: 550 Ano: 2002 Acabamento: Capa dura Peso: 1,500 kg

terça-feira, 7 de junho de 2011

Pratique exercícios e acabe com a dor nas costas.

Uma equipe do Departamento de Cirurgia Ortopédica da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, concluiu que há uma solução simples para se combater a tão popular dor nas costas: fazer exercícios localizados de duas a três vezes por semana.

Exercícios reforçam músculos do abdômen e das costas que funcionam como suporte para a coluna. Eles também são uma maneira de promover o estiramento das fibras musculares, aumentando a sua flexibilidade.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Massagem desportiva





A massagem do tipo terapêutico , onde se tratará especificamente problemas específicos resultantes de esforços onde pode se incluir o calor para um relaxamento mais profundo.
A massagem desportiva implica a utilização de um conjunto de técnicas específicas orientadas, nomeadamente, para aumentar a rentabilidade dos desportistas e tonificar os tecidos musculares, atuando ao nível da descompressão muscular.

Esta massagem envolve a manipulação e reabilitação dos tecidos moles do corpo, incluíndo músculos, ligamentos e tendões. Este tipo de massagem aplica-se em situações de treino desportivo, pré-competição, competição, pós-competição, pós-viagem, prevenção de lesões e recuperação de lesões. Contudo, para se beneficiar de uma massagem desportiva não é necessário ser-se atleta.

domingo, 5 de junho de 2011

Frases de motivação e incentivo para atletas



"Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho."
(Abílio Diniz )

"As portas abrem diante de uma firme determinação. É ela que transforma sonho em realidade."

(Autor desconhecido)


"A glória não está em não cair, mas sim em erguer-se sempre."

(Autor desconhecido)

Oferta de trabalho para fisioterapeutas - Brasilia

FISIOTERAPEUTA COM EXPERIÊNCIA Dermato Funcional. Enviar CV para: fesfisiopilates@gmail.com

sábado, 4 de junho de 2011

Malhar a dois



Praticar exercícios com o seu amor é mais motivante e melhora a relação

Definitivamente, ficar em forma não é uma tarefa fácil. Exige cuidados com a alimentação, muita malhação e disposição. E depois de engrenar em um relacionamento, conseguir manter o corpinho com as curvas definidas é mais complicado ainda. É um jantarzinho aqui, um sorvetinho ali e rapidinho aquela calça passa a não servir mais. A solução para tudo isso, não é terminar o namoro. Pra não deixar a peteca - e a barriga! - cair, que tal praticar uma atividade física juntos?

Além de adquirir uma boa forma física, o casal pode aproveitar o momento para ficar mais tempo unidos e bater um papo.Um grande exemplo de que malhar junto dá certo, é o casal Patrícia e Henrique que namoram há 2 anos e 10 meses e frequentam a academia Malhação Turner há 4 meses.

De acordo com Patrícia, cuidar da saúde tem fortalecido o companheirismo na relação e aumentando a motivação para continuarem juntos. “Sentimos que cuidar da saúde nos torna mais felizes, dispostos e motivados para enfrentar o agitado dia-a-dia. Neste dia 12 de junho vamos comemorar dia dos namorados com muita saúde, bem estar, qualidade de vida e amor”, comenta. Para Henrique, a relação melhorou muito após a adoção da prática conjunta. “Malhar acompanhado é um incentivo a mais. Temos um mesmo objetivo e isso nos dá prazer. É bem melhor correr com o incentivo dela”, afirma.

Mas para o personal trainer e coordenador da Academia Malhação, Frederico Reis, as atividades físicas não devem ser feitas baseadas no parceiro. “É bom ter alguém que estimule e que dê forças para continuar o trabalho, mas também não se deve ficar preso à companhia. Se um não puder se exercitar em um dia, o outro não precisa abortar o esforço por esse motivo”, explica. Para Frederico, os resultados podem chegar mais rápido quando as atividades são feitas em conjunto, já que também há o desejo de se apresentar melhor ao companheiro.




Raquel Santos - Mundo Ela

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Tenha uma boa postura e evite dores e complicações



Vários nervos se ligam à nossa medula espinhal e quando por algum motivo eles são comprimidos, surge a dor nas costas. Vários fatores podem afetar as suas costas, desde posturas inadequadas, quedas, tensão muscular provocada por stress, entre outros. Para prevenir estes problemas é fundamental adotar uma postura correta sempre, principalmente para os que passam muito tempo em frente ao computador e televisão.

Esse tipo de dor atinge a maioria das pessoas, quase todas por desenvolverem hábitos muito enraizados de mau uso da coluna. A má postura pode ser causa de várias lesões. Cuidar da postura no trabalho, no lazer e em casa, fazer caminhadas e alongamentos são atitudes que promovem a saúde e ajudam a combater as lesões posturais. A educação postural é algo que se deve perseguir desde a infância, para evitar problemas na idade adulta. É mais fácil tornar isso um hábito bom, do que tratar de dores que não permitem a execução de quaisquer atividades.

Para isso, seguem abaixo algumas informações relevantes sobre os momentos que mais exigem da nossa coluna. Aproveite para chegar se você procede da maneira correta e, se necessário, corrija este problema antes que seja tarde.

Carregar mochilas ou sacos: as mochilas devem ser presas às costas e não penduradas num só ombro, e as compras devem ser divididas em ambas as mãos com pesos mais ou menos equivalentes. No que diz respeito a malas e outros objetos pesados, devem ser levados num carrinho, que deve ser empurrado e não puxado.

Para se vestir: procure não se equilibrar apenas numa perna para colocar as meias, sapatos e calças. A melhor posição para a sua coluna é a sentada e procure optar por roupas que tenham fechos na frente e assim evitar torções.

Na hora das refeições: cuide desta posição para não agredir a sua coluna. A cadeira ideal tem encosto e assentos anatômicos, encaixe para as nádegas e a altura certa para que os pés toquem o chão. A altura da mesa ideal é aquela em que os braços possam fazer um ângulo de 90 graus com os cotovelos.

Ao caminhar: evite dores nas costas. Não ande de ombros encolhidos nem cabeça baixa. Ao caminhar olhe em direção ao horizonte, com as costas na posição mais reta possível. Os passos devem respeitar o arco da planta do pé para que a força da caminhada se dissipe. O calcanhar deve ser o primeiro a tocar no chão e por último a planta do pé. Use sempre sapatos confortáveis e adequados ao tipo de terreno para onde irá caminhar.

Levantar objetos do chão: evite curvar as costas. Com este simples gesto, a coluna é submetida a um esforço enorme, tendo de sustentar todo o peso do objeto. O método correto é agachar com as costas retas e transferir a função de levantar o peso para a maior massa muscular do corpo que são as nossas pernas. Depois disto, coloque o objeto junto ao corpo e levante-se progressivamente fazendo força nas pernas.

Dormir: a postura ideal para dormir é de lado com as pernas dobradas. Colchão e travesseiro devem ser adequados ao seu corpo.

Ler ou ver televisão: é realmente muito bom ler ou ver um filme no conforto da cama. Evite ficar curvado, numa posição meio sentada, meio deitada. Procure apoiar toda a sua coluna em algo firme e mantenha a cabeça neutra.


Éverton Oliveira - Saúde Plena

quinta-feira, 2 de junho de 2011

O que comer antes, durante e depois da corrida?




Confira os alimentos certos para melhorar seu desempenho na corrida.



Há uma grande discussão entre os especialistas sobre quais alimentos devem ser ingeridos antes da corrida. Uma ideia é clara, não há vantagens em correr com o estômago vazio ou estômago muito cheio.

Antes de mais nada, é preciso ficar claro: “NUNCA INVENTE NADA NOVO NO DIA DA PROVA”. Isso é muito comum, já que muitas provas são realizadas em outras cidades e o atleta tem que viajar, se alojar em hotéis ou casa de parentes e tem sua rotina alterada. Portanto, se você está treinando a 6 meses e sempre come 2 bananas antes da corrida e nunca teve problemas com isso, na hora da prova, não invente!

Com o estômago muito cheio, ou seja, realizar refeições pesadas antes da corrida pode causar indigestão. Já com o estômago vazio, pode faltar energia para sua corrida.

Alimentos para comer antes da corrida

Carboidratos complexos. Principalmente em corridas ou treinamentos de longa distância, comer bastante carboidrato é interessante. O carboidrato é a primeira fonte de energia que o corpo vai utilizar durante a corrida. A transformação de carboidrato em energia é um processo muito simples no corpo e fornece grande quantidade de energia. Para uma atividade moderada, recomenda-se a ingestão de 200 a 300 gramas, no mínimo 1 hora antes da atividade.

Alguns carboidratos complexos:

» aveia, trigo, pães integrais;
» espaguete, macarrão, massas em geral;
» frutas, vegetais e legumes: maçã, pera, espinafre, uva, alface, damasco, ameixa, morango, laranja, quiabo, repolho, cenoura

Alimentos recomendados por corredores profissionais e nutricionistas

Alimentos para NÃO comer antes da corrida

A principal causa de desistência em provas é a má alimentação antes da prova. O pensamento é um só: “Bom, amanhã tenho a corrida da minha vida. Treinei 8 meses para essa prova, então preciso de um super-alimento para render melhor na prova.” Evite surpresas durante a prova.

Alimentos com alto teor de gordura. A gordura é uma ótima fonte de energia para o corpo. Após o fim do estoque de carboidratos, o corpo começa utilizar gordura como fonte de energia. Porém, esse processo de “quebra” da gordura é bastante complexo e não imediato. Por esse motivo, alguns especialistas defendem que exercícios de baixa intensidade e longa duração são indicados para perder peso.

Alimentos “PROIBIDOS” durante a corrida

Bebidas como energéticos devem ser evitadas. Essas bebidas possuem muita cafeína que é extremamente diurética, fazendo o corpo eliminar líquidos preciosos.

Bebidas alcoólicas também intensificam a perda de líquidos durante a corrida. Além disso, o álcool diminui os reflexos do corpo.

Alimentos especiais para comer antes, durante e depois a corrida

Existem alguns suplementos específicos para consumo durante o esforço físico.

Gel energético – são basicamente carboidratos na forma de gel. A maioria combina carboidratos simples, como a frutose, e carboidratos complexos, como a maltodextrina. Alguns produtos mais modernos contêm proteínas e aminoácidos para intensificar a recuperação muscular após o esforço físico. Cada embalagem individual possui de 100 a 200 calorias e cerca de 25 a 35 miligramas de cafeína.

A maioria desses suplementos são feitos com sabor muito doce. Muitas pessoas não conseguem consumi-los durante a corrida. Portanto, experimente vários sabores e tipos durante seus treinamentos e só leve para o dia da prova o que você gostar.





Por Atletx.com

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts with Thumbnails