Páginas

terça-feira, 31 de julho de 2012

Músculo: o herói desconhecido



Músculo. Quando ouvimos essa palavra, vem-nos logo à mente um corpo forte, capaz de levantar uma carga extraordinária de peso, fruto de horas de dor, suor e dedicação a exercícios duros e puxados. De qualquer ...modo, é impossível ignorar por completo a presença dessa massa que corresponde a aproximadamente um terço do nosso peso.

Revestindo o esqueleto e coberto de pele e de camadas de gordura, os músculos também dão forma e definição ao corpo, conforme aparecemos na foto, o nosso visual. Mas, apesar disso, os músculos não recebem a devida atenção dos seus proprietários. São vistos apenas superficialmente, de forma simples, estética, fútil e leviana.

Por trás das aparências, a importância fisiológica do tecido muscular para o corpo e a sua contribuição para o nosso equilíbrio físico e emocional, ultrapassa os limites anatômicos.

O desconhecimento das propriedades fisiológicas da musculatura esquelética tem contribuído para a perpetuação de graves problemas que desenvolvem doenças decorrentes do mau funcionamento do nosso organismo. Todos sabemos que, se o miocárdio repousar durante pouco mais do que alguns segundos, como numa paragem cardíaca, o organismo poderá sofrer graves consequências irreversíveis. No entanto, o que pode acontecer com o organismo que pouco utiliza a sua musculatura esquelética?

À primeira vista, podemos logo observar um ligeiro aumento de peso, o que reflete o excesso de gordura corporal. Esse excesso, no entanto, não escolhe lugar para acumular e o próprio tecido muscular torna-se vítima desse ciclo vicioso. O acúmulo de gordura no tecido muscular provoca a inibição do transporte de glicose para o interior das suas fibras, as maiores consumidoras de açúcar de todo o corpo. Como consequência, tem início a intolerância glicêmica, com o aumento da produção e da secreção de insulina, que vão gerar a diabetes do tipo 2, macro doença crónica capaz de envolver todo o organismo, pelo resto da vida.

Pagamos um preço elevadíssimo ao negligenciarmos o imenso poder do efeito locomotor. Por trás das suas inocentes contrações, os músculos são capazes de gerar uma sequência de poderosas reações instantâneas, além de diversos efeitos crônicos em todo o organismo.


segunda-feira, 30 de julho de 2012

Hábitos saudáveis para combater a obesidade

Suco de beterraba pode aumentar resistência de atletas

Se você gosta de malhar como nós, esta notícia é interessante!

Beber suco de beterraba ajuda a aumentar a resistência física e permite que atletas se exercitem por até 16% de tempo a mais, segundo um estudo realizado pela Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha. De acordo com a pesquisa, o nitrato da beterraba ajuda a reduzir o consumo de oxigênio, diminuindo o ritmo em que as pessoas chegam à exaustão.

O efeito de um copo de 500 ml do suco do legume seria maior do que o de treinamento regular.

A descoberta poderia beneficiar pessoas com doenças cardiovasculares, respiratórias e metabólicas, além de atletas de esportes de resistência.

Os cientistas ainda não sabem ao certo como o nitrato do suco de beterraba ajuda a aumentar a disposição física, mas eles suspeitam que a substância se transforma em óxido nítrico no corpo, reduzindo a quantidade de oxigênio consumida durante o exercício.

Bicicleta

A pesquisa da Universidade de Exeter conduziu o estudo com oito homens entres 19 e 38 anos de idades, que tomaram 500 ml de suco de beterraba orgânico todos os dias, por seis dias consecutivos, antes de completarem uma série de exercícios em uma bicicleta ergométrica.

Em outra ocasião, eles ingeriram um placebo de suco concentrado de cassis pelo mesmo período e tiveram de realizar a mesma rotina de exercícios.

Depois de beber o suco de beterraba, o grupo conseguiu pedalar uma média de 11,25 minutos, 92 segundos a mais do que quando tomaram o placebo.

Isso representa uma redução de aproximadamente 2% no tempo levado para percorrer uma determinada distância. A ingestão do suco de beterraba também fez com que o grupo apresentasse pressão arterial mais baixa durante o período de descanso.

Atletas

Um dos pesquisadores envolvidos no estudo, Andy Jones, que também assessora a maratonista britânica Paula Radcliffe, disse estar maravilhado com os resultados, "porque esses efeitos não podem ser alcançados por outros meios, incluindo treinamento".

"Tenho certeza que atletas profissionais e amadores vão ficar muito interessados nos resultados do estudo. Também gostaria de explorar a relevância dos resultados para pessoas que têm má forma física e poderiam usar a suplementação da dieta como uma maneira de ajudá-los em seu dia-a-dia", diz Jones.

Já o acadêmico John Brewer, especialista em ciência do esporte na Universidade de Bedfordshire, acha que ainda é preciso aprofundar os estudos sobre a questão.

"As descobertas podem ser muito animadoras para aqueles envolvidos em esporte, mas estudos mais amplos são necessários para que possamos saber os benefícios exatos e entender os mecanismos envolvidos."



Fonte: BBC Brasil (iG)

sábado, 28 de julho de 2012

Hidrate-se e relaxe os músculos depois dos longões


Ao final treinos longos, reponha líquidos e sais minerais e coma um lanche com proteínas. Em seguida, se possível, faça uma massagem terapêutica para acelerar a recuperação


Assim que terminar um longão, a primeira preocupação deve ser repor os líquidos e os sais minerais perdidos durante o exercício. "Em seguida, troque toda roupa molhada por uma seca, para evitar contrair uma gripe, que pode colocar sua preparação em risco", orienta Nelson Evêncio, diretor-técnico da assessoria esportiva homônima e presidente da ATC (Associação de Treinadores de Corrida de São Paulo).

Ele ressalta ainda que, apesar dos alongamentos pós-treino serem um tema controverso entre os profissionais da área, a prática leve ajuda a descontrair a musculatura. E completa: "Se for possível, faça uma massagem terapêutica, assim a recuperação será ainda mais rápida para o próximo treino".

É importante também consumir uma porção de proteínas para garantir a regeneração da massa muscular depois dos esforços realizados e preservar a imunidade do corpo. Para isso, opte, por exemplo, por um sanduíche com queijo e peito de peru.


Roda Livre
Especial para o Terra

Principais sintomas da fibromialgia

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Oportunidade de trabalho para Massagista em Brasilia

ASSISTENTE DE ESPORTES ensino médio, completo, com experiência comprovada em atendimento as equipes esportivas na função de massagista e outras atividades administrativas,  a gerência de esportes.
Encaminhar cv para: recrutamento.rh2012@bol.com.br

Elimine o excesso de gordura corporal

terça-feira, 24 de julho de 2012

Alongamentos - vídeo

Dúvida sobre forma física de Usain Bolt causa expectativa em Londres



Bolt precisou de alongamento e massagem para tratar uma rigidez no tendão após sua derrota nos 200 m para Yohan Blake na seletiva jamaicana no início do mês.Os organizadores podem achar que o segredo mais bem guardado dos Jogos de 2012 é quem acenderá a pira olímpica, mas muito mais interessante para o público em geral é o estado do tendão direito de Usain Bolt.

O jamaicano, triplo medalhista em Pequim, é a atração número um dos Jogos de Londres, e a dúvida sobre sua forma física aumentou o suspense a respeito da já muito esperada disputa dos 100 metros rasos.

Bolt precisou de alongamento e massagem para tratar uma rigidez no tendão após sua derrota nos 200 m para Yohan Blake na seletiva jamaicana no início do mês. Dias antes, também já havia perdido para Blake nos 100 m, quando parecia estar se poupando.

Imediatamente, ele se retirou da etapa de Mônaco da Liga de Diamante na sexta-feira passada, onde deveria correr os 200 m em sua última prova antes da Olimpíada.

Em seguida, Bolt viajou para a Alemanha para ver o renomado médico esportivo alemão Hans-Wilhelm Müller-Wohlfahrt, embora seu agente, Ricky Simms, tenha dito que a viagem estava marcado havia tempos como parte de seu regime normal de 'pré-habilitação'.

O velocista de 1m95 sofre com lesões no tendão desde o início de sua carreira, um problema ligado à curvatura de sua espinha, e tem que se submeter a um regime severo de alongamento e condicionamento para evitar qualquer reincidência.

"Ele teve um leve enrijecimento no tendão durante a seletiva e por isso não forçou o ritmo tanto quanto poderia", disse Simms recentemente para certificar o público de que seu atleta estará em boa forma em Londres.

"Ele só estava se protegendo. O principal na seletiva era garantir a convocação para a seleção olímpica".

'Seu técnico decidiu que ele precisa de um pouco de massagem e tratamento e repouso para o tendão, e depois treinar forte na semana que vem para estar pronto para a Olimpíada'.

Bolt, como o resto da arrebatadora equipe atlética jamaicana, está treinando a portas fechadas em Birmingham, cerca de 160km ao norte de Londres, antes do início das competições de atletismo, que começam no dia 3 de agosto.



Fonte:UOL



domingo, 22 de julho de 2012

Dor Lombar ao pedalar?

Judocas em Londres

Leandro Guilheiro
O judoca, 28 anos, é um dos principais nomes atualmente da modalidade. Soma duas medalhas de bronze olímpicas (Atenas 2004 e Pequim 2008), dois pódios em Mundiais de Judô, além de uma prata em 2007.

Chegou o fim desta semana… ainda bem! Agora posso passar estes dois dias me recuperando para iniciar a reta final de preparação para os Jogos.

De manhã fiz um treino de musculação curto, porém intenso, enquanto o restante da equipe, ou quase a sua totalidade, treinou no tatame. Além disso, mantive a minha rotina de fisioterapia e massoterapia para recuperar o corpo.

Hoje o dia melhorou aqui em Sheffield e conseguimos finalmente ver o sol. Como era aniversário do Alex – um dos atletas da equipe de apoio – nosso peso ligeiro (sempre ele!) Felipe Kitadai orquestrou uma ovada coletiva para comemorar a data. À tarde, recebemos nossas roupas que voltaram da lavanderia e tivemos a ingrata surpresa de recebê-las todas misturadas e sem sabermos de quem era o quê. O pior de tudo é estar na minha terceira Olimpíada e ainda cometer o erro de não colocar nome nas minhas coisas!

Enfim, momento para aproveitar o meu descanso com a sensação de relaxamento… o último antes da batalha!

Treino de recuperação na piscina: Felipe Kitadai, Luciano Corrêa, eu, Rafael Silva e Bruno Mendonça (Crédito: Arquivo pessoal)

sábado, 21 de julho de 2012

Massagem de recuperação e relaxamento



A função mais eficaz da massagem é a descontração física e emocional, aliviando a tensão provocada no dia-a-dia.

Objetivos

Em termos físicos, a massagem destina-se a melhorar os sistemas circulatórios, muscular e nervoso e a ajudar o corpo a assimilar os alimentos e a eliminar os produtos residuais.

Em termos psicológicos e emocionais, os seus efeitos calmantes e tranqüilizantes contribuem para a melhoria do bem-estar emocional.


Alguns dos benefícios da massagem:

- Bem-estar imediato;
- Elasticidade das fibras musculares;
- Melhoria do sistema circulatório geral;
- Fortalecimento do sistema imunológico;
- Diminuição da tensão;
- Redução de ansiedade.

Contra Indicações:

A massagem não é adequada a pessoas que tenham problemas de varizes acentuadas, pele inflamada ou infectada, que denotem algum estado febril, epilepsia, dores agudas ou persistentes, etc.

É sempre aconselhável a consulta ao seu médico assistente antes de fazer uma massagem, exceto se a massagem se destinar simplesmente ao relaxamento ou ao alivio de uma contratura muscular derivada de esforço físico, e não como uma forma de terapia complementar para o alívio de certo tipo de doença.


Massageadores:

Além das mãos podemos usar de artifícios que auxiliam no relaxamento muscular, tais como massageadores elétricos ou de madeira, que podem potencializar o efeito de relaxamento das massagens.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Lesões no Esporte: Uma Abordagem Anatômica (Livro)

Lesões no Esporte: Uma Abordagem Anatômica
Brad Walker

O livro apresenta de maneira pontual exercícios de prevenção, indicações de tratamento para uma recuperação total e dicas de como evitar futuras lesões no esporte. Ilustrações coloridas apresentam de forma detalhada as lesões no esporte e exemplificam exercícios de alongamento, de reforço muscular e de recuperação. É uma obra de referência indispensável não apenas para profissionais da área de saúde e do esporte, mas também para atletas em diversos níveis de atuação.

Sumário resumido:

• Aspectos gerais das lesões no esporte
• Prevenção de lesões no esporte
• Lesões no esporte: tratamento e reabilitação
• Lesões da pele
• Lesões da cabeça e do pescoço
• Lesões das mãos e dos dedos
• Lesões dos punhos e antebraços
• Lesões do cotovelo
• Lesões do ombro e da porção superior do braço
• Lesões do dorso e da coluna
• Lesões do tórax e do abdome
• Lesões do quadril, da pelve e da virilha
• Lesões da coxa
• Lesões do joelho
• Lesões da perna
• Lesões do tornozelo
• Lesões do pe

terça-feira, 17 de julho de 2012

Massoterapia Aplicada


Palmeiras treina, mas lesões preocupam e quase nenhum jogador vai a campo

Palmeiras se reapresentou nesta segunda-feira após o empate com o São Paulo, domingo, mas poucos jogadores foram a campo. Até para evitar maiores problemas de lesão, grande parte do elenco realizou somente trabalhos de fortalecimento muscular, massagem e hidromassagem.

Os goleiros Deola, Fábio e Raphael treinaram sob o comando do preparador Carlos Pracidelli, enquanto o volante Wesley correu em volta do gramado. O atacante Obina, que deve ser apresentado na sexta, também ficou na sala de musculação. O volante Marcos Assunção, ainda debilitado em função de uma forte gripe, não treinou.

Para o duelo da próxima quinta-feira, contra o Coritiba, o técnico Luiz Felipe Scolari não poderá contar com o zagueiro Henrique, o volante João Vitor e o atacante Maikon Leite, suspensos. Lesionados, os zagueiros Maurício Ramos, Thiago Heleno e Román, e os atacantes Luan e Barcos também serão desfalques.
 
Por ESPN

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Massagem para atletas


Os atletas durante os Jogos Olímpicos na Grécia aplicavam massagens com azeite para ativar a circulação e relaxar os músculos antes das competições. Após para desintoxicar e recuperar os músculos dos micro-traumas causados pelo esforço contínuo. A massagem regular previne as dores musculares comuns do dia-a-dia no treinamento de um corredor, as desconfortáveis cãibras e contusões. Um corpo relaxado é mais forte.

Massagem com pedras quentes

“Nesta técnica utilizam pedras aquecidas de vários tamanhos e formatos para massagear o corpo todo, as pedras podem ser vulcânicas, cristais ou de rio.

O calor das pedras promove um relaxamento muscular mais eficaz, além de estimular os sistemas circulatório e linfático, auxiliando na eliminação de líquidos e toxinas.

Esta massagem é indicada para relaxamento, melhora de dores musculares, para mulheres em período pré-menstrual (pois contribui para melhora da retenção líquida corporal e de cólicas) e por promover intenso relaxamento também pode ser utilizada em casos de depressão e ansiedade.

A aplicação demora em torno de uma hora , e também pode ser realizada com as pedras frias. Além da aplicação das pedras também são realizadas manobras de massagem clássica para estímulo prévio da musculatura.

Esta técnica é contra-indicada para pessoas portadoras de infecções, tumores, doenças de pele e mulheres grávidas”.

Síndrome compartimental




É importante conhecer e observar a síndrome compartimental em atletas. Principalmente atletas iniciantes. Em geral a síndrome acontece no M. Tibial Anterior por falta de oxigênio na musculatura por causa de fáscias fortes e apertadas. O musculo quer crescer mais não tem espaço suficiente e inflama. Muitas vezes as dores não sessam com remédios e para salvar a perna é feita uma cirurgia que corta o musculo longitudinal.

Muitas vezes a síndrome de compartimento é confundida com inflamação do periósteo da tíbia.

A massagem desportiva não é feita quando a síndrome está numa fase aguda, mas pode ajudar muito como prevenção. É interessante trabalhar com manobras de massagem no M. Tibial Anterior em todas as pessoas. Que fazem atividade com as pernas para evitar futuros problemas.

Origem da síndrome compartimental:
■Crescimento da musculatura rápida demais.
■Inchaço/sangramento depois de impacto.

Tratamento da síndrome compartimental:

■Repouso ativo.
■Treino alternativo.
■Massagem.
■Massagem com gelo.
■Tratamentos com calor.
■Alongamento.
■Não pegar friagem.
■Não enfaixar.
■Evitar treinos pesados.

 
Nils

sábado, 14 de julho de 2012

As mãos mágicas de Chicão, o fisioterapeuta alternativo

De Telê a Deco: as mãos mágicas de Chicão, o fisioterapeuta alternativo

Profissional alia fisioterapia a métodos milenares e ajuda Deco a passar da aposentadoria iminente à renovação com o Flu até o fim de 2013

Francisco Briglia é chamado de mago. Outros preferem o apelido de bruxo. Em tom de brincadeira, até maluco ele já ouviu. No seu cartão de visita uma frase chama atenção: “cuidado com a mente porque o corpo sente”. Sem mágicas nem bruxarias, muito menos maluquices, Chicão decidiu, depois de anos de estudo, aliar à fisioterapia processos de acupuntura, reiki e cinesiologia. Com um conjunto de técnicas próprias, ele cuida do corpo, da mente e do espírito. Prestou serviços para Telê Santana, Júnior, Araújo, jogadores do futebol de areia e agora Deco. Vítima de seguidas lesões até o ano passado, o jogador do Fluminense sempre foi admirador de métodos alternativos aliados ao trabalho desenvolvido nos clubes.

- Comecei há 20 anos, com massagem e shiatsu. Depois, fiz um curso de acupuntura e comecei a me interessar por esse ramo, indo pelo caminho da medicina chinesa, japonesa, coreana. Estudei com um professor que me deu um "upgrade" muito grande, Antônio Augusto Cunha. Resolvi estudar fisioterapia e consegui minha formação do lado científico. Vivia o lado da acupuntura e outras técnicas milenares. Vim conhecer o corpo humano e, com o tempo, fiz meu tipo de trabalho, juntei certas técnicas que fazem o meu caminho. Mas, mesmo assim, via que muita gente de quem eu cuidava não melhorava das dores. Comecei a pesquisar o motivo. Então, parti para a parte emocional, fiz um curso de cinesiologia mental. Por meio de um equilíbrio muscular, você volta ao passado, descodifica traumas que ficam na memória celular. Isso fazia com que as dores passassem – explicou Chicão.

Aos 55 anos, o fisioterapeuta começou seus estudos há mais de 20. Aliou a fisioterapia com a cinesiologia, ciência que consiste em criar um estado de saúde e harmonia, colocando todos os aspectos físicos, emocionais e mentais em equilíbrio. Mais do que tratar uma lesão ou dor de forma isolada, o método de Chicão visa ao aspecto psicológico e espiritual do paciente.

Chicão trabalhou durante dois anos com a seleção de futebol de areia, quando tratou atletas como Jorginho, Benjamim e Robertinho. Junior foi um dos seus muitos pacientes. E responsável por recomendar Chicão a Deco e outros jogadores.

- Sempre faço as coisas com ele. Não é só a manipulação, é a forma como ele chega até isso. Vai buscar certas origens de uma dor que as pessoas não se preocupam. Ele tem um estudo que permite entender melhor. E também a questão da prevenção. Estava com meu joelho travado, ele fez o processo com ventosas, acupuntura e tirou o sangue pisado. Hoje digo que sou outra pessoa. Quando você está privado de fazer o que gosta entra em conflito consigo mesmo – revelou o ex-jogador.

Depois de um ano problemático em 2011, Deco se viu livre das lesões com o trabalho do departamento médico do Fluminense, complementado pelos atendimentos particulares de Chicão. O jogador, que pensava em se aposentar, não coloca mais prazos para deixar os gramados e nesta quinta-feira renovou contrato com o Tricolor até o fim de 2013.

- Com prevenção, você consegue aumentar sua vida útil no futebol. Meu trabalho com Chicão me ajuda, estou mais solto nas articulações, me deu mais tempo de vida útil no futebol - afirmou o jogador do Fluminense.

Aos 34 anos, Deco exalta o trabalho no Tricolor e também aponta uma mudança da mentalidade do futebol brasileiro.

- Os clubes já começaram a orientação de prevenção. Antigamente, só tratavam depois de machucar, isso está mudando. No próprio Fluminense eu já faço. Acho que esse é o futuro em termos de prevenção. No meu caso, o trabalho do Chicão ajuda bastante, envolve toda essa parte energética. Lesão traumática não tem o que fazer, o problema são as lesões repetitivas. Além do estresse de não conseguir jogar, é o estresse emocional mesmo. Sempre costumo dizer: muitos falam de chinelinho. Eu não consigo entender alguém ter prazer de ficar no departamento médico, não entendo essa crítica. A gente que joga sabe que não tem coisa pior do que ficar no DM. E muitas vezes ficamos emocionalmente abalados com a lesão - afirmou Deco.

Chicão utiliza em Deco e em outros pacientes técnicas específicas para cada um. De sua mala de trabalho saem martelos de madeira, óleos, ventosas, agulhas, entre outros instrumentos.

- Uso óleos para fazer massagem, a própria essência já trabalha a parte emocional, já que cada um é ligado a um certo tipo de emoção. Tem a técnica dos martelos, onde você coloca as articulações que estejam desniveladas nas suas funções normais, liberando o sistema nervoso central, todos os sentidos de ligação que o corpo precisa. São mais de 25 técnicas diferentes que agrupei. Diferencial, ventosas, martelo. A ventosa, uma das coisas das mais antigas da medicina, é para ajeitar a falta do fluxo sanguíneo oxigenado, que é o que leva as impurezas e edemas. A ventosa é isso, trabalha o pescoço, o humor, uso no corpo todo. Já a acupuntura é como um prédio que tem sua fiação central e distribui luz para cada pavimento – explicou Chicão, que conta com apoio de neurologistas, fisioterapeutas que fazem trabalho de reforço muscular na água, RPG, drenagem linfática, entre outros.

Robertinho, goleiro da seleção de futebol de areia durante anos, também é paciente de Chicão. E exalta o trabalho diferenciado feito pelo profissional nascido na Bahia, mas que escolheu o Rio para morar.

- Ele é o chinês baiano (risos). O trabalho dele não tem explicação, e também cura estresse, depressão, lesões. Chicão já me recuperou de várias contusões. Ele mete a mão, conhece os pontos certos, trabalha com óleos. Eu vou a uma consulta e no dia seguinte estou melhor. É diferente e o resultado o melhor possível - declarou Robertinho.

Atualmente no Náutico, Araújo também destaca os benefícios que conseguiu com Chicão, com quem conversa por telefone atualmente.

- Chicão me ajudou e ainda ajuda muito. Além de trabalhar o corpo, ele também visa o psicológico, sempre com coisas boas. Sempre converso com ele por telefone, ele é importante para mim - disse Araújo.

Olhos arregalados, voz mansa e mãos firmes, Chicão aplica massagens e tenta entender um pouco mais da parte emocional e espiritual do paciente. Foi assim com Deco para desatar nós pelo corpo e cabeça do jogador. Segundo o fisioterapeuta, além do corpo, o psicológico merece atenção especial para que o resultado seja satisfatório.

- Se não tiver confiança, já está dizendo ao seu corpo que não aceita; se sentir a coisa fluir, fica mais equilibrado, mais tranquilo emocionalmente, passa a desejar aquilo para você. A profilaxia faço direcionada para o que cada um precisa. No caso de Deco, a primeira coisa a ser tratada foi o emocional, pois o cara vem deprimido, chateado, o cara quer jogar, quer ficar de bem com a vida. Quem fica machucado é por fora e por dentro. Às vezes, o corpo vai acentuar a lesão pela própria questão emocional. No meu cartão, tem uma frase: cuidado com a mente que o corpo sente. A parte energética, quando é bloqueada, não tem remédio que dê jeito. A medicina não vê assim. Muitas pessoas não acreditam. Pego pessoas com seis anos de dor por um bloqueio energético - afirmou Chicão.

Deco confessa que, além da medicina, antes mesmo de chegar ao Fluminense sempre buscou outras alternativas para cuidar do equilíbrio entre corpo e mente.

- Sempre gostei de medicina alternativa, acupuntura. Tanto é que nos tempos de Barcelona tinha um senhor que sempre ia comigo para lá, seu Taka, que ajudava a me recuperar muito melhor, principalmente em lesão muscular. Sempre gostei de pilates, esses tipos de auxílios no dia a dia. Em Londres, eu já fazia. Contratei uma pessoa que fazia fisioterapia para alongar e aliviar a estrutura do corpo, em Barcelona já fazia pilates. No ano passado, vinha numa fase que emocionalmente estava mal, só pensava em parar, porque não conseguia jogar. Fiz com o Chicão um trabalho focado nisso. Depois, um trabalho de prevenção. Tenho um problema muito grande nas articulações, então, preciso soltar, manipular. Ele faz um trabalho em conjunto com que faço no Fluminense, que me permite estar sem dor - afirmou Deco.

Os métodos de Chicão, indicados não somente para atletas, renderam apelidos e brincadeiras.

- Uns me chamam de bruxo, mago, toda hora é isso (risos). Até maluco. Encontrei minha missão que é ajudar os outros, quebrar as pedras do caminho, por isso uso tanto martelo – brincou Chicão.



Por Janir Júnior

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Alongamento diário ajuda a relaxar músculos


Aprenda os exercícios para ter mais disposição e aliviar tensões

Você se alonga todos os dias? Com a vida corrida muitas vezes não ficamos atentos a algumas atitudes simples que podem nos trazer benefícios à saúde. O alongamento é uma delas. Por isso, veja com o personal trainer Rogério Azevedo como pode ser rápido e fácil contribuir para a sua disposição e bem-estar.

Alongamento para quadríceps femural
 - Apoiando-se a uma cadeira, fique em pé com o joelho relaxado.
 - Flexione um dos joelhos e puxe a ponta do pé até a região dos glúteos, forçando ligeiramente o joelho para trás.
- Mantenha por 30 segundos e repita se apoiando no outro pé.

Alongamento para musculatura lombar, glúteos e posterior de coxas
- Com o corpo ereto, junte os dois pés.
- Flexione o quadril, projetando o tronco para frente. Mantenha uma das pernas flexionada e a outra estendida. O corpo deve formar um ângulo de 90°.
 - Mantenha a posição por volta de 30 segundos e repita com a outra perna.

Alongamento para musculatura lombar, glúteos e posterior de coxas ? 2º exercício
- Sente-se com as pernas cruzadas.
- Projete o tronco à frente com os braços estendidos.
- Mantenha a posição por volta de 30 segundos e volte lentamente à posição inicial. Repita com a posição das pernas invertidas.

Alongamento para musculatura lombar
- Sente-se com as pernas cruzadas.
- Gire o tronco juntamente com a cabeça para o lado.
- Mantenha a posição por volta de 30 segundos e volte lentamente à posição inicial. Repita o exercício para o outro lado.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

12 motivos para consumir mais água durante o dia


Entenda como esse líquido é um santo remédio para o corpo

Quem consome água de forma regular durante o dia ajuda o corpo a funcionar melhor, previne problemas de saúde e até fica mais bonito. "A água tem um papel regulador de muitas funções de nosso organismo. a quantidade de água que consumimos tem um papel fundamental desde o controle da temperatura até o bom funcionamento do sistema circulatório", explica o fisiologista Raul Santo de Oliveira, da Unifesp.

Para saber a quantidade certa de água para consumir, basta multiplicar o seu peso corporal por 0,03. Assim, uma pessoa com 70 quilos, por exemplo, deve tomar aproximadamente 2,1 litros de líquido por dia. "É importante lembrar que esse cálculo é feito de maneira geral, mas a necessidade de água varia de pessoa para pessoa. Uma atleta de alto rendimento, por exemplo, pode perder um litro de água por hora, e por isso precisa de uma maior ingestão", diz o fisiologista. A seguir, conheça 12 motivos para deixar sempre um copo de água por perto.

1.Controlar a pressão sanguínea: Um estudo feito pela Vanderbilt University Medical Center, nos Estados Unidos, mostrou que a água sem nenhum aditivo pode ter um papel importante para regular a pressão sanguínea. "A água tem grande influencia no controle da pressão, já que a sua presença determina a densidade do sangue. É por isso que em alguns aparelhos medidores, a pressão é medida em porcentagem de água no sangue", explica Raul Santo.

2.Previne cãibras:As cãibras aparecem quando há um desequilíbrio hidroelétrico em nossos músculos, causando uma contração involuntária da musculatura. "Elas acontecem por que existe um desequilíbrio na quantidade de água de nossos músculos. Beber água regularmente ajuda manter o equilíbrio hidroelétrico e o bom funcionamento das células musculares", diz o fisiologista.

3.Protege o coração: Um estudo feito pela Loma Linda University, nos Estados Unidos, mostrou que pessoas que bebem mais de cinco copos, o que equivale em média a dois litros, de água diariamente, têm menos chances de sofrer ataques cardíacos ou outras doenças do coração do que aqueles que bebem menos do que isso. "Com o sangue mais diluído, ele flui com mais facilidade pelos vasos sanguíneos, diminuindo as chances de infartos e derrames", explica o fisiologista.

4.Melhora o funcionamento do intestino: Quando o intestino não está funcionando muito bem, uma boa dica é comer mais fibras e ingerir mais água também. Aliás, ingerir muitas fibras e pouca água provoca o efeito reverso: intestino preso. Isso mesmo, a água auxilia na lubrificação das paredes intestinais e na movimentação do bolo fecal, evitando constipação e a formação de gases.

5.Aumenta a resistência física: Durante exercícios físicos, a perda de água pelo suor faz com que nosso desempenho piore. Esse processo pode ser observado também longe do treino. De acordo com o especialista, algumas profissões exigem um esforço muito grande do corpo, e consequentemente, há uma perda maior de água pela transpiração. "Um carteiro ou um entregador, por exemplo, se não tomarem cuidado com a hidratação, não conseguirão fazer um bom trabalho, já que realizam um esforço físico muito grande durante o dia". Além da hidratação, a água ajuda a controlar a temperatura do corpo, e assim melhora o rendimento em alguns esportes.

6.Limpa o organismo: De acordo com a nutricionista Márcia Curzio, o consumo de água é vital para o bom funcionamento do organismo, já que quando não nos hidratamos corretamente, substâncias tóxicas e prejudiciais ficam retidas no organismo, abrindo o caminho para o aparecimento de algumas doenças. "A cada 500 gramas de gordura que o organismo metaboliza, são produzidos e despejados no organismo cerca de 550 gramas de um mix de água e resíduos que tende a se acumular cada vez mais. Para que sejam eliminados, só há um meio: botar mais água para circular no corpo, o que proporciona uma espécie de faxina interna, garantindo o equilíbrio hídrico do organismo", explica Márcia Curzio.

7.Protege contra pedra nos rins: Beber muita água é a principal maneira de se proteger da formação de um cálculo no rim. Quanto mais água bebermos, mais o nosso sangue circulará e ficará diluído, facilitando o trabalho dos rins na hora de excretar nutrientes que não são mais necessários em nosso organismo. "A ingestão continua de água faz com que nossos rins trabalhem constantemente devido ao maior volume de sangue. E isso acontece sem sobrecarregar os rins, mantendo sua função de "limpar" o sangue eficiente", diz o urologista Roberto Maluf, do Hospital Santa Cruz.

8.Transporte de nutrientes: A água também é fundamental para que ocorra um bom transporte de nutrientes em nosso organismo. Segundo o fisiologista Raul Sano, sem ela, o sangue fica mais denso e, consequentemente, menos capaz de transportar nutrientes como vitaminas e minerais para nossas células. "A parte líquida do sangue, chamada de plasma, deve corresponder a 55% do sangue. Se essa proporção diminui pela falta de água, as células não recebem todos os nutrientes que deveriam".

9.Ajuda a emagrecer: Por aumentar a atividade no sistema nervoso, e assim elevar o nível de energia gasto, o hábito de beber água constantemente também promove a perda de peso. De acordo com cientistas do Vanderbilt University Medical Center, uma pessoa que beba três copos de água por dia pode perder três quilos em um ano, sem mudar em mais nada sua rotina. Isso não resolve o problema de excesso de peso, mas ajuda quem quer emagrecer a entender como o sistema nervoso funciona. De acordo com a endocrinologista Alessandra Rascovski, se ingerirmos bastante líquido durante o dia, conseguiremos manter o estômago relativamente preenchido. Isso significa maior saciedade e, por sua vez, menor comida ingerida.

10.Protege os olhos: Manter o organismo hidratado é essencial para que os olhos fiquem protegidos de lesões. "Os olhos são órgãos muitos sensíveis a desidratação. Por isso, manter o organismo com níveis de água elevados, protege os olhos de ressecamento que podem levar a problemas oculares como inflamações e infecções", diz Raul Santo.

11.Absorção de vitaminas: as vitaminas C e do complexo B são hidrossolúveis, ou seja, só são absorvidas pelo organismo com a presença de água. "Ao contrário das vitaminas lipossolúveis, que ficam armazenadas no tecido adiposo, as vitaminas hidrossolúveis precisam ser consumidas regularmente, assim como a água, já que são eliminadas pela urina", diz Raul Santo.

12. Manter a pele jovem: Um dos primeiros sinais da falta de água (desidratação) se dá na pele e nas mucosas. "Entre as células, temos um líquido intersticial que ajuda na sustentação da pele, entre outras funções. A falta de ingestão de água deixa a pele flácida e sem viço", explica a dermatologista Daniela Taniguchi. A pele perde o turgor, demorando para voltar ao seu estado natural, quando sofre uma distorção. Por exemplo, quando beliscamos a pele, ela logo deve voltar ao seu estado normal ao soltarmos. Se isso demora para acontecer, é sinal de que está desidratada e flácida. Além de deixar a pele hidratada e firme, beber água também favorece a excreção de toxinas, substâncias que prejudicam a pele.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Alivie as dores causadas pelo excesso de esforço físico



Compressas quentes ou geladas e alongamentos fazem milagres por você

No meio do jogo, bem quando você ia chutar para o gol, sente a fisgada: a dor é insuportável e não dá sequer para raciocinar. Resultado? Primeiros-socorros feitos de qualquer jeito, que podem até agravar uma lesão simples. "Na desconfiança de um problema mais sério, o jeito é mesmo procurar um médico" , afirma o ortopedista Ricardo Cury, professor do Grupo de Cirurgia do Joelho e Trauma Esportivo da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo. "Mas, às vezes, basta usar uma bolsa de gelo ou de calor para resolver o machucado", completa . A seguir, dois especialistas em ortopedia explicam como você faz para aliviar os problemas mais comuns.

"Fisgadas" nos músculos

Às vezes, movimentos rápidos sobre uma musculatura não alongada e não aquecida levam a lesões musculares, explica o ortopedista Ricardo. No frio, isso ainda mais comum os músculos ficam naturalmente mais contraídos. Na hora do desespero, apele a uma bolsa congelada ou enrole algumas pedras de gelo numa toalha. O gelo diminui a dor e o processo inflamatório no local, explica.

Cãibras

A cãibra está associada a grandes esforços físicos e musculares. Qualquer atividade que exija muito dos seus músculos está incluída nesta categoria, desde percorrer quilômetros a pé até ficar horas sentado na mesma posição. O calor relaxa a fibra muscular e ainda tem propriedades anti-inflamatórias, resolvendo o problema facilmente, sugere o médico.

Torcicolo

Calma, seu pescoço travou porque a musculatura se contraiu e causou uma dor bem localizada. Essa contração aconteceu por má postura ou por ficar muito tempo numa posição sem movimento. Nesta situação o melhor é usar calor no local e um relaxante muscular. Se a dor for muito intensa, usar colar cervical de espuma e fazer fisioterapia após uma avaliação médica.

Ombros tensos

Para um acidente eventual, por esforço exagerado ou mesmo fadiga, a dica é fazer uma compressa quente no local e, aos poucos, alongar a área dolorida, ajudando a musculatura a se descontrair. "Se a dor for repetitiva o melhor é procurar um ortopedista", sugere o ortopedista Marcelo Acherboim, especializado também em cirurgia de ombro.

Dores na lombar

Essas dores são normais. Depois de horas de má postura e muito esforço,a musculatura realmente fica mais contraída , explica o dr. Marcelo . Ele recomenda aos pacientes que utilizem calor na lombar e ainda o uso de um relaxante muscular, para uma melhora mais eficaz.

Dores musculares após fazer exercícios demais

Esse tipo de dor muscular é causada não só pelo esforço desmedido, mas principalmente pela falta de preparo físico, constata o ortopedista Marcelo Acherboim. Neste caso deve ser feito um alongamento e, se a dor for intensa, é indicado usar um relaxante muscular. Um desconforto mais leve é resolvido apenas com alongamento e repouso são ideais. Nas duas situações, contudo, a aplicação do calor colabora para o alívio da dor.

Sete cuidados para melhorar seu desempenho na caminhada

Caminhar é uma das melhores atividades físicas que existe. É fácil, já que faz parte da vida cotidiana da maioria das pessoas, e não precisa ser aprendida. É prática, porque pode ser executada em quase qualquer lugar. É democrática, visto que toda pessoa saudável pode praticá-la sem custo. E é completa, pois inclui exercícios aeróbicos e trabalhos musculares. Para ser aproveitada ao máximo, recomenda o personal trainer Eduardo Colmanetti, deve ser feita com um bom tênis e uma roupa confortável, além de acompanhada de consumo adequado de água e alimentação balanceada.

Benefícios para o corpo

Realizada de 20 a 60 minutos de três a seis vezes por semana, a caminhada traz inúmeros benefícios para o bem-estar físico e mental. Alguns deles são melhora da circulação e do funcionamento do intestino, controle do colesterol, perda de peso, redução dos riscos trazidos pelo diabetes, aumento da qualidade do sono, alívio da depressão e diminuição do estresse e da ansiedade.

Queimando calorias

Apesar de ter um gasto calórico inferior ao da corrida (700 calorias por hora) ou da natação (550 calorias por hora), por exemplo, a caminhada é considerada um bom exercício aeróbico. Com perda média de 250 calorias por hora, a atividade, diz o especialista, é suficiente para ter gerar a redução de quilos quando conciliada com uma dieta equilibrada de emagrecimento.

Trabalha os músculos

Andar também trabalha a musculatura. "Quando a caminhada é realizada em uma superfície plana, são mais exigidos músculos dos membros inferiores como glúteos, panturrilhas e quadríceps. Em um aclive, o glúteo e a panturrilha são mais solicitados e o principal esforço fica com o quadríceps. Os músculos do tronco são exercitados em todos os casos", explica Colmanetti.

Na esteira ou na rua?

A atividade, em reta, subida ou descida, pode ser realizada na esteira de uma academia ou na rua. A diferença está nos benefícios, segundo o personal trainer. Na esteira, o amortecimento é melhor, a temperatura à qual a pessoa se expõe permanece estável, a superfície é sempre igual, sem buracos, o ritmo de caminhada fica constante e a medição de distância e tempo é mais precisa.

Já na rua, a contemplação da paisagem e a sensação de liberdade são os diferenciais. "A escolha depende do objetivo de cada um. Se a pessoa quer se sentir livre, ficar em contato com a natureza, sentir o cheiro das plantas, relaxar e aliviar o estresse, a melhor opção é a rua. Deve-se considerar que os benefícios físicos são mais ou menos os mesmos", orienta Colmanetti. Na rua, só é preciso prestar mais atenção aos obstáculos, que podem causar quedas e traumas como entorses, luxações e fraturas.

Hidrate-se e coma bem

Outros cuidados que precisam ser tomados são com relação à hidratação e à alimentação. "Durante o exercício é aconselhável beber 30 ml de água a cada 20 minutos", diz o treinador. É importante comer algo leve, como pão com geleia, biscoitos água e sal e sucos, uma hora antes de sair para caminhar. Alimentos à base de leite não devem ser consumidos, pois a digestão da lactose, assim como a sua absorção, é lenta, podendo levar a desconforto estomacal. Depois da atividade, deve-se seguir uma alimentação balanceada e saudável.

Como se vestir?

Usar roupas leves, protetor solar e calçados adequados também é importante. "Hoje, existem no mercado tênis para todo tipo de pé. Procure um profissional que possa avaliar o tipo de sua pisada e as possíveis alterações. Escolha um tênis com bom amortecimento e estabilidade e que não seja muito justo, pois, após um tempo de caminhada, o pé incha", recomenda Colmanetti.

Deixe o treino mais divertido Alongar antes e depois é outro hábito que deve ser cultivado. Fora isso, atitudes, como escutar música, levar o cachorro junto ou ir com um amigo ajudam a aumentar a motivação e tornar a atividade mais agradável.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Use a natureza para combater o estresse

Aqueles 15 minutinhos de sol que você toma ao caminhar na rua parecem insignificantes, mas são suficientes para descarregar uma boa carga do estresse que você passa no dia a dia. Estudos científicos e especialistas apontam que usar a natureza a seu favor é uma ótima alternativa para relaxar. Morar em cidades com poucas paisagens verdes não é desculpa, pois as sugestões para escapar da rotina são simples: vale desde ouvir sons da natureza até andar com os pés descalços na terra. Que tal experimentar? Confira as sugestões a seguir.

Andar com os pés na terra

A prática de usar os pés para aumentar o bem-estar já foi encontrada em diferentes civilizações há centenas de anos. "No Japão, no século XII, os samurais cortavam bambus e andavam sobre eles para fortalecer a perseverança", afirma a terapeuta corporal Alda Martinelli, de São Paulo. A aplicação de pressão nos pés tem apelo terapêutico nos dias de hoje: serve para revitalizar, energizar e até prevenir e curar problemas nos ossos, músculos e circulação.

Ao reservar alguns minutinhos do dia para caminhar com os pés descalços na terra, você sente melhor as diferentes superfícies e temperaturas. "Com isso, você mobiliza a musculatura tensionada ou enfraquecida, promovendo relaxamento e revigorando outras partes do corpo por reflexo de pontos presentes no pé", explica a terapeuta.

Respirar o ar de áreas verdes

O contato com a natureza é importante para que a flora bacteriana do nosso organismo se desenvolva, fortalecendo a imunidade. É o que aponta um estudo desenvolvido pela Universidade de Helsinque, na Finlândia, e divulgado na publicação científica Proceedings of the National Academy of Sciences. Segundo a pesquisa, a falta de exposição à natureza pode aumenta a incidência de asma e outras alergias entre moradores de cidades.

"O tempo seco, partículas de fumaça, gases irritantes, substâncias químicas existentes no ar agravam as crises asmáticas", afirma o pneumologista Carlos Carvalho, do Hospital do Coração. Se você prezar por alguns minutinhos de passeio em um parque ou por uma viagem de final de semana a uma cidade mais verde, diminui as crises de alergia e outros problemas respiratórios que acabam com o humor de qualquer um.

Ter contato com animais

Tem sensação melhor do que chegar em casa e esbarrar no seu cachorro, de língua de fora e rabo abanado de felicidade? O contato com um animal, seja de estimação ou não, é uma ótima forma de se distrair e de estimular a afetividade. "Muitas pessoas têm dificuldade de dar e receber carinho de outros seres humanos", afirma o neurocientista Alexandre Monteiro, coordenador do Projeto Animallis, que faz terapia assistida com animais em idosos com demências, como Alzheimer, e depressão. "O contato com animais pode funcionar como uma ponte para trabalhar as emoções, aumentando a sensação de segurança, a socialização e a motivação."

Tomar 15 a 20 minutos de sol por dia

Um estudo feito pela Universidade do Alabama, nos Estados Unidos, indicou que viver em regiões com menor exposição solar agrava crises de depressão. Segundo especialistas, o sol estimula a produção do hormônio melatonina, que ajuda a regular o sono e o apetite sexual, combatendo a sonolência. Bastam alguns minutos diante do sol para você ter um dia com mais disposição. Só não se esqueça de passar filtro solar todo dia e evitar a exposição exagerada ao sol das 10 às 16 horas.

Ouvir sons da natureza

Existem desde aplicativos para celular com sons da natureza até CDs e DVDs. Barulhos de chuva, cachoeira, pássaros e até baleias ajudam a levar a mente para longe dos problemas - recurso perfeito para relaxar antes de dormir. Pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, observaram esse benefício em pacientes com câncer: aqueles que tiveram contato com imagens de paisagens naturais e sons de pássaro fizeram menos queixas de dores do que as pessoas que viram imagens e sons de cidades ou ficaram sem ver nada.

Aromas naturais

O cheiro de terra molhada, flores, madeira e diversos outros elementos da natureza pode tanto aumentar a disposição como promover relaxamento. A aromaterapia é uma técnica que combina esses diferentes aromas naturais e indica os melhores para cada situação. "Existem aromas que são estimulantes, ou seja, auxiliam na oxigenação e na circulação sanguínea, promovendo a eliminação de toxinas e o excesso de gás carbônico", afirma a aromaterapeuta e psicóloga Sâmia Maluf, da By Samia Aromaterapia. "Com esse verdadeiro 'arrastão', o organismo recupera as suas funções normais e acaba com a lentidão e o cansaço causados pelo estresse."

Cinco minutos de caminhada no parque

Mesmo que o dia esteja nublado, você pode se beneficiar pelo simples fato de estar ao ar livre em contato mais próximo com a natureza. De acordo com um estudo da Universidade de Essex, na Inglaterra, bastam cinco minutos de exercícios em uma área verde, como um parque, para melhorar a saúde mental. Foram analisadas 1.250 pessoas e aquelas que praticavam atividade física ao ar livre tiveram uma melhora mais rápida do humor e da autoestima.

fonte minha vida

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Vibromassagem, combate as dores na coluna

Uma nova técnica criada por um fisioterapeuta, chamada de vibromassagem, acaba de uma vez com as dores na coluna

Problema de coluna é o mal mais comum da humanidade. Causada por distúrbios nos músculos, nervos, ossos, articulações ou outras estruturas na coluna vertebral, a dor nas costas, como é chamada popularmente, ocorre em 8 entre 10 pessoas. Ela pode acontecer desde o pescoço, na região cervical, podendo irradiar para os braços, coluna superior (região torácica), até a região lombar, se estendendo até as pernas. E está relacionada devido a várias curvaturas da coluna, além de fatores como a má postura, impacto, genética, entre outros.

Nas pesquisas mais recentes, o problema de coluna chamado de lombalgia é a quinta causa mais comum de consultas médicas. Em torno de 90% dos adultos experimentam dor na coluna em algum momento da vida, e 50% que trabalham têm essa dor todos os anos.

A boa notícia é que a técnica inovadora de vibromassagem, feita por meio de movimentos circulares com o uso das mãos e de um massageador elétrico Thrive, criada pelo fisioterapeuta Dr. Daniel Gerimias, que lançou a técnica em Curitiba, promove a liberação miofascial e o realinhamento muscular e ósseo de todo o corpo, devolvendo o bem-estar e a qualidade de vida às pessoas que convivem com problemas de coluna. “A vibromassagem e a quiropraxia ajustam as articulações e as fibras musculares deixando o corpo no padrão anatômico normal, realizando um equilíbrio osteomuscular, assim eliminando dores e tensões”, explica o especialista.

“Depois da última gravidez passei a sentir dores nas costas desencadeadas pelo pinçamento do nervo ciático. Além disso, tenho o hábito de correr e às vezes sinto tensão na coluna cervical, provocando enxaqueca e muito desconforto. A vibromassagem é uma maravilha, porque resolve o meu problema em uma única sessão, ou seja, a solução é imediata”, revela a empresária Miriam Malucelli, de 42 anos, que já havia recorrido à fisioterapia convencional, mas só encontrou resultado eficaz utilizando a nova técnica. “Para qualquer desconforto ou dor eu faço uma sessão e fico ótima”, completa.

Entendendo a dor nas costas

Nossa coluna possui uma interconexão complexa de nervos, articulações, músculos, tendões e ligamentos, todos esses capazes de causar dor. Nervos longos, como o conhecido ciático ou isquiático, que se originam na coluna e vão até as pernas, podem fazer a dor irradiar para as extremidades. A dor nas costas também ocorre pelo desvio de quadril, mais conhecido como báscula de quadril ou falsa perna curta, que algumas vezes pode surgir quando não há nenhum problema anatômico aparente.

“Distensões musculares e contraturas são as causas mais comuns de dor lombar”, afirma Águida Gerimias, uma das profissionais do Instituto Viver Sem Dor. De acordo com ela, há várias causas para a dor na região lombar e nas pernas. “Para adultos de menos de 50 anos elas incluem hérnia de disco e doença degenerativa do disco. Para pessoas acima de 50, as causas mais comuns são a osteoartrite e artroses”, acrescenta.

Para todos estes problemas a vibromassagem e a quiropraxia, trazem alívio e resgatam a qualidade de vida do paciente, pois ele passa a viver sem dor. “Quando identificamos casos que só serão resolvidos pelos ortopedistas, cirurgiões ou médicos vasculares, encaminhamos para estes especialistas”, afirma Dr. Daniel.

O Instituto Viver Sem Dor é especialista também em ensino e treinamento na área de terapia manual. Já treinou e habilitou diversos fisioterapeutas e massoterapeutas, nas técnicas de vibromassagem, quiropraxia, equilíbrio vascular e reflexologia. Além dos cursos, o instituto comercializa macas e acessórios para massagem como o massageador elétrico Thrive.



Matéria da revista corpore

Reflexão

"Quando alguém pára no caminho, e não quer avançar, o problema não está no saber. Ele busca segurança quando é preciso coragem, e quer liberdade quando o certo não lhe deixa escolha. Assim, fica dando voltas."


Bert Hellinger 

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Atividade física para melhorar a saúde e aumentar a longevidade


Argumentos para uma abordagem lenta, porém constante, à prática de exercícios

Novas pesquisam aparecem para tranquilizar as pessoas que praticam exercícios físicos, mas que ficam preocupadas com o fato de não estar se exercitando o suficiente. A quantidade de exercício necessária para melhorar a saúde e aumentar a longevidade é modesta – quantidades maiores não significam necessariamente resultados melhores.

Isso é o que informa o estudo mais recente e, talvez, mais convincente, apresentado este mês no congresso anual do Colégio Americano de Medicina Esportiva, em São Francisco. Os pesquisadores da Escola Arnold de Saúde Pública da Universidade da Carolina do Sul e de outras instituições pesquisaram os registros médicos de 52.656 americanos adultos que realizaram exercícios físicos de 1971 a 2002, como parte do Estudo Longitudinal do Centro Aeróbico do Instituto Cooper, em Dallas. Os participantes concluíram os exames físicos e preencheram os questionários, retornando para ao menos uma consulta de acompanhamento.

Os pesquisadores descobriram que aproximadamente 27 por cento dos participantes informaram correr com regularidade, embora a quantidade de tempo dedicado à corrida e o ritmo fossem muito diversos.

Em seguida, os cientistas verificaram os relatos de mortes.

Durante a realização do estudo, 2.984 participantes morreram. Porém, a incidência foi muito menor no grupo que praticava corrida. O risco de morte por qualquer causa desses participantes foi em média 19 por cento menor que o dos que não praticavam corrida.

Notadamente, em uma análise atenta das atividades que os participantes informaram realizar, os pesquisadores descobriram que a corrida moderada oferecia mais benefícios. A redução do risco de morte foi mais eficaz para os participantes que corriam de 1,6 a 32 quilômetros por semana, percorrendo em média 1,6 quilômetros em cerca de 10 ou 11 minutos – em outras palavras, praticavam cooper – que para os que corriam mais de 32 quilômetros por semana (reconhecidamente poucos) e os que corriam normalmente em um ritmo mais rápido, percorrendo mais de 11 quilômetros em uma hora.

'Esses dados certamente apoiam a teoria de que não é necessário correr mais para gerar benefícios extras para a saúde e para a expectativa de vida', afirmou um dos autores do estudo, o Dr. Carl J. Lavie, diretor clínico de reabilitação cardíaca e prevenção do Centro Médico Ochsner, em Nova Orleans. 'De fato, parece que a quantidade de tempo de corrida menor está associada a uma proteção melhor contra o risco de morte. O acréscimo não é sinônimo de benefício, e, na realidade, pode ser sinônimo de piora.'

A análise do cientista reflete os resultados de outra pesquisa recente relacionada com atividade física e mortalidade, na qual cientistas dinamarqueses usaram dados extraídos de um trabalho continuado de 27 anos do Estudo do Coração da Cidade de Copenhagen. Os pesquisadores relataram que a expectativa de vida dos dinamarqueses que, durante o período de estudo, corriam semanalmente de uma a duas horas em 'ritmo lento ou moderado' foi maior que a dos participantes sedentários e dos que corriam em ritmo mais acelerado.

Essa quantidade de exercícios absolutamente modesta resultou no aumento da expectativa de vida: em média 6,2 anos para os homens e 5,6 para as mulheres.

'Podemos dizer com certeza que correr com regularidade aumenta a longevidade', afirmou o Dr. Peter Schnorr, cardiologista e um dos autores do estudo, ao apresentar as descobertas no congresso clínico da Associação Europeia para a Prevenção e Reabilitação Cardiovascular, ocorrido no mês passado. 'A boa notícia é que as pessoas não precisam correr muito para obter os benefícios.'

'Essa relação parece ser bastante semelhante à ingestão de álcool', continuou o médico. 'A mortalidade é menor entre as pessoas que relatam correr de forma moderada que entre não praticantes ou os que praticam exercícios de alta intensidade.'

A confirmação dessa ideia também aparece nas descobertas de um amplo estudo da prática de exercícios, publicado ano passado no periódico The Lancet, que demonstrava que a pratica de 92 minutos de exercícios moderados por semana, como caminhada, corrida ou ciclismo leves por um grupo de 416.175 habitantes de Taiwan, aumentava a expectativa de vida em aproximadamente 3 anos e diminuía o risco de mortalidade por qualquer causa em aproximadamente 14 por cento. O risco diminuiu entre os participantes do estudo cujos programas de exercícios eram mais ambiciosos, o que parece justo, embora os benefícios tenham se estabilizado rapidamente. Para cada 15 minutos extras semanais de exercícios moderados, que complementavam os 92 minutos iniciais, o risco de mortalidade do praticante diminuía. A diminuição, porém, era de apenas cerca de 4 por cento.

Não está claro se o exercício adicional se torna contraproducente e em que momento isso ocorre. 'Em geral, parece que os exercícios físicos, assim como qualquer terapia, resultam em uma curva de distribuição normal em termos de respostas e benefícios', afirmou o Dr. James H. O'Keefe, cardiologista e principal autor da instigante análise, publicada no periódico Mayo Clinic Proceedings, que investiga se a prática de exercícios vigorosos em excesso, especialmente corrida, pode causar danos ao coração.

'Os dados obtidos até o momento sugerem que a caminhada e o cooper são benéficos quase uniformemente para a saúde e aumentam a expectativa de vida', afirmou O'Keefe. 'Mas os benefícios podem se tornar questionáveis quando os exercícios são mais vigorosos e prolongados.

'Eu gosto de corrida de longa distância', continuou o cientista. 'Eu corro. Contudo, após aproximadamente 45 a 60 minutos diários, você atinge um ponto de retornos decrescentes, e corre o risco de toxicidade em determinado ponto.'

O que ele aconselha? O estudo realizado por Lavie e seus colegas oferece orientações excelentes para a prática de exercícios de forma segura e eficaz, afirmou O'Keefe. 'Você pode adicionar anos a sua expectativa de vida se correr 32 quilômetros ou menos por semana percorrendo um quilômetro em 10 ou 11 minutos. Essa é uma excelente notícia.' Isso é verdade – especialmente porque, por acaso, essa rotina é quase igual ao meu próprio programa semanal de exercícios.

'Eu não desencorajaria automaticamente a pratica de quantidades maiores de exercícios se a pessoa deseja muito' e não está sentindo efeitos colaterais, como fatiga extrema ou lesões constantes, continuou O'Keefe. 'Contudo, os dados recentes informam que o ponto ideal da prática de exercícios parece surgir com uma quantidade menor.'

Tour de France - massagem em ciclista

domingo, 1 de julho de 2012

Substitua os analgésicos no combate à dor crônica

Hábitos saudáveis ajudam o corpo a relaxar e diminuem necessidade de medicação

Uma fisgada nas costas ou uma dor mais forte nas pernas, de vez em quando, não é motivo de grande preocupação - a não ser que o incômodo persista ou tenha intensidade crescente. Nessas condições, dois cuidados são fundamentais: buscar um especialista para entender a origem do problema e controlar o consumo de analgésicos, evitando a dependência deste tipo de medicamento. "O tratamento especializado para dor crônica e a mudança de hábitos ajudam a amenizá-la", afirma a anestesista Fabíola Peixoto Minson, diretora da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED). As dores mais comuns, segundo ela, afetam a coluna e a cabeça (enxaqueca). Contra elas, veja dicas simples e saudáveis.

Pratique exercícios

As dores pelo corpo atrapalham a prática de exercícios e, num círculo vicioso, a falta de exercícios piora as dores pelo corpo. Algumas condições, como fibromialgia e certos desvios de coluna, impedem ou atrapalham os movimentos. Nesses casos, o acompanhamento de um fisioterapeuta ou profissional de Educação Física é fundamental. "Mas vale lembrar que a atividade física pode ser praticada em outros ambientes, além da academia", afirma a fisioterapeuta Mariana Schamas, do grupo de caminhada Pare a Dor. Caminhadas ao ar livre, dança, tai chi chuan, yoga, pilates e até serviços de casa são alternativas para melhorar o condicionamento físico. O bem-estar imediato também sai ganhando, porque há liberação da endorfina enquanto você treina e esta substância é um analgésico natural do organismo, oferecendo uma sensação de relaxamento. Praticando exercícios pelo menos meia hora, três vezes por semana, por pelo menos dois meses, você sentirá menos dores, o que diminui até mesmo o uso de analgésicos.

Relaxe

Alongamento, exercícios respiratórios, massagens e meditação acalmam a mente, relaxam a musculatura e ajudam você a ganhar consciência corporal, evitando esforços desnecessários para os músculos e para as articulações. Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, analisaram 500 estudantes que nunca haviam meditado. Os participantes fizeram um treinamento de 20 minutos da prática, durante três dias consecutivos e, depois, foram submetidos a testes com choques elétricos. Os resultados, publicados no The Journal of Pain, apontaram que a meditação ajudou a aliviar a dor, mesmo que os estudantes fossem iniciantes.

Evite o álcool e durma bem

Muita gente acredita que um bom cálice de vinho ou até mesmo uma cerveja antes de dormir favorecem um sono mais relaxado. Mas, apesar de ajudar na dormência, o álcool provoca microdespertares durante a noite e não deixa que o sono REM (do inglês Rapid Eyes Movement, o sono mais profundo) chegue. "Quem dorme bem, descansa e relaxa mais e, consequentemente, sente menos dores", afirma a fisioterapeuta Mariana.

Alimente-se bem

A alimentação balanceada previne sobrepeso e obesidade, protegendo as articulações da dor e do desgaste causados pelo excesso de peso. Além disso, muitos alimentos têm substâncias anti-inflamatórias, que ajudam no combate à dor. Nessa classe, destacam-se opções ricas em ômega-3 (como o azeite e os peixes de água fria) e em antioxidantes, encontrados na semente de linhaça, na uva (especialmente nas de cor escura) e no tomate, por exemplo.

Investigue a dor

Escrever um diário da dor é muito importante tanto para o médico quanto para o paciente: anote o que desencadeou a dor e o que você fez para aliviar o desconforto. "O diário deve listar desde uso de medicamentos até fatores relacionados à mudança de humor, falta de sono, alterações climáticas ou problemas", afirma fisioterapeuta.

Respeite seu corpo

Quem tem uma dor crônica precisa se movimentar, mas isso não significa ultrapassar limites. Ouça seu corpo se ele pedir repouso e busque alternativas para melhorar sua disposição, sempre pouco a pouco. Agir de maneira agressiva, forçando esforços mais pesados, pode causar lesões e piorar ainda ais um quadro de dor.

Tenha momentos de lazer

Manter um hobby é alternativa para você esquecer a dor por uns instantes, o foco é direcionado para uma atividade prazerosa e o incômodo aparece em segundo plano, melhorando seu convívio social e, por consequência, a autoestima. A dança, em ritmos leves, apresenta bons resultados na melhora de pacientes com dor crônica.

Controle a medicação

Os remédios usados para tratar a dor crônica são os analgésicos e os psicotrópicos, que diminuem a ansiedade e melhoram o estado de tensão permanente comum nessas condições. Apesar de seguros quando prescritos e consumidos com a orientação de um médico, esses remédios podem dar um pouco de sonolência e prisão de ventre. "Preste atenção no seu organismo, faça anotações e fale sobre elas na próxima consulta médica, assim é possível ajustar a dose ou substituir o medicamento", afirma anestesista Fabíola Peixoto Minson, da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED).

 
Por Manuela Pagan
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts with Thumbnails