Páginas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A manipulação articular e terapia por massagem

Um horizonte que deve ser organizado...

A origem da manipulação terapêutica está perdida nos anais da história. Alguns documentos chineses de antiguidade escritos por volta de 2700aC, escritos gregos de 1500aC são exemplos de que a manipulação para fins terapêuticos não é uma novidade. Vários povos a tem praticado por séculos, como os povos nativos da Ásia, os povos semíticos e muitos outros.

Alguns povos nativos norte-americanos, como os Sioux, descrevem o termo “back -walking” (caminhar por sobre o dorso) e sua prática associado com cura de enfermidades. Em alguns povos da Polinésia, a prática de colocar crianças para caminhar sobre o dorso de enfermos foi observada pelos exploradores navegantes. Hieróglifos egípcios de 2500 a.C. descrevem a associação entre um dorso livre de curvaturas e desvios com melhor performance físico. Talvez o maior impacto desta prática veio por meio de Hipócrates. Sua visão era vitalística, centrada no paciente como um indivíduo e não centrada na doença como entidade. Hipócrates escreveu ao menos 70 obras a respeito do processo de cura, entre as quais estão:

• A manipulação e a importância para uma boa saúde;

• Ajustando articulações por meio de alavanca. Hipócrates enfatizava este ponto: “ Conheça a espinha dorsal, pois este é o requisito para muitas doenças.” Para Hipócrates, Summun bonum - o bem maior - é remover a causa. A Natureza cura; o terapeuta pode apenas remover a obstrução.

Hipócrates lançou fundamentos para todas as formas de terapias manuais incluindo a massoterapia como vemos hoje no mercado. Observando as praticas antigas de manipulação articular entendemos que haviam diversos acidentes, devido à falta de conhecimento anatômico e fisiológico. Todos os pais da massagem no passado carregavam em si os pensamentos de Hipocrates, sendo eles: Galeno, Avicena, Ambrosio Paré e Pehr Henrique Ling. Mezger, Cyriax, Brhaun,Mennel, Dicke,Rolf, Greenman, Dixon,Robert e Chaitow.

A tradição das manipulações através da massoterapia retornou nos anos de 1960 quando fisiatras e osteopatas forneceram um novo arsenal técnico para os profissionais. A formação no Brasil permite movimento cinesiológico e algumas escolas possuem disciplinas complementares de quiropatia. Fora isso, em sua maioria o que temos visto são estaladores de ossos, curiosos e pseudo profissionais prejudicando a saúde de centenas de pessoas somente porque conseguem estalar alguém. Eles não sabem que podem estar causando maiores malefícios do que benefícios... Não se engane massoterapeutas podem sim promover ajustes articulares, entretanto após formação técnica ou através de direito adquirido para os formados antes de 2008.

Não devemos invadir campo profissional de ninguém quiropraticos trabalham com ajustes articulares vertebrais, Osteopatas fazem a ma mesma coisa, massoterpaeutas trabalham com quiropatia ou manipulação vertebral desde que sejam técnicos formados...

Vamos manter o profissionalismo, não trabalhamos com manipulação vertebral, deixemos para os quiropraticos assim como, exigimos que ninguém trabalhe com terapia manipulativa de tecidos moles, pois este é nosso campo. Respeite o espaço do outro... Veja analise:

-Técnico em massoterapia – 02 anos de formação.+ curso de aperfeiçoamento ou especialização de quiropatia ou manipulação articular. (1 anos).

-Fisioterapeuta – Entre 4 e 4 anos e meio de formação + pós em manipulação articular (osteopatica).

-Quiropratico – Ente 4 e 5 anos.

-Osteopata – 5 anos.

E você? Observou, entendeu, não se pode sair por ai estalando os outros sem conhecimento prévio e treino adequado.

Pense ,reflita ,analise!!!

ABRAMC

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Oito hábitos para conviver melhor com a artrite reumatoide


As causas da artrite reumatoide são desconhecidas, as pesquisas mais recentes indicam somente que se trata de uma doença inflamatória e autoimune, isso significOito hábitos para conviver melhor com a artrite reumatoide a que o próprio corpo produz anticorpos que atacam as articulações - sobretudo as menores, como os dedos, punhos e articulações dos pés e dos tornozelos.

A reumatologista Lícia Maria Henrique da Mota, coordenadora da Comissão de Artrite Reumatoide, da Sociedade Brasileira de Reumatologia, explica que, se não for adequadamente tratada, a artrite reumatoide destrói as articulações, aumentando a sua dependência para realizar as tarefas diárias. E quando as deformidades progridem, é hora de lançar mão de alguns hábitos e até dispositivos que facilitam a sua vida. Em 30 de outubro, o calendário marca o Dia Nacional de Luta contra as Doenças Reumáticas. Conviver bem com a doença é o primeiro passo vencê-la, informe-se a seguir e junte-se a nós nesse combate!

Substituir maçanetas e torneiras arredondadas

Uma mudança simples que faz toda a diferença. As torneiras e maçanetas em formato de bolinha são muito mais difíceis de serem giradas por quem tem artrite reumatoide. Isso porque esse tipo de dispositivo exige o movimento de prensa da mão, que solicita exatamente as articulações mais prejudicadas. Para abrir maçanetas e torneiras em formato de cabo, basta um empurrão, para baixo ou para cima, bem mais fácil de ser realizado. O reumatologista Fábio Leandro Parmigiani, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, explica que essa alteração faz muita diferença na qualidade de vida dos pacientes, que podem fazer atividades básicas com mais independência.

Usar velcro nas roupas

Vestir-se sozinho parece simples? Pois pode ser um desafio para quem tem artrite reumatoide. Adquirir roupas que tenham velcro no lugar de zíperes, botões e laços - ou até mesmo fazer a mudança com a ajuda de um costureiro - aumenta a independência do paciente com artrite reumatoide, já que exige menos o chamado movimento de pinça dos dedos, de difícil execução nesses casos. O reumatologista Fábio conta qual é a maior vantagem do uso desse aparato: "Ele permite que os pacientes não se sintam limitados para atividades básicas de cuidado pessoal, o que melhora, e muito, a autoestima".

Usar mais os braços

O educador físico Diego Roger, professor da Universidade Gama Filho e mestrando em ciências aplicadas à reumatologia, explica que, na fase de adaptação à doença, é fundamental resguardar articulações comprometidas e tentar utilizar os acessórios (neste caso, o braço) para realizar as atividades diárias. "Contudo, é preciso cuidado para não sobrecarregar as articulações que estão boas, comprometendo-as no longo prazo, ou assumir posturas viciosas, como manter a coluna curvada".

Usar um carrinho

Sabe esses carrinhos usados para fazer compras no supermercado? Eles podem ser ótimos aliados no lar de quem convive com a artrite reumatoide. Fábio Parmigiani explica que o transporte excessivo de peso evita que estes pacientes desencadeiem lesões musculares e agravamento do quadro de dor nas juntas. Por isso, use os carinhos e evite essas agressões.

Forrar utensílios manuais

Facas, garfos e escova de dente não precisam ser um desafio para o portador de artrite reumatoide. Lícia Maria explica que atualmente existem dispositivos que se encaixam a esses, e outros, objetos, garantindo a sua usabilidade por quem tem a doença. "Os adaptadores melhoram muito a capacidade dos pacientes terem uma vida normal, muitas vezes um simples adaptador colocado no cabo de uma faca facilita a utilização do utensílio e evita que o paciente se sinta incapaz de ter uma vida normal", afirma o reumatologista Fábio. Para quem quiser um método diferente de fazer a adaptação, a reumatologista Lícia dá a dica: "Vale colocar aqueles espaguetes usados na piscina em torno do cabo da faca, por exemplo, para isso, basta introduzir o objeto dentro do espaguete e descascá-lo até que ele chegue ao diâmetro ideal para a pegada".

Usar a tecnologia a seu favor

Fábio Parmigiani explica que tudo que ajuda o paciente a proteger a junta inflamada e, desta forma conservar a energia, é uma opção benéfica. Escovas de dente e facas elétricas são algumas das opções que ajudam a evitar a lesão das articulações - aposte nelas.

Evitar as quedas

A reumatologista Lícia Maria explica que o risco de osteoporose é maior nos pacientes com artrite reumatoide. Por isso, além do acompanhamento médico e avaliação da densidade óssea constantes, a especialista recomenda que sejam feitas algumas adaptações na casa desse paciente, a fim de evitar quedas: "Colocar barras no banheiro, preferir sabonetes líquidos (em vez da versão em barra, que pode escorregar e cair no chão) e evitar o uso de tapetes são medidas simples que previnem o problema".

Pedir ajuda quando precisar

Nem todo esse aparato substitui a ajuda - e o carinho - que um amigo, um familiar ou mesmo um cuidador pode te dar. "Todos que convivem com uma pessoa que tem artrite devem se esclarecer sobre as possíveis limitações causadas pela doença e, portanto, melhorar o convívio", afirma o reumatologista Fábio Parmigiani. Sinta-se confortável em solicitar a ajuda de outros sem sentir constrangimento, pois a exigência de ser independente, às vezes, pode ser excessiva e acabar em frustração.

Por minha vida

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

15 dúvidas sobre dores na coluna e nas articulações

Você sabia que as doenças reumáticas afetam tanto as pessoas mais velhas quanto as mais jovens? Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que 80% das pessoas no mundo terão ao menos uma situação de dor nas costas durante a vida.

Apenas os idosos têm doenças reumáticas?
Não. A doença reumática é uma coisa que afeta tanto as pessoas mais velhas quanto as mais jovens. 'A minha dica vai para os indivíduos jovens, do sexo masculino e que têm muita dor na coluna lombar ou no glúteo pela manhã. Eles devem procurar uma avaliação reumatológica', explica o cirurgião especialista em coluna, Alexandre Reis Elias.

Quais as principais lesões que podem acometer a coluna?
Artrose, fratura por osteoporose ou secundárias a tumores, contraturas musculares, hérnias de disco, estenose (estreitamento) de canal medular, listese (escorregamento) de vértebra, tumores propriamente ditos sem causar fraturas. Não devem ser esquecidas também as dores relacionadas a problemas renais, gástricos, intestinais e dos órgãos genitais.

'Por abranger várias etiologias, é fundamental o exame clínico médico para o diagnóstico correto e, se necessário, solicitar exames e propor o tratamento adequado', explica Elaine Scaff Haddad, Médica Fisiatra Assistente do Grupo de Dor do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo.

As mulheres são mais propensas a desenvolver dores nas articulações?
Existe um quandro chamado fibromialgia, isto é, quando a pessoa tem várias dores em várias partes do corpo. Isso é mais comum nas mulheres e está diretamente relacionado a estresse, algumas alterações como a depressão ou ansiedade. A parte da postura é também importante e o uso do salto alto pode desencadear, sim, uma dor lombar.

'Mas isso é uma questão de bom senso. Uma pessoa que usa salto alto e não sente nada pode usar sem problema algum. Já quem usa e nota que, se não usar, a dor melhora deve evitar', destaca Alexandre.

As articulações costumam doer mais no frio?
Em todo paciente que tem alguma dor, esta costuma piorar na época do frio. O que ocorrer é que há uma vasoconstrição, ou seja, há menos irrigação nos tecidos. 'Nos consultórios médicos sempre aumenta o volume de atendimento na época do inverno. Mas é uma situação esperada e, à medida que o frio passa, a pessoa melhora novamente', destaca o especialista em coluna, Alexandre Reis Elias.

A obesidade estimula o surgimento de dores nas articulações?
O sobrepeso força as articulações como um todo. Se as pessoas obesas perderem peso certamente deve melhorar a intensidade da dor que sentem. 'Imagine uma pessoa que tenha sobrepeso grande e que já tenha lesionado a articulação. Muitas vezes, não adianta apenas melhorar o sobrepeso, ela terá que tratar a lesão. A melhor coisa é evitar o sobrepeso para minimizar lesões que podem ser definitivas e requerer tratamentos mais invasivos como, por exemplo, cirurgias', ressalta Alexandre.

Apenas a fisioterapia pode tratar doenças reumáticas?
Se uma pessoa tem uma dor lombar de característica inflamatória, que é aquela dor pela manhã e que melhora à medida que caminha, ela deve ser sempre avaliada por um reumatologista antes do fisioterapeuta. É preciso haver um diagnóstico preciso para estabelecer uma rotina de fisioterapia para uma determinada patologia.

'A pessoa deve sempre tentar um diagnóstico preciso antes de introduzir um tratamento mais direcionado para aquela doença. E as doenças reumatológicas melhoram muito com medicação', explica o especialista em coluna, Alexandre Elias.

Hábitos alimentares têm influência em dores?
Se duas pessoas têm o mesmo nível de lesão numa articulação e uma tem a alimentação balanceada e pratica atividade física regularmente e a outra não, a primeira certamente sente menos dor do que a segunda. 'A pessoa que se alimenta bem e pratica exercícios tem no cérebro uma quantidade de neurotransmissores que promovem a serotonina, a substância do bem-estar. Ela sente menos dores do que uma pessoa que não tem essa rotina mesmo com o grau idêntico de lesão articular', observa Alexandre.

Qualquer dor na articulação é sinônimo de doença reumática?
Não. As doenças reumáticas são aquelas dores inflamatórias que pioram ao repouso. Em articulações, principalmente do cotovelo e das mãos, a pessoa pode ter um inchaço local. 'Eu lido mais com problemas de coluna e os pacientes têm um padrão de dor inflamatória, que piora pela manhã e melhora com a atividade como sair andando para o trabalho. Isso é bem diferente de quem tem problema de hérnia de disco ou de vértebra que está solta dentro da coluna. Para essas pessoas, à medida que andam, a dor piora', destaca Alexandre.

As doenças reumáticas têm cura ou não?
Elas podem não ter cura, mas, na extrema maioria das vezes, têm controle. O especialista em coluna Alexandre Reis Elias explica que, quanto antes for feito o diagnóstico, menor será a possibilidade de ter inflamação e de haver lesão naquela articulação daqui a 20 ou 30 anos.

Deitar de barriga para baixo faz mal para a coluna?
Faz e não faz. Deitar de barriga para baixo pode provocar uma curvatura maior na coluna chamada hiperextensão e isso pode provocar dor. Para algumas pessoas, só o fato de corrigir a postura no dia a dia e ao dormir já melhora a dor lombar. 'É outra questão de bom senso. Uma pessoa pode dormir nessa posição por dez anos e não sentir nada. Ela tem que evitar isso? Não, para ela não há nenhuma diferença', explica Alexandre.

Dormir no chão realmente 'corrige' a coluna?
'Não há isso de correção. O que ocorre é que o chão, como é rígido, proporciona menos movimento da coluna, e pode trazer um bem-estar. Deitar num colchão muito mole movimenta a coluna e, se você estiver com uma lesão ou inflamação naquela região, vai ter mais dor', explica o especialista em coluna, Alexandre Reis Elias.

Cruzar as pernas, estalar os dedos, isso pode prejudicar a coluna?
'A mulher de pernas cruzadas, se não estiver apoiada atrás com um apoio de braço, eventualmente pode ficar com dor na coluna. A pessoa deve sempre se sentar com a coluna apoiada no pulso da cadeira e com os pés inteiros no chão', explica o médico Alexandre Elias.

A parte de estalar os dedos, continua o especialista, não afeta em nada a coluna. O que pode afetar é a forma como a pessoa está sentada na cadeira. Se ela não sentar com a coluna encostada no dorso da cadeira pode, sim, desencadear uma dor.

Estalar o pescoço com o movimento da cabeça faz mal?
Todo movimento mais brusco na coluna pode desencadear uma dor aguda. Se a pessoa faz movimentos mais fortes com o pescoço pode ter uma dor cervical. Mas ela não deve evitar estalar se a dor não existe. 'Tem pessoas que fazem esse movimento e não sentem dor alguma. É preciso apenas o cuidado com esses movimentos fortes. Se ela sentiu dor ao fazer isso pode procurar um diagnóstico com o médico', destaca o especialista Alexandre Elias.

Fumantes têm mais propensão à dor nas costas?
As pessoas que fumam podem ser mais ansiosas e ter mais dor. Ou ter piora na irrigação sanguínea nos tecidos e também terem dor. Mas, explica o especialista Alexandre Elias, é difícil precisar o razão. 'Estudos mostram que os fumantes têm mais dor do que as pessoas que não fumam. É difícil avaliar o motivo. Mas dá para dizer que quem fuma tem mais dor, sim', destaca Alexandre.

O que fazer para evitar dores na coluna?
A médica fisiatra Elaine Scaff recomenda sempre a atividade física de maneira regular, de quatro a cinco vezes na semana, e orientação de posturas adequadas para dormir, levantar, sentar ou realizar afazeres domésticos. 'Para qualquer atividade, o ideal é manter o peso adequado e realizar o controle médico de preferência com um especialista de coluna', destaca.

domingo, 28 de outubro de 2012

Massagem Terapêutica e Reabilitação


A massagem auxilia na circulação sanguínea e linfática, oxigenação e nutrição dos tecidos, aumento da flexibilidade muscular, fortalecimento do sistema imunológico, auxilia o corpo em seu constante processo de homeostase, que é o mecanismo pelo qual nosso corpo busca manter-se regulado e equilibrado.

A partir dessas informações é fácil imaginar os benefícios que a massagem pode trazer em um processo de reabilitação, seja ele qual for. Sem falar nos benefícios psicológicos que o toque terapêutico, e a atenção dispensadas pelo terapeuta podem proporcionar!

Como existem diversas técnicas, inúmeras manobras, aliadas a ritmo, pressão e plenitudes diferentes em cada toque e movimento, é importante procurar um profissional capacitado, e também a liberação do médico para o tratamento complementar.

No blog você pode encontrar diversos artigos que foram colhidos na internet, de pesquisas e utilizações de técnicas terapêuticas manuais para reabilitação, manutenção da saúde, e prevenção.


sábado, 27 de outubro de 2012

Massagem tem o poder de reabilitar músculos lesionados


A massagem tem uma ação muito parecida com a dos tradicionais anti-inflamatórios e é eficaz na reabilitação de músculos que sofreram lesões. É o que mostra um estudo divulgado nesta quarta-feira, 1, pela revista Science Translational Medicine.

Trabalhos anteriores comprovavam os efeitos práticos da massagem, mas nenhum desvendava as complexas reações bioquímicas que explicam por que ela funciona. "Há consenso de que massagem produz bem-estar", afirma Simon Melov, do Instituto Buck, nos Estados Unidos. "Agora, temos base científica para explicar como ela atua."

Normalmente, o esforço físico produz lesões nas fibras dos músculos que levam à processos inflamatórios. Os cientistas descobriram que a massagem estimula a produção de sinais químicos que diminuem a inflamação, de um modo análogo à atuação de vários fármacos.

Ao mesmo tempo, a massagem estimula a geração de mitocôndrias, pequenas estruturas que funcionam como verdadeiras usinas de energia dentro da célula. Desta forma, a prática também contribui para acelerar a reconstrução de tecidos músculo-esqueléticos afetados por exercícios físicos ou doenças.

Segundo o estudo, bastariam 10 minutos de massagem para produzir um efeito benéfico perceptível.

"Os benefícios da massagem podem ser úteis para um amplo grupo de indivíduos que inclui idosos, pessoas que sofrem de lesões músculo-esqueléticas e pacientes com doença inflamatória crônica", pondera Mark Tarnopolsky, principal autor do estudo e cientista do Departamento de Pediatria e Medicina da Universidade McMaster, em Ontário, no Canadá. "Esse estudo fornece evidências científicas confiáveis de que terapias de manipulação, como a massagem, podem ser integradas com sucesso à prática médica."

O experimento também derrubou uma crença muito difundida: a de que a massagem diminuiria a dor por ajudar a eliminar substâncias como o ácido lático, que causam incômodo depois do esforço físico. "Apesar de não ter efeito sobre os metabólitos musculares (como o ácido lático), a massagem diminui a produção do fator inflamatório, mitigando o estresse celular da fibra muscular", aponta o artigo, que contou com a participação de 11 atletas voluntários.

O mesmo texto recorda que terapias complementares, como a própria massagem, a acupuntura e a quiropraxia se tornam cada vez mais comuns no cotidiano das pessoas, especialmente como formas de diminuir a dor. Daí a necessidade de estudos que determinem a razão da sua eficácia.

Na prática. O fisioterapeuta Ricardo Luchetti utiliza a massagem e a quiropraxia para tratar pessoas com dores há mais de 20 anos. Sua especialidade são as dores na coluna.

Ele ficou contente ao saber que o estudo comprova a eficácia do seu trabalho. "De fato, é bastante evidente o efeito da massagem na diminuição do processo inflamatório", aponta Luchetti.

Só nos Estados Unidos, 18 milhões de pessoas recorrem a massagistas todos os anos.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Quick Massagem

A Quick Massage, também conhecida como massagem expressa, é indicada para quem procura um atendimento rápido, principalmente para pessoas que possuem pouco tempo e que sofrem com as consequências da agitada vida urbana.

Com a correta aplicação da técnica, o paciente sentirá alivio imediato de dores, cansaço físico e mental, stress, desconforto muscular, dor de cabeça, além da melhoria na circulação sanguínea e da reativação da energia perdida no dia a dia.

É uma técnica de massagem que é realizada numa cadeira especialmente projetada onde o paciente fica numa posição muito confortável e relaxante, o que permite que o massagista possa trabalhar de maneira fácil e com ótimos resultados a região cervical, ombros, membros superiores e região dorsal.

As sessões de "Quick Massage" tem duração média de 15-20 minutos e são aplicadas nos músculos do pescoço, ombros, braços, mãos e costas.



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Massoterapia é essencial para a prática esportiva

Sempre em busca de um atendimento especial para os jogadores que participam dos campeonatos de futebol society, a Prime League está sempre em busca de grandes diferencias dentro do mercado. Por isso, inclui dentro de seus serviços oferecidos, uma gama de opções para quem deseja qualidade de vida, entretenimento, network e muita diversão! Leia com exclusividade uma entrevista com o massoterapeuta Alexandre Noda, responsável pelo atendimento das equipes durantes as partidas!

Prime - Como é poder participar de um campeonato de futebol society realizando o trabalho de massoterapia?

Alexandre - O trabalho como massoterapeuta num jogo de futebol society está sendo uma experiência nova porque até então eu apenas tinha trabalhado em eventos com a cadeira de Quick Massage e sessões na maca. Porém, o meu trabalho de conclusão do curso de massoterapia teve como tema a massagem esportiva. Considero uma ótima técnica para quem pratica atividades físicas, sendo um diferencial.

Prime - Como os jogadores recebem esse tipo de diferencial?

Alexandre - Nos primeiros jogos eu ficava só usando o spray para relaxar as confutusões dos jogadores. A partir do segundo jogo, já foram aparecendo mais jogadores para receber a massagem.

Prime - Quantas massagens são realizadas por jogo?

Alexandre - No começo, foram dois atendimentos e depois foi aumentando gradativamente a aplicação da quick massage.

Prime - Quais benefícios a massagem oferece para o atleta?

Alexandre - Entre as vantagens está a ativação da circulação sanguínea e alívio das dores musculares causadas no trabalho.

Prime - Além dos jogos, vocês considera que a massagem é um meio de reduzir o stress e causar uma conexão da pessoa com o seu próprio corpo?

Alexandre - Sim, além de oferecer o relaxamento, a massagem proporciona um esvaziamento da mente, fazendo com que se mantenham distantes os problemas do dia a dia. Acredito que isso contribua muito para o campeonato, já que por meio dessa prática os jogadores ficam mais focados para a partida, deixando o stress de fora.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Curso Liberação Miofascial - SP

Curso Liberação Miofascial Turma Sao Paulo de 27 a 28 de Outubro

- Princípios e Técnicas de Tratamento

Sobre a técnica:

A Liberação Miofascial é uma eficiente técnica de tratamento para o conjunto miofascial e o tecido conjuntivo. As técnicas podem ser aplicadas em diferentes áreas, da ortopedia à neurologia, e em diferentes populações, da pediatria à gerontologia.

Carga Horária
20 horas/Aula

Este curso é ministrado de Sabado a Domingo sempre das 8:00 as 18:00 horas
Ministrante
Prof. Lucas Peres Rodrigues
Fisioterapeuta formado pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), é especialista em técnicas de terapia manual, Com formação em Mulligan, Positional Release Therapy, RPG/RNM, Neurodinâmica, Maitland, Técnicas Osteopáticas Cranianas e Viscerais, Terapia Crânio-Sacral, Iso-Streching, Liberação Miofascial (Nível 1,2,3 e 4). Atualmente atua em clínica particular e ministra cursos em diversas localidades do país.
Investimento
Taxa de Inscrição R$ 160,00
Valor do curso a vista R$ 400,00 em até 3 vezes de R$ 134,00 ou até 5 vezes de 95,00

( Para Pagamento via Cheque Pré Datado)

Outras formas de pagamento aceitas

Observações - No valor do curso esta incluso
Coffee Break;
Apostila ilustrada colorida com o material do curso
Material de apoio; como pasta, bloco de rascunho e caneta;
Certificado de conclusão do Curso.


Próximas Turmas - 27 e 28 de Outubro - Turma São Paulo

- 24 e 25 de Novembro - Turma Curitiba

- 01 e 02 de Dezembro - Turma Campinas

- 15 e 16 de Dezembro - Turma Porto Alegre

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Caminhada vigorosa reduz risco de doenças cardíacas e diabetes


Estudo indica que a intensidade do exercício é importante para a prevenção

Acelerar o passo na caminhada, praticar cooper ou fazer outros exercícios de maior vigor pode reduzir o risco de desenvolver problemas de coração e diabetes, aponta um novo estudo. Pesquisas anteriores já haviam sugerido que fazer atividades físicas regularmente, incluindo caminhadas moderadas de 30 minutos por dia, poderia fortalecer a saúde. Agora, especialistas da Bispebjerg University Hospital, na Dinamarca, afirmam que a intensidade, e não a duração, é que faz a diferença.

Eles fizeram uma análise que incluiu mais de 10 mil adultos com idades entre 21 e 98 anos que moravam em Copenhagen, na Dinamarca. Desses, uma em cada cinco mulheres e pouco mais de um em cada quatro homens tinham síndrome metabólica, conjunto de fatores de risco que dão origem ao diabetes e à doença cardíaca. Todos os participantes foram interrogados sobre a quantidade de exercícios que praticavam e foram monitorados nos 10 anos seguintes.

Os resultados, publicados na versão online do British Medical Journal Open, foram similares entre o público masculino e feminino. Aqueles que faziam caminhadas aceleradas ou cooper de duas a quatro vezes por semana apresentaram um risco 50% menor de desenvolver síndrome metabólica. A mesma redução não foi identificada entre aqueles que caminhavam a passos mais curtos e lentos. Após 10 anos de acompanhamento, 15% dos participantes desenvolveram síndrome metabólica.

Segundo os pesquisadores, não é apenas o tempo de prática do exercício que exerce influência sobre a saúde, mas, principalmente, a maneira como esse tempo é usado. Exercícios vigorosos são a melhor saída para quem deseja perder peso. Quando o assunto é prevenção do diabetes e doenças cardíacas, portanto, suar a camisa é fundamental para fazer a atividade física valer.

Previna-se contra o diabetes e problemas cardíacos

Além da prática regular de exercícios, outros hábitos também ajudam a reduzir o risco de desenvolver problemas de coração e diabetes. Confira quais são eles:

Relaxe

A ansiedade aumenta a liberação de cortisol no organismo, hormônio que favorece a concentração de glicose no sangue. Altas taxas de açúcar podem desencadear problemas como diabetes, triglicérides alto e colesterol descontrolado.

Maneire no açúcar

Para quem já apresenta predisposição a desenvolver o diabetes, ingerir altas taxas de açúcar pode favorecer o desenvolvimento da doença. Além disso, um estudo apontou que o consumo do alimento também está ligado a um risco maior de desenvolver problemas cardíacos por afetar as taxas de lipídios do corpo.

Cigarro

Respirar a fumaça tóxica do cigarro afeta várias funções do sistema vascular arterial. O hábito favorece o desenvolvimento das doenças não só enquanto ele é cultivado, mas também após seu abandono, já que tabagistas costumam ganhar peso ao largar o cigarro.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O QUE ACONTECE NO CORPO DE UMA PESSOA OBESA QUE PERDE 5% DO SEU PESO?

A combinação de exercícios físicos com dieta balanceada pode trazer muitos benefícios já nos primeiros quilos a menos.
1. Memória: livrar-se de alguns quilos sobressalentes ajuda a resguardar as lembranças. Ao perder peso, diminui-se a resistência à leptina, enzima que sinaliza se é necessário ingerir mais ou menos alimentos. Essa substância ainda participa do processamento da memória no hipocampo e protege a massa cinzenta.

2. Colesterol: investir numa dieta equilibrada e com pouca gordura abaixa os níveis de colesterol no sangue. Dar adeus a pneuzinhos e afins colabora principalmente na diminuição do LDL, o chamado colesterol ruim. Em excesso, ele provoca a oxidação da camada interna dos vasos sanguíneos,que fica toda inflamada.

3. Câncer: a perda de massa gorda reduz o risco de desenvolver diversos tumores, como os de esôfago, pâncreas, ovário, rins, útero e mama. Sem o peso adicional, o organismo controla os hormônios que favorecem a desregulação de células e fatores inflamatórios que deixariam o corpo vulnerável ao câncer.

4. Pressão: uma murchada na barriga influencia na pressão arterial. Mais leve, o corpo deixa de produzir insulina aos montes para lidar com o açúcar. Quando está aos borbotões, esse hormônio favorece a retenção de água e sal. Também está por trás da secreção além da conta de noradrenalina. Tudo isso provoca a disparada da pressão.

5. Articulações: podar os quilos extras alivia a sobrecarga nas juntas, principalmente naquelas consideradas de impacto, como o quadril, o joelho e o tornozelo. Alguns estudos ainda em estágio inicial sugerem que o sobrepeso produz substâncias que agridem a cartilagem das articulações.

Os números podem variar de acordo com o metabolismo de cada indivíduo, além de outros fatores, como a genética, a composição dos nutrientes da dieta e a frequência dos exercícios físicos.


FONTES: FÁBIO GOMES, NUTRICIONISTA DA ÁREA DE ALIMENTAÇÃO, NUTRIÇÃO E CÂNCER DO INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER; HUGO COBRA, CHEFE DO CENTRO DE CIRURGIA DO JOELHO DO INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA; SÔNIA BRUCKI, NEUROLOGISTA DO DEPARTAMENTO CIENTÍFICO DE NEUROLOGIA COGNITIVA E DO ENVELHECIMENTO DA ACADEMIA BRASILEIRA DE NEUROLOGIA; NABIL GHORAYEB, PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO DE CARDIOLOGIA DO ESPORTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA; ZULEIKA SALLES COZZI HALPERN, ENDOCRINOLOGISTA; MARIANA DEL BOSCO, NUTRICIONISTA; DANIEL MAGNONI, CARDIOLOGISTA E NUTRÓLOGO DO HOSPITAL DO CORAÇÃO; ANDRÉ PEDRINELLI, PRESIDENTE DO COMITÊ DE TRAUMATOLOGIA DO ESPORTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA; MARIA TERESA ZANELLA, PROFESSORA TITULAR DA DISCIPLINA DE ENDOCRINOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

Por Manoel Gomes

http://saude.abril.com.br/emagrece-brasil/beneficios-emagrecimento.shtml?utm_source=redesabril_saude&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_saude&

domingo, 21 de outubro de 2012

Dores musculares: alivie o desconforto que acontece após atividades físicas

video

Dores musculares: alivie o desconforto que acontece após atividades físicas

Previna e amenize as dores com cuidados antes e depois dos exercícios

sábado, 20 de outubro de 2012

Massagem para o Desempenho Esportivo -DVD

'Massagem para o desempenho esportivo' apresenta, de forma sucinta e objetiva, dicas e recomendações específicas de massagem para os mais diversos esportes, sendo um guia essencial para fisioterapeutas , massoterapeutas e atletas.

Ao longo do texto, o autor mostra como executar diferentes técnicas de massagem; administrar rotinas mais eficientes para pré e pós-evento; alongar, aquecer e ativar músculos primários e acelerar a recuperação e minimizar lesões, dores e fadiga.



Título: Massagem para o Desempenho Esportivo

Subtítulo: DVD Em Inglês
Autor: Michael McGillicuddy
Editora: Artmed
Ano: 2012
Idioma: Português


sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Benefícios da Massagem

Fazer massagem é divino e super relaxante, mas não é só por prazer que devemos fazê-la… massagem também é uma aliada para manter o corpo saudável, equilibrado e bonito. E tem papel importante também no pós treino. Ajuda na remoção de resíduos metabólicos tóxicos produzidos durante um treino de ginástica, resultantes de danos estruturais no tecido muscular. As massagens aceleram a recuperação após exercícios físicos e podem também ajudar a evitar lesões, aliviando tensões e promovendo o equilíbrio músculo-esquelético, melhorando a circulação, estimulando as terminações nervosas e diminuindo dores e cansaço muscular.

A mais famosa e escolhida por nós mulheres é a drenagem linfática… e não é à toa. É uma técnica de massagem que trabalha o sistema linfático, estimulando-o a trabalhar de forma rápida, acelerando o processo de eliminação dos líquidos acumulados entre as células e os resíduos metabólicos. MAS O PRINCIPAL: combate a celulite e a gordura localizada e ainda melhora a ação anti-inflamatória do organismo.

Algumas outras técnicas:

Shiatsu: É uma técnica de massagem oriental que percorre os fluxos de energia no corpo(meridianos) utilizando dedo (Shi) e a pressão (atsu). O terapeuta utiliza os dedos, as palmas das mãos e os cotovelos para aplicar a pressão.

Liberação Miofascial: A Fáscia é um tecido conjuntivo extremamente resistente que se espalha através do corpo em uma rede tri-dimensional, da cabeça aos pés sem interrupção. A Liberação Miofascial oferece excelentes resultados para os seguintes problemas: Dor nas costas, dor cervical, dor de cabeça crônica, dores de cabeça, traumas de quedas, dores oro-faciais.



Fonte: Personal Rodrigo Carvalho, 
 Para quem quiser saber mais acesse o site dele: http://www.reconstrucaocorporal.com/ ou entre em contato pelo telefone: (11) 99756 6318

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Expulse a dor da sua vida

Um médico conta como sarar mais rápido, treinar com inteligência e ter um corpo à prova de lesões

Dê a volta na dor

A primeira coisa que você ouve quando se machuca são quatro mandamentos: descanso, gelo, compressão e elevação. O senso comum diz que o melhor tratamento para lesões – em especial luxações e torções – é largar o exercício, aplicar gelo algumas vezes ao dia durante as primeiras 48 horas, fazer compressão (apertar com uma faixa, por exemplo) e levantar a parte do corpo afetada para diminuir o fluxo sanguíneo, a dor e o inchaço.

A maior parte de tudo isso funciona mesmo. Só não abuse dos quatro passos – eu até discordo de um deles. Vou explicar o porquê. Adoro gelo – é um anti-inflamatório natural. A compressão e a elevação são boas, mas apenas em algumas lesões (nunca pressione se houver compressão de nervo, por exemplo).Mas, para mim, a cura é um processo em duas etapas: primeiro, pare o que você está fazendo. Depois, continue. Ficou confuso? O que eu quero dizer é que, se você sofreu uma lesão, interrompa a atividade que a causou. E, depois, recomece a se exercitar para valer.

Uma lesão não concede férias da boa forma ou do treino. Você deve continuar a malhar, mesmo que precise ir com calma com uma parte específica do corpo, para que (apenas) ela possa sarar. A razão disso tem base científica. Cada vez mais, os médicos estão deixando de lado a recomendação de descanso e incentivando os pacientes lesionados a fazer alguma atividade física. Eu sou parte deste time. Por exemplo, no caso da osteoartrite (forma mais comum de artrite), nós costumávamos prescrever ao paciente descanso e medicação. Agora, estudos mostram que os exercícios que constroem músculo melhoram a função da articulação e, combinados com perda de peso, dão mais qualidade de vida do que apenas a medicação.

O real motivo do seu machucado

Algumas lesões graves podem ser curadas ou evitadas se você descobrir a causa verdadeira de cada uma delas

1. Talvez você tenha dormido de mau jeito. Mas se a dor não passa…

A CAUSA Os nervos no alto da coluna controlam a função motora e sensorial dos braços. Quando você inclina ou torce o pescoço, os nervos comprimem.

A SOLUÇÃO À medida que a dor diminuir, entrelace as mãos atrás do pescoço. Incline o pescoço para frente e aperte as suas escápulas. Interrompa e volte à posição inicial. Repita por até 10 vezes. Quando estiver sem dor, desenvolva a força do pescoço, encolhendo e relaxando os ombros.

2. Algo não vai bem. Será hérnia de disco? Calma, não pense nisso ainda.

A CAUSA Fraqueza e tensão nos tendões da perna, glúteos e quadril forçam os músculos das costas a se estenderem para compensar.

A SOLUÇÃO Mantenha-se em movimento e tome anti-inflamatórios. Use gelo nas primeiras 48 horas e calor depois disso. Quando a dor diminuir, comece com alongamentos suaves. E quando sumir, acrescente afundos, exercícios para a região central do corpo e agachamento.

3. Parece uma lesão na virilha. Mas fique atento se não melhorar.

A CAUSA Pode ser hérnia esportiva – a compressão ou ruptura dos músculos ou tendões –, causada por desequilíbrio entre adutores e abdominais.

A SOLUÇÃO Infelizmente, a cirurgia é a solução para a maioria das hérnias. Mas você pode prevenir o problema. A chave é cuidar do desequilíbrio muscular treinando os músculos da parte central do corpo. Invista de cinco a seis minutos diários de prancha, além do seu treinamento regular.

4. A dor ao redor do joelho faz você pensar em artrite ou ruptura do menisco.

A CAUSA Se os músculos do quadril, quadríceps e glúteos estão fora de forma ou desequilibrados, a pélvis oscila. Isso pressiona os joelhos.

A SOLUÇÃO Aposte no descanso dinâmico. Assim que a dor diminuir, faça agachamentos, saltos, afundos multidirecionais e pranchas para estabilizar a pélvis. Comece aos poucos e, com o tempo, aumente – chegue até a 10 ou 12 repetições em duas ou três séries. Faça em dias alternados.

5. Você está pronto para culpar os sapatos ou o excesso de corrida.

A CAUSA A fáscia plantar do pé é ligada aos músculos da panturrilha pelo tendão de Aquiles. Panturrilhas tensas podem luxar a fáscia.

A SOLUÇÃO Sente-se no chão com a perna estendida e posicione um rolo de espuma abaixo do tornozelo. Cruze uma perna sobre a outra. Com as mãos abertas no chão, role para a frente, para que a espuma fique debaixo do joelho. Role de volta. Repita por três minutos e mude de perna.

O que você precisa entender é que pode controlar a dor com a força. E não é só isso. Os neurotransmissores do bem-estar produzidos pelo exercício (serotonina e dopamina) agem de forma parecida com as drogas, fazendo dele nossa forma mais saudável de melhorar o humor. Proibir a atividade pode ser clinicamente deprimente para as pessoas. Foi o que senti quando machuquei o joelho e não podia me exercitar. Acredito que o descanso total é uma insensatez, e até, em termos médicos, pouco saudável.

E para combater todos esses pontos negativos, é preciso suar a camisa. Se fizer isso, você vai preservar um pouco do condicionamento. Vai obter sua dose de bem-estar. Vai se sentir melhor. Vai ficar mais confiante. E vai aprender que nenhuma lesão é o fim do mundo. Faça disto um mantra: exercício é remédio. É a forma mais fácil de se sentir feliz e saudável.

Então, como você se exercita enquanto está lesionado? Pratique o que eu chamo de “descanso dinâmico”. Isso significa duas coisas: a primeira é dar um tempo à parte lesionada do corpo e fazer o que for necessário para tratá-la (valem remédios caseiros, como gelo ou alongamento, ou algo prescrito por um médico e até fisioterapia monitorada). Em segundo lugar, seja dinâmico e mantenha-se em movimento no meio dessa recuperação. Veja aqui como.

1. Exercite suas opções

Se você distender o tornozelo, por exemplo, faça algo que não sobrecarregue essa parte do corpo. Vá para a piscina. Concentre-se no treinamento com halteres para a parte superior do corpo. Problema no ombro ou no cotovelo? Corra e faça exercícios pliométricos (movimentos realizados contra a força da gravidade) para a parte inferior do corpo. Problemas nas costas? Mexa-se. Ande. Arraste-se, se for preciso. Descansar costas que doem apenas deixa os músculos fora de forma e ainda mais fracos Seja qual for a lesão, não ataque a dor de frente, contorne-a. Encontre algo que não agrave o problema e nunca, mas nunca mesmo, fique em “repouso total”.

2. Pegue pesado sempre

Seja qual for sua atividade substituta, não deixe de manter a intensidade. Você vai ficar com o coração batendo e os pulmões ofegantes para manter seu sistema cardiovascular em dia. Talvez até o melhore neste período. E o esforço vai liberar os neurotransmissores que o tornarão a pessoa lesionada mais feliz do mundo.

Desenvolva um corpo blindado

Para prevenir a próxima lesão, eu recomendo que você treine todo o corpo. Trabalhe todos os grupos musculares – mesmo que você faça apenas um esporte. Nos fins de semana, dou aulas de força pliométrica, que envolvem movimentos funcionais que preparam você para os desafios do dia a dia. Sou fã disso. O método estimula toda a sua cadeia cinética, inclusive músculos, ligamentos, articulações e tecido conectivo, do pescoço até os pés. A cadeia cinética funciona como um único sistema – músculos do pé trabalham com os tornozelos, que trabalham com as panturrilhas, que trabalham com os joelhos, que trabalham com os quadríceps, jarretes e quadris, e assim por diante. Por isso, o condicionamento total ajuda a evitar machucados – é sempre ao redor do elo fraco que o problema aparece.

Veja sugestões para aumentar o condicionamento total e atingir áreas do corpo que muitos homens (até os mais ativos) deixam de lado.

1. Misture os exercícios

Sempre que puder, trabalhe músculos diferentes em um único movimento. Se você fizer um afundo, por exemplo, faça-o segurando uma bola de peso e acrescente uma rotação da parte central do corpo.

2. Trabalhe uma perna só

Nas minhas aulas de força e condicionamento, faço as pessoas realizarem agachamentos, saltos e afundos com uma perna só. Isso permite usar o peso do próprio corpo e manter o equilíbrio. Quando você acrescenta isso ao treino, nota o aumento na força e na estabilidade dos tornozelos, joelhos e quadris – os pontos mais vulneráveis.

3. Contraia-se

Se você faz atividades que usam sempre os mesmos músculos – corrida e ciclismo – adicione exercícios pliométricos e intervalados na rotina. Eles são vitais para manter o equilíbrio entre as fibras de contração muscular rápida e lenta. Para os pliométricos, opte por saltos com agachamento e afundos. Repita até não aguentar mais! Nos sprints, escolha um intervalo de tempo adequado ao seu condicionamento. Isso varia de 10 segundos trabalhando e 10 descansando a 60 segundos intensos e 30 de descanso.

4. Junte-se às mulheres Ioga e pilates!

Não torça o nariz. Essas práticas dão flexibilidade e deixam a movimentação mais fluida. O pilates também dá um reforço para o core e as costas.

5. Seja amassado

Sou adepto da massagem. Além de relaxar, dá um up na elasticidade dos músculos. E um bom massagista identifica onde o corpo esconde tensões crônicas – o que pode significar problemas no futuro.

6. Recupere-se com sono

Se você não aproveitar mais nada entre as minhas dicas, saiba pelo menos que dormir é a atividade mais importante do seu dia. O sono dá ao seu corpo a oportunidade de se regenerar – ele recupera e aumenta a estrutura do músculo, fortalece os ossos, reabastece as células vermelhas do sangue e se envolve em outros processos decisivos. Dormir bem e por tempo suficiente significa um desempenho atlético melhor e menor chance de dar um tropeção à toa por aí.

Quando você deve mesmo ir ao médico?

Muitas lesões podem ser autodiagnosticadas. Mas nos três casos seguintes, é melhor deixar um profissional examinar você.

1. Se você tem alguma dor, inchaço ou instabilidade em uma articulação.

Se as juntas doem – em especial joelho, quadril, ombro ou cotovelo – vá ao médico. Se a área também fica vermelha e quente ao toque, vá com urgência, pois é sinal de infecção.

2. A lesão envolve perda de consciência ou memória.

Estou falando, aqui, sobre uma possível concussão, cara. Não seja burro. Mesmo a menor lesão cerebral precisa ser examinada por um médico – não por um colega, não por um treinador.

3. A dor que não passa.

Mesmo que você não se cuide, de uma forma ou outra, toda luxação, distensão ou dor deve mostrar melhora em um período de uma semana a dez dias. Se isso não acontecer – ou piorar – corra para a clínica.



Matéria publicada na Revista Men’s Health de maio de 2012.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Músculos e a massagem

Os músculos esqueléticos são os responsáveis pelos movimentos voluntários. Estes músculos fixam nos ossos, usando-os como alavancas e contribuem junto com a pele para formar o exterior do corpo. Um músculo é constituído por 10 mil a 500 mil células musculares chamadas fibras musculares. Elas têm um diâmetro de 0,01 a 0,1 mm e certos músculos têm fibras com 40 cm de comprimento como o quadríceps (coxa da perna).

Os músculos são cobertos por uma faixa de tecido conjuntivo que dá a eles o seu formato e diminui a fricção entre eles e outras estruturas do corpo. Este tecido conjuntivo é que dá origem aos tendões, onde o músculo se fixa no esqueleto. As células contêm longas fileiras de miofilamentos, que contraem o músculo. Eles são formados pelas proteínas: actina e miosina. As proteínas se juntam quando os miofilamentos são estimulados pelo sistema nervoso e o músculo contrai, ficando mais curto.

100 QUILÔMETROS DE BRASÍLIA - VEM AÍ A PROVA MAIS ESPERADA DO ANO!

terça-feira, 16 de outubro de 2012

As articulações e a massagem


As articulações são conexões móveis entre dois ou mais ossos.

Cada junta tem o seu formato característico, que dá movimento ao encaixe dos ossos, chamado de articulações. Entre um osso e outro, existe a cartilagem, que melhora o encaixe, diminui a fricção e alivia os choques feitos pelo movimento. A cartilagem tem uma função fundamental para a boa movimentação. Ela não contém nervos ou vasos sanguíneos, o que dificulta sua capacidade de nutrição e faz com que não seja sensível à dor.

A nutrição da cartilagem é feita pelo líquido sinovia produzido pelo movimento da articulação. Por isso, uma vida de movimento é fundamental para a sobrevivência da cartilagem. Quando fraca, ela traz vários problemas ao corpo como dores e diminuição do movimento. Em volta da articulação, existe uma cápsula de tecido conjuntivo cujo lado interior é feito por uma membrana chamada sinovial. É ela que produz o líquido necessário para lubrificar e nutrir a articulação.

A cápsula tem ainda uma outra função fundamental: a propriocepção. São pequenos sensores ligados ao sistema nervoso central. Eles informam ao cérebro sobre a posição da articulação, e mantêm o nosso equilíbrio.

Quando ficamos num pé só e fechamos os olhos, é a propriocepção que mantém o nosso equilíbrio. Normalmente, é bem mais fácil ficar em apenas um pé com os olhos abertos. Em volta da cápsula há ligamentos fortes para impedir a luxação e fortalecer as juntas. Eles também limitam o movimento.

Articulações com muitos movimentos são mais prováveis de deslocar, enquanto que articulações com poucos movimentos são difíceis de deslocar, devido aos fortes ligamentos. É bom lembrar que o que mantém tudo no lugar certo não são as articulações, mas os músculos cujos tendões são fixados no esqueleto. Muitas pessoas já romperam um ligamento, más é possível viver uma vida sem grandes problemas mesmo assim.

Temos vários tipos de articulações. Os mais comuns são:

Triaxial (ex. ombro)
Condilar (ex. pulso)
Selar (ex. polegar)
Gínglimo (ex. cotovelo)
Dobradiça (ex. joelho)



Shiatsu Nora Massoterapia Quiropraxia e Estética

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Estudo indica que a intensidade do exercício é importante para a prevenção

Caminhada vigorosa reduz risco de doenças cardíacas e diabetes

Acelerar o passo na caminhada, praticar cooper ou fazer outros exercícios de maior vigor pode reduzir o risco de desenvolver problemas de coração e diabetes, aponta um novo estudo. Pesquisas anteriores já haviam sugerido que fazer atividades físicas regularmente, incluindo caminhadas moderadas de 30 minutos por dia, poderia fortalecer a saúde. Agora, especialistas da Bispebjerg University Hospital, na Dinamarca, afirmam que a intensidade, e não a duração, é que faz a diferença.

Eles fizeram uma análise que incluiu mais de 10 mil adultos com idades entre 21 e 98 anos que moravam em Copenhagen, na Dinamarca. Desses, uma em cada cinco mulheres e pouco mais de um em cada quatro homens tinham síndrome metabólica, conjunto de fatores de risco que dão origem ao diabetes e à doença cardíaca. Todos os participantes foram interrogados sobre a quantidade de exercícios que praticavam e foram monitorados nos 10 anos seguintes.

Os resultados, publicados na versão online do British Medical Journal Open, foram similares entre o público masculino e feminino. Aqueles que faziam caminhadas aceleradas ou cooper de duas a quatro vezes por semana apresentaram um risco 50% menor de desenvolver síndrome metabólica. A mesma redução não foi identificada entre aqueles que caminhavam a passos mais curtos e lentos. Após 10 anos de acompanhamento, 15% dos participantes desenvolveram síndrome metabólica.

Segundo os pesquisadores, não é apenas o tempo de prática do exercício que exerce influência sobre a saúde, mas, principalmente, a maneira como esse tempo é usado. Exercícios vigorosos são a melhor saída para quem deseja perder peso. Quando o assunto é prevenção do diabetes e doenças cardíacas, portanto, suar a camisa é fundamental para fazer a atividade física valer.

Previna-se contra o diabetes e problemas cardíacos

Além da prática regular de exercícios, outros hábitos também ajudam a reduzir o risco de desenvolver problemas de coração e diabetes. Confira quais são eles:

Relaxe

A ansiedade aumenta a liberação de cortisol no organismo, hormônio que favorece a concentração de glicose no sangue. Altas taxas de açúcar podem desencadear problemas como diabetes, triglicérides alto e colesterol descontrolado.

Maneire no açúcar

Para quem já apresenta predisposição a desenvolver o diabetes, ingerir altas taxas de açúcar pode favorecer o desenvolvimento da doença. Além disso, um estudo apontou que o consumo do alimento também está ligado a um risco maior de desenvolver problemas cardíacos por afetar as taxas de lipídios do corpo.

Cigarro

Respirar a fumaça tóxica do cigarro afeta várias funções do sistema vascular arterial. O hábito favorece o desenvolvimento das doenças não só enquanto ele é cultivado, mas também após seu abandono, já que tabagistas costumam ganhar peso ao largar o cigarro.

domingo, 14 de outubro de 2012

Canela e pé são as maiores vítimas da corrida, mostra estudo


Corredores, cuidado: Canela, calcanhar e planta do pé são as partes do corpo mais afetadas por lesões, algumas degenerativas, conforme estudo. http://folha.com/no1166092

Canela, calcanhar e planta do pé são as maiores vítimas do impacto que ocorre na corrida --e não os joelhos, tão lembrados quando se fala em lesão de atletas.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores analisaram 2.924 artigos. "Revisamos todas as pesquisas que descreveram as principais lesões em corredores", diz Alexandre Dias Lopes, fisioterapeuta, professor da Unicid e coordenador de um grupo de pesquisas sobre o tema.

No final da peneira científica, que descartou textos redundantes ou com definições insuficientes, só oito estudos foram considerados. No total, acompanharam 3.500 corredores e constataram 28 tipos de lesão. As três principais são: síndrome do estresse medial da tíbia (canelite), tendinopatia de Aquiles (tendinopatia do calcâneo) e fascite plantar .

"Não dá para dizer qual é a principal. Essas três são as mais comuns", diz Lopes, que supervisionou o estudo conduzido pelo mestrando Luiz Carlos Hespanhol Júnior.

Nos consultórios, também são as campeãs, diz Jomar Souza, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte

São lesões causadas por sobrecarga, nenhuma é traumática (tipo pisar num buraco). Diferentemente do futebol, que machuca por macrotrauma, a corrida causa lesões por microtrauma de repetição. "Alguma estrutura biológica não aguenta o estresse e sofre inflamação", diz Lopes.

Além de fisioterapia, o paciente deve seguir um programa específico de treinamento, envolvendo alongamento e fortalecimento muscular. Como terapia complementar, a acupuntura, o RPG e a massagem e quiropraxia podem ser utilizados", diz Moisés Cohen, diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.

O tratamento é difícil porque a maioria dos praticantes não se conforma em parar de treinar.

sábado, 13 de outubro de 2012

Cervicalgia

Como o stress psicológico afeta o corpo?


 “Quando sofremos algum processo emocional, seja ele de cobranças ou medos, separações, decisões importantes a serem tomadas o nosso corpo age como uma válvula de escape”


 Quando falamos em stress psicológico estamos nos referindo ao nosso dia-a-dia. Temos horários controlados para tudo; medo de assalto, de sair à noite. Somos cobrados e exigidos em tudo que fazemos. Vivemos em um stress psicológico o tempo todo. Para entendermos um pouco esse processo, há uma resposta muito simples. Nosso cérebro é o responsável por tudo. Ele não para nem quando dormimos.

Quando sofremos algum processo emocional, seja ele de cobranças ou medos, separações, decisões importantes a serem tomadas, o nosso corpo age como uma válvula de escape. O corpo dá sinal de que tem alguma coisa ainda não bem interpretada pelo nosso cérebro. Seja uma dor de cabeça tensional ou enxaqueca, uma crise lombar, uma cervicalgia com irradiação para braços ou pernas, tendinites e vários outros sintomas que podem ser relativamente de fácil tratamento ou crônico. Isso porque o stress emocional causa aderência em uma estrutura que recobre os músculos, chamada fáscia muscular.

A fáscia recobre todo o corpo, da cabeça aos pés, sendo comparada a uma malha de tricô, na qual um fio puxado em qualquer ponto resultará na distorção de seu formato em locais distantes do defeito inicial. Conectada à face interna da pele, a fáscia promove um constante feedback com o SNC. Hoje a fáscia é conhecida como esqueleto fibroso e a aderência entre estruturas que deveriam permanecer livres altera a musculatura e produz a dor. Essa estrutura se contrai dando origem aos nós de tensão que são conhecidos como Trigger Points ou pontos gatilho.

Esses nós de contração não possuem um fluxo sanguíneo adequado sendo as causas mais comuns de dor muscular esquelética e incapacidade, capaz de devastar a qualidade de vida do indivíduo. Essas dores são tão fortes quanto de um ataque cardíaco ou mesmo cólica renal, fazendo com que esse indivíduo passe por várias especialidades médica e fisioterapêutica, sem nenhuma melhora significativa, uma vez que as dores desses pontos-gatilho imitam alterações encontradas em quase todas as especialidades da medicina, inclusive sendo a fonte de dor mais comum com queixa de dor músculo esquelética em crianças. Porém os trigger points não são ameaçadores à vida. Ocorre ainda que 71% desses nós estão em meridianos de acupuntura.

Meridianos estes que estão associados às nossas emoções. Por exemplo, se alguns desses nós se encontram no meridiano do rim, podem estar ligados a um processo de medo, e se estiver no pulmão estará relacionado à tristeza. Todo esse processo corpo/mente/emoção onde se apresenta ainda fáscia/pontos gatilho e dor referida são componentes da Síndrome Dolorosa Miofascial (SDM) e os distúrbios mais frequentes associados são: a depressão, a insônia, o stress e a DORT. Enfim, tudo na nossa vida está interrelacionado, ou seja, corpo e mente são inseparáveis.


Publicado por Ana Pinheiro
Fonte: http://ow.ly/d9ZmV

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Exemplo de solidariedade

Bela imagem... pena que hoje em dia este espírito de equipe tem estado menos presente. Ter companheiros assim com certeza deve ser gratificante para o atleta.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Corredor deve evitar exagero para diminuir os riscos


A julgar pelas estatísticas, pelo menos metade dos corredores vai sofrer lesões relacionadas ao esporte em algum momento da vida.

Canela e pé são as maiores vítimas da corrida, mostra estudo

Depoimento: Ficar parado dói mais do que a própria lesão
'Desisti do tratamento, mas não de competir', diz consultor de informática

Duas das maiores pesquisas citadas no trabalho de revisão coordenado pelo fisioterapeuta Alexandre Lopes mostram que 46% dos participantes de maratonas já se machucaram.

Para reduzir o risco de desenvolver patologias em consequência do hábito da corrida, os médicos consultados pela Folha recomendam algumas medidas.

"Aumentar os treinos (volume, frequência, intensidade) de maneira gradual e progressiva, realizar exercícios de fortalecimento muscular duas a três vezes por semana e fazer alongamentos" são algumas das indicações do médico Jomar Souza, da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte.

Reduzir o peso corporal e usar "calçados adequados" também são fatores que podem diminuir o risco de lesões, segundo o ortopedista Moisés Cohen.

O TÊNIS CERTO

O também ortopedista Márcio Freitas é mais específico: "A correção biomecânica dos eixos de força dos membros inferiores, com palmilhas e tênis adequados, é importante fator de prevenção; já o alongamento do pé e da panturrilha ajuda a evitar a fascite plantar".

Freitas também recomenda, para evitar o impacto excessivo, o uso de tênis de amortecimento e de calcanheiras de silicone --além da alternância dos tipos de terreno da corrida.

O corredor deve, ainda, evitar o exagero nos treinos de "tiros" [corridas curtas em ritmo intenso e não se apoiar demais no antepé, já que esses fatores aumentam a tensão na origem da fáscia plantar.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Que tal uma massagem para descontrair?

 Com a chegada das estações mais quentes, a vontade de se exercitar e sair de casa é maior e às vezes percebemos que nosso corpo não está tão flexível ou disposto a maiores esforços. Se você está cansado da rotina de trabalho ou precisa de uma ajuda para soltar um pouco os músculos, desfrute um momento de descontração e renovação com a ajuda de um massoterapeuta.

Mas não é só para descansar o corpo que a massagem pode servir: uma pesquisa do Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles, nos EUA, concluiu que a massagem traz muito mais benefícios do que um simples relaxamento. Um dos mais importantes é a possibilidade de inibir a produção de hormônios que causam estresse e apresentar elevações na oxitocina, um hormônio associado ao contentamento e à confiança. Sem contar no aumento do número de linfócitos, mais conhecidos como glóbulos brancos, responsável pelas defesas do nosso organismo.

domingo, 7 de outubro de 2012

Estressado?


Dores no corpo, memória falha, ganho de peso... Livre sua saúde de males como esses driblando as tensões do dia a dia

 O ritmo da vida moderna deixa qualquer um desequilibrado.

São tantas tarefas e responsabilidades para dar conta que uma hora o corpo cansa da correria e da falta de tempo para cuidar de você mesmo. Uma coisa é certa – ele sente o baque das noites maldormidas, do estresse no trabalho, do sanduíche que você engole enquanto dirige porque pulou alguma refeição. Não só sente como se manifesta, desencadeando males que podem comprometer muito sua saúde. Por isso, nós estamos aqui para ajudar você a não cair nessa e encontrar uma válvula de escape para aliviar as tensões. Abaixo segue uma lista de onde o estresse moderno atinge o corpo e como lutar contra ele. Fique esperto!

70% Da população economicamente ativa no Brasil sofre alguma sequela de estresse

Fonte: International Stress Management Association no Brasil (ISMA-BR)

O ponto do estresse - a mente

“A secreção crônica de cortisol – hormônio do estresse – pode levar a pessoa à fadiga, ou seja, cansaço de alguma parte do corpo, como músculos e até o próprio cérebro”, explica o neurologista André Gustavo Lima, membro da Academia Brasileira de Neurologia, do Rio de Janeiro. Preste atenção para não cair em um ciclo que pode provocar perda de memória e depressão.

A válvula de escape O excesso de trabalho, a pressão do chefe, a falta de grana… Esses são problemas clássicos que resultam em estresse. “Uma alternativa para liberar a tensão é praticar atividades físicas aeróbicas, de preferência ao ar livre.”

O ponto do estresse - o coração

O estresse crônico – de longa data, como quando você carrega uma dívida há meses no banco – contribui para ataques do coração, assim como o estresse agudo, aquele que vem quando algo que você não esperava acontece de repente. Pesquisadores da Universidade de Western Ontario (Canadá) coletaram amostras de fios de cabelo de mais de cem homens, sendo que metade deles já havia sido hospitalizada por ataques cardíacos, e descobriram que o nível de cortisol nos folículos era maior nesses pacientes.

A válvula de escape Inspire-se nos líderes. Melhor: trabalhe com calma e afinco para se tonar um deles. A Escola de Negócios da Universidade de Columbia (EUA) realizou uma pesquisa na qual os participantes foram designados como líderes ou subordinados. Metade das pessoas em ambos os grupos foram convidadas a contar uma mentira qualquer. Os subordinados que tiveram que mentir apresentaram níveis elevados de cortisol – hormônio do estresse. Mas os que estavam na posição de líder e também mentiram não apresentaram sinais de estresse, sugerindo que, mesmo em situações estressantes (obrigados a mentir), as pessoas que têm poder e controle sentem pouca ou nenhuma ansiedade.

O ponto do estresse - o DNA

Uma enxurrada de hormônios do estresse 24 horas por dia pode encurtar os telômeros – estruturas genéticas que protegem as extremidades dos cromossomos. Quando os mesmo se tornam muito curtos, a vida da célula chega ao fim: ela não consegue mais se multiplicar.

A válvula de escape Um estudo recente da Universidade Harvard (EUA) descobriu que a resposta fisiológica à meditação e aos exercícios de respiração pode neutralizar os danos celulares causados pelo estresse.

O ponto do estresse - o sistema nervoso

Quando você está estressado, hormônios inundam o corpo e começam a alterar várias estruturas. A liberação dos mesmos leva à contração da musculatura, e a adrenalina descarregada na corrente sanguínea acelera os batimentos cardíacos e a respiração. “Quando isso acontece, o corpo sofre inúmeros sintomas. O psicossomático reflete na pressão alta, ansiedade, insônia, dores de cabeça, úlcera do aparelho digestivo etc. Como consequência da energia gasta nesse processo, o sistema imunológico é enfraquecido, causando diversos prejuízos para o organismo como um todo”, explica o neurologista André Gustavo Lima.

A válvula de escape Reveja seu estilo de vida. “É importante saber conviver com as pessoas em harmonia, desenvolver o gosto por alguma atividade física, cultivar pensamentos positivos. Meditação e ioga podem ser uma boa maneira de levar uma vida equilibrada.”

O ponto do estresse - os músculos

Tensão no pescoço e nas costas causada por estresse, além de longos dias debruçado sobre o computador, podem resultar em dores musculares.

A válvula de escape Alongue-se. “É importante fazer pausas durante o trabalho. A ginástica laboral é fundamental para aliviar o corpo – alongue braços e pernas como um movimento de espreguiçar e preste atenção na respiração, inspirando e expirando por cerca de dois minutos. A automassagem nos ombros também ajuda a aliviar o estresse”, explica Lucia Helena Accioli Nunes, médica do trabalho do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, em São Paulo.

O ponto do estresse - o organismo

O estresse pode alterar a velocidade como o corpo processa gordura, levando-o a armazená-la no abdome. Mais: ele também pode aumentar a acidez no estômago e refletir no funcionamento do intestino.

A válvula de escape Ria mais e pratique ioga. Estudos já demonstraram a capacidade da ioga de aliviar o estresse e diminuir a pressão arterial. Relatórios apresentados no Colégio Americano de Medicina Esportiva também apontaram que rir faz bem – pessoas que assistiram a comédias tiveram os vasos sanguíneos mais flexíveis e melhoraram o fluxo de sangue por mais de 24 horas após rirem.


Matéria publicada na Men’s Health de abril de 2012.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts with Thumbnails