Páginas

sábado, 27 de junho de 2009

Exercícios físicos e dores musculares


Primeiro é preciso avaliar se existe algum problema de saúde. Depois, iniciar a programação de forma lenta e progressiva e aprender a respeitar os próprios limites junto ao seu educador físico.

Os jogadores de futebol, titulares e reservas, normalmente se aquecem antes e depois de uma partida de futebol. Importantíssimo realizar um programa completo de alongamento. Investindo apenas de 5 a 8 minutos. O aquecimento, se faz necessário antes e depois de uma atividade física em várias direções, dobrar e esticar a musculatura para que todo o grupo muscular envolvido no exercício entre em atividade prevenindo câimbras e contraturas musculares.

Na primeira fase da atividade esportiva, o indivíduo deve alongar a musculatura e fazer exercícios de aquecimento. Com isso estará prevenindo lesões como à distensão muscular que pode afastá-lo da atividade física.

O grande sinal da adequação dos exercícios é o organismo que dá. A programação que serve para um indivíduo pode não servir para outro da mesma idade. Nunca esquecendo que as pessoas têm características diferentes umas das outras.

Dor muscular sempre é sinal de alerta em nosso corpo e não deve ser ignorada.

Conheça alguns termos usados no esporte:

Luxação - é a perda completa da congruência articular, ou seja, quando os ossos que compõem uma articulação tem as suas superfícies articulares deslocadas uma em relação a outra. Pode ocorrer em qualquer articulação do corpo, mas é mais comum no ombro, pois esta é uma articulação mais frouxa. A principal causa é por traumatismos. Não tem nada a ver com fratura ou osso trincado. Luxação é grave, e necessita atendimento Massoterapêutico imediato e deve ser tratado o mais rápido possível ou a pessoa poderá ter lesões nos nervos e vasos que estão próximos a articulação.

Entorse - os ossos do esqueleto humano estão unidos aos outros através dos músculos, mas as superfícies de contato são mantidas umas de encontro às outras por meio dos ligamentos. A vítima de entorse sente dor intensa na articulação afetada. Acompanhando a dor, surge o edema (inchação). Quando os vasos sangüíneos são rompidos a pele da região pode ficar, de imediato, com manchas arroxeadas. Quando a mancha escura surge 24 ou 48 horas após o acidente, pode ter havido fratura e, nesses casos, deve-se providenciar ajuda médica, de imediato. As entorses mais comuns são as do punho, do joelho e do pé. O Socorrista de uma vítima com entorse deve imobilizar a articulação afetada como no caso de uma fratura, e pode colocar gelo ou compressas frias no local antes da imobilização. Podemos também imobilizar a articulação através de enfaixamento, usando ataduras ou lenços. Não se deve permitir que a vítima use a articulação machucada. Após o primeiro dia, podem-se fazer compressas quentes e mergulhar a parte afetada em água quente, na temperatura que a vítima suportar. Fazendo aplicações de calor várias vezes por dia e mantendo-a imóvel, a articulação atingida por uma entorse normalmente recupera-se dentro de uma semana. Isso se não houver outras complicações, como derrame interno, ruptura dos ligamentos ou mesmo fratura.

Tendões - são essas estruturas esbranquiçadas nas quais os músculos motores da articulação se inserem. A transmissão de força provocada por um músculo é feita através do tendão e é assim que se produz o movimento. Por exemplo, o músculo contrai, o tendão puxa o osso e o joelho dobra. A força exercida em cima dos tendões é imensa. Os tendões são constituídos por tecidos com pouca quantidade de água e que deformam muito pouco. Portanto, quase transmitem a mesma força que recebem do músculo e da resistência do solo. O indivíduo que salta, para cair adequadamente, contrai a musculatura e cabe ao tendão segurá-la nessa posição. Como qualquer tecido vivo, os tendões têm limites e podem sofrer pequenas rupturas e processos inflamatórios.

Tendinites - existem limites individuais, limites que decorrem da idade e outros que decorrem do tipo da atividade física. Cada articulação tem uma limitação que deve ser respeitada e não adianta fazê-la trabalhar além de sua capacidade. Sempre que se fizer alguma coisa que extrapole o limite estrutural desse complexo de peças que compõe o corpo humano, o indivíduo vai apresentar problemas, por exemplo, a tendinite. As cicatrizações das pequenas rupturas dos processos acontecem nos tendões. No lugar do processo inflamatório é que ocorre a calcificação. Ocorre um tecido de elasticidade menor e é isso que configura as tendinites, responsáveis por mais da metade dos problemas que acometem quem tem uma atividade física. Estas pessoas podem ter seriíssimas dores a ponto de impedir que o indivíduo continue praticando esporte.

O tratamento mais adequado para a luxação e distensão é o repouso. Lesões mais frequentes como a tendinite, LER-DORT se conhece tratamento até preventivo com Massoterapia que permite prever em quanto tempo a pessoa estará pronta pra retornar as atividades normais. As dores musculares são mais comuns do se imagina. Elas são conseqüência de uma sessão de treino mais forte e intenso do que o habitual. A dor ocorre como um mecanismo de proteção do organismo diante da possibilidade de ocorrência de lesões musculares, fazendo com que o indivíduo reaja para remover o agente estimulador da dor. O corpo libera uma substância chamada ácido lático que enrijece os tecidos musculares causando sua contração. A respiração nos exercícios físicos é fundamental para levar oxigênio para o corpo. A massagem é fundamental para eliminação desta substância.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Fibromialgia


A fibromialgia é uma síndrome clínica que migra com dor para todo o corpo, principalmente na musculatura. Comumente a fibromialgia apresenta sintomas de fadiga, intolerância ao exercício e sono não repousante (isto é, a pessoa acorda cansada). A fibromialgia é chamada de uma síndrome, pois ela é caracterizada por um grupo de sintomas sem que seja identificada uma causa única para elas.


Na infância a fibromialgia tem sido descrita desde 1985 por Yunus & Masi, sendo que, desde então, diversos autores têm se interessado pelo tema. A fibromialgia que manifesta-se com dor musculoesquelética difusa crônica sem acometimento inflamatório ou envolvimento articular. As queixas musculoesqueléticas são muito comuns na infância e adolescência. Em escolares a prevalência de dores musculoesqueléticas é de 1,2 a 7%, com idade média de 10 anos. Esse diagnóstico torna-se progressivamente mais freqüente com o aumento na faixa etária de 8 a 21 anos. A presença de dores em alguma parte do corpo nos últimos três meses ocorre em 70% das crianças, ao menos uma vez por mês, em 32%, ao menos uma vez por semana, sendo mais rara a queixa de dor diária. Um levantamento mexicano observou que 1/3 de crianças pré-escolares apresenta queixas dolorosas musculoesqueléticas e 1,3% preenchem critérios para fibromialgia.

Quando ela pode aparecer?

O mais comum é que o quadro comece com uma dor localizada crônica, que progride para envolver todo o corpo. Depois de eventos graves na vida de uma pessoa, como um trauma físico, psicológico ou mesmo uma infecção grave. O motivo pelo qual algumas pessoas desenvolvem fibromialgia e outras ainda são desconhecidos.

O que causa a fibromialgia?

Não existe ainda uma causa única conhecida para a fibromialgia, mas já temos algumas pistas porque as pessoas têm esta síndrome. Os estudos mais recentes mostram que os pacientes com fibromialgia apresentam uma sensibilidade maior à dor do que pessoas sem fibromialgia. Isto não é relacionado com o fato de se ser "forte" ou "fraco" para dor. Na verdade, seria como se o cérebro das pessoas com fibromialgia estivesse com um "termostato" desregulado, que ativasse todo o sistema nervoso para fazer a pessoa sentir mais dor. Desta maneira, nervos, medula e cérebro estariam fazendo que qualquer estímulo doloroso seja aumentado de intensidade. Uma parte do corpo que estamos sempre machucando no nosso dia-a-dia é a musculatura. Em pessoas sem fibromialgia, estes pequenos traumas, distensões e tensões passam desapercebidos. Na pessoa com fibromialgia as dores vindas destas lesões são amplificadas, dentro do músculo: a musculatura fica dolorida e contrai tensionando esta dor, que prende mais o músculo. A pessoa começa a não dormir bem e não se exercitar, o que piora a dor muscular, mantendo o ciclo. Sintomas de depressão e ansiedade também podem piorar o quadro.


Porque a fibromialgia afeta mais mulheres do que homens?

Sim. Não se sabe a razão porque isto acontece. Não parece haver uma relação com hormônios, pois a fibromialgia afeta as mulheres tanto antes quanto depois da menopausa. De cada 10 pacientes com fibromialgia, 9 são mulheres. A idade de aparecimento da fibromialgia é geralmente entre 30 e 60 anos. Porém, existem casos em pessoas mais idosas, crianças e adolescentesem geral.


Como a fibromialgia é tratada?

O tratamento exige cuidados multidisciplinares. Este é ponto mais importante do tratamento. O paciente com fibromialgia não se pode dar o luxo de não se exercitar. A atividade física regular é o tratamento capaz de restaurar a pessoa para uma vida normal. Todos os outros passos do tratamento devem ter somente um objetivo: deixar a pessoa mais disposta para fazer atividade física. A atividade física deve ser realizada todos os dias, de duas maneiras: um exercício que mexa todo o corpo (aeróbico), como caminhar, nadar, correr ou praticar hidroginástica e exercícios que promovam o alongamento muscular com seu educador físico. Os exercícios devem ser iniciados lentamente, e só depois de algum tempo é que se deve chegar ao tempo total: trinta minutos por dia. A Massagem relaxante é indicada para aumentar a auto-estima liberando o ácido lático do organismo grande causador de cãimbras em nosso corpo.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Massagem e anatomia humana

A anatomia do ser humano

A palavra anatomia vem do grego anatome que significa seccionar. A ciência da anatomia estuda, principalmente, como os seres são organizados. Todos os seres vivos contêm células que formam diferentes tipos de estruturas no corpo. A anatomia estuda e sistematiza o conhecimento destas estruturas. Existem vários tipos de estudo sobre a anatomia humana: macro e microscópica, descritiva e funcional. O massoterapeuta trabalha, acima de tudo, com a anatomia funcional. Isto é, o estudo sobre a anatomia do esqueleto, os músculos, a sistema nervoso as articulações e a relação entre eles.

É necessário saber tudo isso, para entender como um grupo de músculos influencia outra estrutura do corpo. Saber a anatomia do ser humano, possibilita um tratamento de massagem muito mais exato. É fundamental saber onde os músculos são fixados no esqueleto, para conseguir calcular o movimento que tal músculo executa no corpo.

Por exemplo: sabendo que o bíceps é fixado na tuberositas tibii e tuberculum supraglenoidale scapulae, é mais fácil entender o movimento que o músculo exerce no braço. Neste caso, ele flexiona o articulatio cubiti, isto é, ele dobra o cotovelo. Por que é bom saber isto ao fazer massagem em um paciente? Porque testando os movimentos que os músculos fazem, encontra-se o ponto que dá origem a uma dor ou um mal funcionamento no paciente.

O braço e o ombro têm vários músculos, todos fixados no esqueleto. É bem provável que um destes seja o principal fator que gera dores ou incômodo. Às vezes, este ponto de origem fica bem longe da área que incomoda o paciente. Uma dor no braço pode ter origem nas costas, entre as escápulas. Por isso, é sempre bom fazer um curso de massagem ou massoterapia sério, que aborde estes assuntos.

sábado, 20 de junho de 2009

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Massagem Terapêutica e seus benefícios no esporte


Massagem Terapêutica e seus benefícios

Hipócrates, pai da medicina, dizia que a massagem abranda a musculatura, aumenta a resistência, a destreza e o vigor físico. Não só Hipócrates, como também Aristóteles, Celso, Platão, foram os incentivadores da massagem como prática de alto teor terapêutico.

A Massoterapia é muito antiga e tem sido utilizado pelos mais variados povos. Talvez a primeira forma de aliviar a dor adotada pelos humanos instintivamente, já que é a primeira coisa que se faz quando sentimos alguma dor.
No tempo dos samurais, os japoneses não dispensavam uma boa massagem, geralmente praticada por deficientes visuais. Talvez seja o povo que mais aprecia esta prática. Os mestres em artes macias invariavelmente deviam conhecer todas as técnicas de massagem.

A massagem terapêutica tem como foco produzir a nutrição dos tecidos do corpo. Ao friccionar, comprimir e pressionar a musculatura e ao manipular os pontos de pressão, intensificar a circulação do sangue, da linfa e dos hormônios, fortalecendo os sistemas: nervoso central, simpático e parassimpático e imunológico, retardando o envelhecimento celular.

A massagem terapêutica é um conjunto de técnicas da Massoterapia que trabalha todo o corpo físico, buscando o relaxamento máximo do cliente. Seu bem estar é a principal preocupação do profissional Massoterapeuta.

Hoje em dia, em todas as modalidades de esportes, encontramos os Massoterapeutas contratados principalmente nos clubes de futebol e em algumas boas academias. A prática de massagem é universal. Principalmente depois da descoberta do sistema linfático, sua importância ao lado do sistema circulatório, respiratório, etc.

É necessário frisar que a massagem não pode ser praticada por qualquer pessoa. Exige um amplo conhecimento da anatomia humana. Uma massagem bem aplicada traz benefícios à saúde, mas se mal, as consequências são desagradáveis. As indicações da massagem e suas contra indicações se embasarão nos efeitos desta sobre o sistema circulatório e nervoso.

Indicações: tensões musculares; antes ou após atividades físicas, estresse, cansaço, indisposição, cefaléias, má postura, muito trabalho físico etc...

Contra-indicações: Qualquer patologia em fase aguda; Processos infecciosos e inflamatórios em fase aguda; enfermidades tumorais / câncer, alterações neurológicas com falta de sensibilidade dolorosa.

Obs.: Gestação, período menstrual e hipertensão arterial devem ser relatados ao Massoterapeuta antes do início da massagem.


Atendimento nas disfunções da coluna vertebral: Alívio Nas Dores - Cervicalgia, Torcicolo, Lombalgia, Lordose, Escoliose, DORT/LER, Nervo Ciático, Hérnia de Disco, Tensões Musculares, Fadiga Crônica, Fibromialgia e Miogelose. A Massoterapia Ajuda no combate ao ESTRESSE E A DEPRESSÃO

Massagem no futebol


FUTEBOL É UM ESPORTE DE RISCO E NECESSITA CUIDADOS PROFISSIONAIS

As lesões musculares dos esportistas continuam sendo um tema atualizado e apaixonante para os especialistas que têm a grande responsabilidade de manter em excelentes condições a estrutura osteomioarticular dos atletas, possibilitando assim um melhor rendimento físico, técnico e tático. O maior incidente de lesões em esportes coletivos entre todos os esportes de perigo continua sendo o futebol.

Para evitar o problema, recomenda-se uma avaliação médica antes de praticar qualquer tipo de exercício. Isso é fundamental para avaliar se a pessoa não possui nenhum tipo de problema nas articulações, nos músculos ou nos ossos, e se está bem de saúde de maneira geral. Além disso, é importante fazer atividades com orientação de profissionais especializados.

Deste total de lesões, cerca de 90% chegam ao consultório por causa de atividades físicas exageradas ou inadequadas. A maior parte dos casos (70%) são: lesões musculares em segundo lugar: as torções nos joelhos ou nos tornozelos, em terceiro lugar: aparecem os problemas de coluna, e atendimento do nervo ciático comprimindo músculo piriforme com inflamação generalizada.

O exame clínico está baseado na tríade patológica: queixas de dores localizadas, dores na contração isométrica e à palpação. O exame da ultra-sonografia complementaria o diagnóstico.

Consideramos as lesões musculares distribuídas em dois grupos distintos: lesões produzidas por fatores causais extrínsecos e intrínsecos. As lesões produzidas por fatores extrínsecos são as contusões e intrínsecos, as lesões sem rupturas e com rupturas de fibras musculares. As lesões produzidas por fatores intrínsecos, sem rupturas de fibras musculares, são as cãimbras, a contratura muscular e o estiramento muscular. As lesões produzidas por fatores intrínsecos, com rupturas de fibras musculares, são rupturas parciais e rupturas totais.

Causas extrínsecas: Quando um agente mecânico atua de maneira inesperada sobre os tecidos do segmento corporal de forma direta ou tangencial e vence sua resistência, o agente traumático é a causa da lesão que chamamos de contusão.Causas Intrínsecas: Quando os tecidos musculares, tendões e nervos se rompem parcialmente internamente de forma inesperada.

Em atletas entre 30 e 50 anos com treinamento com cargas excessivas de exercícios físicos, produzindo trações musculares repetidas, provoca estiramentos de inserções, como, por exemplo, epifisiolises em extremidades inferiores, estiramentos da tuberosidade anterior da tíbia, arrancamentos da tuberosidade isquiática e estiramentos das apófises espinhosas da coluna durante um simples treino de final de semana com os amigos.

O treinamento intensivo produz alterações no plano do músculo e das suas inserções nos núcleos de ossificação secundários, que são vulneráveis a uma força de tração de um músculo-tendão hipertrofiado.

Nas atividades esportivas, existe uma permanente preocupação com o atleta de alto nível, no planejamento de treinamento e na manutenção do estado atlético, durante a temporada.

As contusões serão divididas em leves, moderadas e graves, produzidas pelo trauma direto.
Na contusão leve, as dores são localizadas no pronto do trauma direto, mas não dificultam a mobilização do joelho. Usualmente, a crioterapia permite uma analgesia imediata no atendimento de emergência, permitindo que o atleta continue a participar da competição. Na evolução do quadro clínico, 12 horas após o acidente, as dores são mais intensas e a marcha é claudicante.

Na contusão moderada,as dores são intensas, localizadas, mas com algum sinal de difusão, aumento pronunciado da coxa, postura antálgica em semiflexão do joelho, com amplitude de movimento menor que 90°. O atleta deve ser retirado do campo de competição e a deambulação será permitida com auxílio de muletas canadenses.

Na contusão grave,as dores são intensas, localizadas, com algum sinal de difusão, impotência funcional e postura antálgica, com mobilidade do joelho menor do que 45°. O atleta deve ser retirado imediatamente do campo de competição com auxílio de maca; iniciamos o tratamento com um período de observação de 12-24 horas. Nesse espaço de tempo, o músculo afetado aumenta de volume, tornando-se visível a identificação da topografia muscular à palpação; nota-se ainda um grande endurecimento nessa região.

Os fatores de produção da lesão são diversos e necessitamos saber dos seguintes detalhes da história clínica: o estado de condicionamento físico do atleta se sofreu a lesão no início ou no final da competição, como foi feito o aquecimento, condições climáticas e o estado de equilíbrio emocional. No esporte individual, (ex:Tenis) é importante saber se o adversário era muito superior atleticamente e, no esporte coletivo, (ex:Futebol) se o atleta lesionado foi muito exigido no campo da competição.

Publicações mais recentes têm mostrado a evolução das pesquisas laboratoriais, nas alterações bioquímicas em nível celular, permitindo uma associação de sinais clínicos, para se chegar a uma classificação que permita um tratamento adequado e uma evolução favorável, com diminuição do período de inatividade do atleta lesionado.

Devemos fazer sempre um estudo clínico minucioso de cada lesão, com observações práticas anotadas na evolução diária, interpretando e valorizando os meios de pesquisa clínica e laboratorial que nos ofereceram as melhores condições para um diagnóstico.

Cabe aos profissionais: Ortopedista, juntamente com o Massoterapeuta e o educador físico responsável, uma atenção especial multidisciplinar com o atendimento das lesões, porém, quando ocorrem, ultrapassada a etapa de diagnóstico e tratamento imediato, existe a necessidade de um critério clínico mais criterioso para prognóstico de retorno aos treinamentos. O afastamento do atleta da competição (por pouco tempo) impedirá o agravamento da lesão e permitirá o início do tratamento.

Importante: tratar toda a contusão com gelo imediatamente por 30 minutos.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Dores lombares - (Nervo ciático)




Oitenta por cento dos seres humanos sentem dor lombar (lombalgia) em algum momento de suas vidas. Uma proporção menor tem dor cervical (pescoço) e na nuca, sendo que outros sentem dorsalgia. A maioria destas pessoas pode manter suas atividades habituais, mas as cumprirão com períodos de desconforto ou dor. Cerca de 30% desse grupo faltará ao trabalho devido à lombalgia.
Como resultado apresenta-se a má postura o sedentarismo, posições incorretas no ambiente de trabalho, nos afazeres domésticos, entre outros fatores associados incluindo, a execução errada de exercícios físicos em academia.

Sintomas:
A dor nas costas pode ser aguda ou crônica. A dor aguda pode durar dois meses, mas a dor crônica pode durar toda uma vida. O paciente refere que sua coluna está travada, ele tem limitação na flexão anterior da coluna, dor e limitações nos primeiros movimentos da manhã.

Causas:
Sedentarismo, idade, herança genética, postura no trabalho, levantar pesos inclinando a coluna para frente, prática esportiva com movimentos repetitivos.

Diagnóstico:
O histórico do problema das dores na coluna do paciente poderá contribuir bastante para o seu diagnóstico, exames como raio X e ressonância magnética é importante trazer na consulta, como também um exame físico detalhado da postura no consultório, amplitude de movimento, espasmo muscular, dor e força muscular.

Causas da lombalgia e tratamento:
Na grande maioria das vezes, a dor se relaciona com problemas mecânicos da coluna vertebral, isto é, com defeitos na sua função. O tratamento principal é normalizar a função, isso podendo ser prevenido e tratado com sessões de Massoterapia e também alongamentos diários e cuidados posturais.

Outras causas são também freqüentes:
· Osteoartrite (artrose) das articulações intervertebrais e
· Desestruturação do disco intervertebral (discopatia degenerativa.)

Menos encontradas:
· Espondilólise ou Espondilolistese, deslizamento de um corpo vertebral no sentido anterior, posterior ou lateral em relação à vértebra de baixo;
· Sacralização da apófise transversa da 5a vértebra lombar uni ou bilateral;
· Síndrome do músculo piriforme comprimindo o nervo ciático;

Algumas dicas que podem ajudar:
- Mantenha boa postura. Cabeça para cima, ombros retos, peito para frente, suportando seu peso com ambos os pés e o quadril bem posicionado;
- Sente-se em uma cadeira com o encosto reto e firme e a coluna vertebral contra o encosto da cadeira;
- Sente-se perto dos pedais do carro ao dirigir. Use o cinto de segurança e um descanso rígido para as costas ou travesseiro;
- Utilize um descanso para um dos pés quando estiver de pé ou sentado(a) por muito tempo;

Para mover ou levantar objetos pesados:
- Quando você for levantar um objeto pesado, dobre um de seus joelhos e quadril e mantendo o dorso ereto, fazendo alavanca com o cotovelo em cima do joelho abaixado, levante firmemente o peso para frente;
- Não utilize seus braços para tentar mover um objeto pesado. Vire-se e empurre-o de costas, de maneira que suas pernas absorvam a carga;
- Não levante objetos pesados acima da altura da sua cintura;
- Segure objetos que esteja carregando próximos a seu corpo, com os braços dobrados;

terça-feira, 16 de junho de 2009

Músculos e Massagem

Músculos e a massagem

Os músculos esqueléticos são os responsáveis pelos movimentos voluntários. Estes músculos fixam nos ossos, usando-os como alavancas e contribuem junto com a pele para formar o exterior do corpo. Um músculo é constituído por 10 mil a 500 mil células musculares chamadas fibras musculares. Elas têm um diâmetro de 0,01 a 0,1 mm e certos músculos têm fibras com 40 cm de comprimento.
Os músculos são cobertos por uma faixa de tecido conjuntivo que dá a eles o seu formato e diminui a fricção entre eles e outras estruturas do corpo. Este tecido conjuntivo é que dá origem aos tendões, onde o músculo se fixa no esqueleto. As células contêm longas fileiras de miofilamentos, que contraem o músculo. Eles são formados pelas proteínas: actina e miosina. As proteínas se juntam quando os miofilamentos são estimulados pelo sistema nervoso e o músculo contrai, ficando mais curto. Para o músculo funcionar, é preciso uma boa circulação sanguínea. Por isso, o músculo é irrigado por muitos vasos de sangue para trazer oxigênio e limpar o CO2, entre outros produtos criados no processso de trabalho.
Com a massagem, é possível aumentar a circulação sanguínea em até 400%, o que fornece uma recuperação muito mais rápida depois de uma atividade física. A contração dinâmica tem uma fase concêntrica (quando o músculo contrai, ele fica mais curto) e uma excêntrica (quando os pontos de fixação se distanciam um do outro).
A fase excêntrica é a que desenvolve mais força. por isso, é melhor treinar com mais freqüência o movimento excêntrica na academia, para desenvolver o máximo de força possível nos músculos. Quando o músculo mantêm a mesma contração, não há movimento, mas uma contração estática. Um exemplo disto é o trapézio, quando mantemos a cabeça erguida enquanto estamos sentados. O movimento estático produz mais ácido lático que o movimento dinâmico. É por isso que a maioria das pessoas sente mais cansaço nas regiões da nuca, dos ombros e na lombar, justamente onde os músculos trabalham mais estáticos para manter o nosso equilíbrio.
Quase sempre um músculo tem outros músculos sinergista e antagonista. O sinergista ajuda o músculo principal a fazer o movimento. Por exemplo, numa flexão do cotovelo o Bíceps Bracchi é o músculo principal, mas ele é ajudado por outros músculos, como o Brachioradialis.
O antagonista é o músculo que faz o movimento oposto. Neste caso, o Tríceps Bracchi relaxa para possibilitar o movimento do Bíceps Bracchi e suavizar o movimento impondo um limite para diminuir o risco de danos. O massagista sempre deve trabalhar o músculo em questão e támbem a antagonista.
Também existe uma musculatura postural que trabalha quando estamos acordados. Com pequenas contrações, ela nos mantém com uma postura melhor quando ficamos de pé ou sentados. Os músculos posturais são: Suboccipitale, Trapézio, Erector Spina, Iliopsoas, Quadríceps Fêmures e Soleus. É fundamental saber todos os músculos esqueléticos e suas funções no corpo humano para fazer uma boa massagem.
Alguns deles são:

Trapezius
Levator Scapula
Rhomboideii
Latíssimus Dorsi
Quadratus Lumborum
Erector Spina
Supraspinatus
Infraspinatus
Teres Major e Menor
Subescapulares
Deltóideo
Serratus Anterior
Pectoralis Major e Menor
Sternocleidomastoideus
Scalenii
Masseter
Temporalis
Diafragma
Rectus Abdominis
Obliquus externus e internus abdominis
Transversus abdominis
Iliopsoas
Glutes maximus, medius e minimus
Piriformis
Ischiocruralis
Popliteus
Tríceps surae
Tensor fascia latae
Sartorius
Quadríceps femoris
Adductores
Tibialis anterior
Bíceps Brachii
Corachobracialis
Brachialis
Brachioradialis
Tríceps brachii
Flexores e extensores da mão

sábado, 13 de junho de 2009

MASSAGEM DESPORTIVA - video

Efeitos terapêutico da massagem



A MASSOTERAPIA COMO FERRAMENTA AUXILIAR NO COMBATE AO ESTRESSE.

Segundo Longem (2003), na recuperação passiva é utilizado em diversas práticas desportivas o relaxamento, os banhos térmicos quentes ou frios, as duchas escocesas, as banheiras de hidro - massagem, as terapias manuais, posições corporais específicas e o próprio repouso, todos utilizados como métodos para acelerar o processo de restauração das potencialidades fisiológicas do indivíduo. Visando uma recuperação passiva, o indivíduo habitualmente deita-se na esperança de que a inatividade completa reduzirá as demandas energéticas de repouso e, dessa forma irá liberar oxigênio para o processo de recuperação.

A massagem tem sido utilizada como recurso terapêutico há mais de 5000 anos. Os livros sagrados da Medicina Chinesa e da Medicina Ayurvédica (Índia) já relatavam experiências com massagem.

Inúmeros autores como Kamenetz (1973), Teirich-Leube (1975), Guirro e Guirro (1996), Wood e Domenico (1998) apud Beard (1952) fazem referência em seus trabalhos a muitos autores como Homero (1200 a.C.), Hipócrates (460 a.C.), Galeno e Paracelso descreverem, em seus escritos, massagens utilizadas como terapia e para alívio da dor. Os mesmos autores mencionam que, nos últimos tempos, vários médicos como Per Ling, Mezger, Charcot, Cornelius, Kohlrausch e fisioterapeutas como Dicke, Marx e Camargo, Wood, Beard têm criado e utilizado métodos de massagem como recurso terapêutico.

Durante e após a Segunda Guerra Mundial, ao ganhar importância o exercício terapêutico, a massoterapia recuperou-se, uma vez que é, tradicional e clinicamente, um complemento valioso do exercício terapêutico. A partir de então, diversas técnicas e métodos de massagem terapêutica foram criados, sendo abordados mais cientificamente.

Ao fim do século XIX a massagem terapêutica, ou massoterapia era muito utilizada em grande variedade de processos patológicos no mundo todo. Sofreu preconceitos e caiu em desuso relativo durante a primeira parte do século XX, com o processo de industrialização e o crescimento da indústria medicamentosa e da eletroterapia (terapia através de aparelhos elétricos), o que para Maitland (1992, p.19), dizia respeito a nenhum princípio poder ser atingido a menos que todos sejam completamente atingidos. Preconizando que nenhum componente do corpo pode ser adequadamente compreendido quando isolado do todo e de sua relação com o ambiente. Podemos aqui perceber que os enunciados acima divulgados resumem as experiências que a Drª. Rolf teve em seu contato com a Osteopatia, a Ioga e a Homeopatia. Retiram-se destas vivências as idéias de que: mudando-se a estrutura do corpo podemos mudar sua função; o corpo pode curar-se e o trabalho com o corpo “eleva” o ser humano numa condição mais harmônica, emocional e espiritual. O princípio Holístico descreve de maneira geral, o modo como o profissional precisa conceber a estrutura humana.

Esses princípios mencionados acima se baseiam numa série de observações e pressuposições, tais como:

1- O corpo é um todo indivisível, no qual nenhuma parte é mais importante para a organização do todo do que o todo em si.

2- Assim como o corpo é uma unidade, a disfunção somática também é e reflete-se em todos os aspectos do ser.

3- Conhecer os componentes da forma viva não é suficiente para compreender a organização do todo.

4- Corpos vivos são sistemas auto-reguladores e auto-organizadores (ortobiótica).

5- Compreender áreas locais de disfunção depende de compreender o estado do todo e sua relação com o ambiente.

A massagem terapêutica, segundo Domenico (1998) apud Beard (1952) é o termo usado para designar certas manipulações dois tecidos moles do corpo; estas manipulações são utilizadas com maior eficiência com as mãos e são administradas com a finalidade de produzir efeitos sobre os sistemas nervoso, muscular, respiratório e sobre a circulação sanguínea e linfática local e geral.

Neste sentido, os efeitos da massagem consistem em dispersar as matérias gastas (metabólitos) formadas nos músculos e não expelidas pelo exercício. Ela faz com que a matéria gasta se disperse, removendo assim a fadiga, como reforça o mesmo autor acerca do efeito principal da massagem consistir em produzir estimulação mecânica dos tecidos por meio de uma pressão e estiramentos ritmicamente aplicados. A pressão comprime os tecidos moles e distorce as redes de receptores nas terminações nervosas. O estiramento aplica tensão nos tecidos moles e distorce os plexos dos receptores nas terminações nervosas. Ao aumentar os lumens dos vasos sanguíneos e espaços dos vasos linfáticos, essas duas forças afetam a circulação capilar, venosa, arterial e linfática. A massagem também pode soltar o muco e promover a drenagem do excesso de líquidos nos pulmões.

Segundo o mesmo autor os efeitos mecânicos da massagem dão origem a uma série de fisiológicos importantes:

Aumento circulação sanguínea e linfática;

Aumento do fluxo de nutrientes;

Remoção dos produtos catabólicos e metabólicos;

Estimulação do processo de cicatrização;

Resolução de edema e hematoma crônico;

Aumento da extensibilidade do tecido conjuntivo;

Alívio da dor;

Aumento do movimento das articulações;

Facilitação da atividade muscular;

Estimulação das atividades autonômicas;

Estimulação das atividades viscerais;

Remoção de secreções pulmonares;

Estímulo sexual;

Promoção do relaxamento local.

Os efeitos principais da massagem no tecido muscular referem-se ao não aumento direto da força do músculo normal, contudo, a massagem é mais efetiva que o repouso na recuperação da fadiga causada pelo exercício excessivo.

Diversos estudos apontam para os benefícios da massagem terapêutica em vários grupos sociais, desde trabalhadores a donas de casa, crianças a adolescentes, demonstrando o potencial terapêutico e os benefícios desta prática.

Em "Better than a coffee break" (Melhor do que a paradinha para o cafezinho), estudo realizado em empresas americanas compara dois grupos dentro de uma empresa, um grupo com 26 empregados, que recebia 15 minutos de massagem, duas vezes por semana e outro grupo, com 24 empregados, que não recebia massagem, mas usava uma técnica de relaxamento apenas fechando os olhos, proporcionando uma indução para o relaxamento.

O grupo que recebeu massagem demonstrou uma redução no estresse e maior disposição, enquanto o outro grupo não apresentou nenhuma melhora. Ambos os grupos tiveram as ondas cerebrais, alfa e beta, medidas e observou-se que no grupo que as pessoas receberam massagem estavam mais alerta.

E para fechar, eles consideram significativos os resultados obtidos na pesquisa, se considerarmos que quase 200 bilhões de dólares (estimativa de 1993) são perdidos em baixa produtividade nos Estados Unidos, considerando-se baixa produtividade, abstinências, despesas médicas diretas, planos de saúde, entre outros.

Em "Research Shows Massage Therapy Works", pesquisadores mostram que a terapia da massagem funciona e obteve os seguintes resultados:

Estudantes de medicina da Universidade de Medicina e Odontologia de New Jersey que foram massageados antes de um exame e mostraram uma redução significativa da ansiedade e da taxa de respiração, assim como um significativo aumento das células brancas no sangue e na atividade das células protetoras do organismo, sugerindo assim um benefício ao sistema imunológico; Resultados preliminares sugerem que pacientes acometidos de câncer tinham menos dor e ansiedade depois de receberem massagem terapêutica no Hospital de Câncer e Instituto de Pesquisa James em Columbus - Ohio - Estados Unidos.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Banho depois do treino


Finalize o treino e corra para o chuveiro
O banho ajuda seu corpo a entender que os exercícios terminaram

Sair do treino, lavar o rosto rapidinho e correr para o trabalho. Muita gente pula a passagem pelo chuveiro quando termina de fazer os exercícios, mas a preguiça ou a economia de tempo pode custar caro para a sua saúde. "O banho ajuda o corpo a entender que a atividade física terminou", afirma o traumatologista Moisés Cohen, diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.

"Passar um tempo embaixo da água morna relaxa os músculos, que estavam sendo exigidos num nível mais alto". O especialista ainda lembra que o banho não deve ser tomado imediatamente após as atividades. Deve-se aguardar pelo menos de 10 a 15 minutos para que o metabolismo caia a níveis mais baixos e o processo da sudorese termine. Sem isso, o suor continua sendo produzido depois do banho, comprometendo a higiene da pele.

Com apenas cinco minutos no chuveiro, você aproveita uma série de benefícios. Confira abaixo todos eles e, se for o caso, dê uma breve encurtada no treino em favor de uma ducha.

Previna micoses: o suor acumulado nos pés, somado ao calor, forma o ambiente ideal para o desenvolvimento de fungos e de bactérias. Quando tomar banho na academia, use sempre um chinelo e não se esqueça de secar bem entre os dedos.

Organize o raciocínio: quando faz um treino mais intenso, não é apenas o corpo que acelera. Seu raciocínio também entra num ritmo mais pesado, quase de euforia. O banho ajuda as idéias a entrarem em ordem novamente, sem aquela sensação de urgência. Por isso,em vez da água gelada, prefira a morna (que ajuda a relaxar).

Relaxe os músculos: logo após o alongamento (você não se esquece dele, não é mesmo?), a ducha diminui a tensão acumulada nos músculos. Isso contribui para que você consiga fazer seus movimentos normalmente as mulheres conhecem bem a dificuldade de calçar um salto depois de fazer musculação nas pernas. Mas não é só: com os músculos livres de tensão, as chances de que você venha a sofrer alguma lesão é menor.

Regule a temperatura: o ideal é sempre o banho morno que pode ou não ser seguido por uma rápida ducha fria (para dar aspecto mais corado à pele). A prática de atividade física eleva a temperatura corpórea, e o banho morno ajuda a abaixá-la com mais rapidez.

Livre-se do mau cheiro: pode parecer estranho, mas há quem julgue o cheiro de suor imperceptível. Mesmo que você lave o rosto, passe desodorante e use perfume, não tem jeito. Sem banho, não há como disfarçar o mau cheiro. Aliás, o perfume só piora o problema quando a transpiração é intensa demais.

Faça uma massagem: com uma bucha e sabonete líquido, estimule as áreas do corpo que foram mais exigidas durante o treino. Aproveite para massagear as pernas, os ombros e a região lombar da coluna, vale até dar batidinhas leves com as mãos.

Continue o alongamento: sob o chuveiro, aproveite para dar boas espreguiçadas, esticando os braços e, principalmente, a coluna. Este momento de relaxamento deixa seu corpo, literalmente, no lugar.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Alongamentos


O Alongamento


Os músculos, tendões, juntas e ligamentos são estruturas flexíveis. Podem alongar-se ou contrair-se. A prática da musculação gira em torno de um grande número de contracções musculares, que são encurtamentos longitudinais momentâneos das fibras musculares envolvidas. Após algum tempo, quando o músculo é sujeito a um grande número de contracções, ele tende a encurtar-se, diminuindo assim a sua flexibilidade. Um músculo pode contrair-se mas não pode alongar-se por si próprio. Daí a necessidade do alongamento, que prepara os tendões, deixando-os prontos para uso efectivo mas contracções musculares, evitando o seu rompimento, lesão essa que irá retardar ou mesmo parar o seu desenvolvimento.

Quanto menor a flexibilidade de um músculo pior é a sua qualidade de contracção. O alongamento não só previne este encurtamento, como aumenta a flexibilidade, permitindo contracções mais completas. Através destes dados, você pode perceber que os alongamentos não só são preventivos de lesões, como também incrementa a qualidade das contracções musculares. É aconselhável alongar todos os grupos musculares envolvidos no seu treino após o finalizar, não lhe gastando mais do que 5 ou 10 minutos por treino.

Os alongamentos requerem movimentos muito lentos e controle absoluto. Caso você alongue um músculo ou tendão de maneira repentina e brusca, o músculo contrai-se para se proteger, anulando totalmente o objectivo do alongamento. Por isso comece o alongamento cuidadosamente e de maneira progressiva, até sentir uma ligeira dor suportável na área alongada. Mantenha-se nesta posição por cerca de 40 segundos, concentrando-se em relaxar os músculos envolvidos. Então os tendões irão gradualmente relaxar e você terá ganho flexibilidade

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Pubalgia

Pubalgia, pubialgia ou pubeíte são termos sinônimos que identificam a dor na região do baixo abdomen, onde a musculatura se insere no osso púbis, na bacia.
A origem do problema é a solicitação excessiva da musculatura abdominal, necessária para estabilizar o tronco no momento do chute ou drible.
Este fato, somado à uma retração (encurtamento) da musculatura posterior da coxa, comumente encontrada em jogadores de futebol, origina um processo inflamatório de difícil resolução e que pode levar à cronicidade.
Muitas vezes temos também um desequilíbrio entre a musculatura abdominal e a musculatura adutora, o que tem que ser pesquisado para direcionar o tratamento.
Como o repouso necessário para o tratamento não pode ser realizado devido à necessidade do atleta manter-se em treinamento e aos inúmeros jogos, o processo inflamatório não se resolve, e cria-se uma área de tecido fibroso que, após um período, não mais responde ao tratamento conservador.
Alguns outros problemas podem confundir o diagnóstico e devem ser afastadas. Hérnias abdominais podem levar à dores na região, e têm uma relação direta com esforço físico, sendo a primeira patologia que deve ser afastada.
Também devemos nos lembrar das infecções do trato urinário (cistites, uretrites, prostatites, etc), que eventualmente podem levar à dores na região do baixo ventre podendo confundir o diagnóstico.
No atleta do sexo masculino devemos lembrar dos problemas na região do testículo (varicocele) , e nas mulheres patologias no ovário e útero também devem ser afastados.
Para confirmação diagnóstica podemos utilizar a Ressonância Magnética da região, que mostrará uma região com um processo inflamatório localizado, próxima ao púbis (osso da bacia).

O tratamento é conservador, com afastamento dos treinos e cuidados de fisioterapia no local, visando analgesia (melhora da dor) e alongamento da musculatura posterior da coxa e perna e, em segundo tempo, alongamento da musculatura abdominal.
Em casos crônicos onde o tratamento conservador não surte efeito, pode-se necessitar de uma cirurgia que objetiva a retirada do tecido cicatricial formado e liberação da musculatura abdominal que apresenta-se retraída, com bons resultados e retorno à atividade em cerca de 2 meses após o procedimento, com total restabelecimento das condições atléticas.

Clip massagem com gelo

video




Função fisiológica do gelo:

Analgésico

Vaso Constritor

Anti-inflamatório

Relaxante muscular

Vaso dilatador, dor profunda.

Região rasa: mãos 15 a 20 minutos.

Região profunda: coxa, joelho de 30 a 40 minutos.

Dor profunda: somente gelo.

Dor leve: gelo e calor.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Ergonomia

Ergonomia: Estuda a interação física entre as pessoas e o seu trabalho- adaptando este último, o equipamento e o ambiente de trabalho ao trabalhador.



Pescoço virado para olhar para o monitor;

Monitor mal posicionado;

Cactos crescem em ambientes secos e quentes;

Luminária da mesa mal posicionada;

Teclado mal posicionado;

Costas não apoiadas no encosto da cadeira;

Mouse longe causando força no ombro;

Pés não apoiados no chão;

Almofadado pressionando a parte inferior da coxa.



Ambiente de trabalho ideal



Cabeça levantada;

Olhar em frente;

Monitor à altura dos olhos e braços distanciados;

Ombros relaxados;

Mãos alinhadas com o antebraço;

Costas eretas e apoiadas;

Material de referência bem posicionado;

Pressão moderada do almofadado da cadeira;

Pés firmes no descanso de pés.


Exercícios no escritório



Um dos maiores fatores de risco é a postura estática.

Despenda de, pelo menos, 5 minutos por hora “longe” do seu computador.

Execute exercícios ou movimentos de alongamento periodicamente.



Exercícios com as mãos

Feche firmemente a mão contra o pulso e abra , esticando os dedos.

Repita 3 vezes








Exercícios para as costas e ombros

Levante-se, com as costas direitas, coloque a mão direita no seu ombro esquerdo e mova a cabeça para trás suavemente.

Repita o exercício para o ombro direito.




Exercícios para a cabeça e o pescoço

Movimente a cabeça da esquerda para a direita e novamente para a esquerda.
Movimente a cabeça de trás para a frente.




Alongamentos


Sentado ao computador por longos períodos causa, geralmente, tensão no pescoço e nos ombros e dores na região lombar.

Exercite os alongamentos, conforme abaixo indicado, várias vezes ao dia e/ou sempre que se sinta cansado .

Não se esqueça de se levantar de vez em quando e passear pelo escritório! Vai ver que se sentirá melhor!





Fonte: melhordanet

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts with Thumbnails